Senhor da paz,
ensina-nos o sentido da paz.
Nosso olhar estreito ainda acredita
na paz como sinônimo de tranqüilidade,
de sossego, de isolamento.

E teu Filho, o príncipe da paz,
quando falou de paz,
ensinou um dinamismo de vida
que exige justiça, verdade,
dignidade, solidariedade, quando não
profetismo, denúncia, entrega.

A tua paz, Senhor, não nos deixa
quietos, parados, omissos...

A tua paz, Senhor,
preenche a lacuna dos dias de rotina,
atravessa as fronteiras hostis,
bate à porta dos esquecidos,
desinstala o poder e os iludidos pelo poder.

A tua paz, Senhor,
grita no altos cumes e nos desertos,
também nas metrópoles,
nos campos de refugiados, nas trincheiras
que não envelhecem, nos morros,
em toda parte, em todos os cantos.

A tua paz, Senhor,
é referência e promessa,
é esperança, porvir,
mas também presença, consolo, conforto.

Senhor, dá-nos a tua paz,
fazendo de nós filhos da paz, gente paz,
defensores da paz. Entre nós e no mundo.
Por Cristo Jesus, teu Filho e doador de toda paz.