domingo, 31 de maio de 2009

TCHUPA ESSA MANGA CAMPO GRANDE!


Desculpa aí Campo Grande, mas Cuiaba, ou melhor, Cuiabá sediará alguns jogos da copa!
Não adiantou tentar tisnar a nossa imagem. Se tivesse construído uma imagem positiva de sua cidade, que diga-se de passagem é LINDA, talvez você Campo Grande conseguisse levar a Copa, mas esse lance de fritar os outros não está com nada. Com todos as deficiências que temos, e temos muitas, nós conseguimos, porque somos hospitaleiros e sabemos receber como ninguém.
Meus amigos até Julho de 2014!

sexta-feira, 29 de maio de 2009

quinta-feira, 28 de maio de 2009

28 de Maio - Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher

Dia Internacional de Ação pela Saúde das Mulheres. Dossiê vai mostrar as experiências exitosas em direitos sexuais e reprodutivos no País

"A saúde e direitos sexuais e direitos reprodutivos são direitos humanos e cidadania. Que o Estado os garanta, proteja e promova” é o apelo da atual Campanha 28 de Maio, Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher iniciativa da Rede de Saúde das Mulheres Latinoamericanas e do Caribe – RSMLAC e articulada no Pais pela Rede Feminista de Saúde,Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos.

Este dia está integrado ao calendário brasileiro como o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna, embora neste ano a violência de gênero e o aborto inseguro ganhem muito destaque. Ao se entrelaçar todos estes dois temas que envolvem a saúde, os direitos sexuais e os direitos reprodutivos, em especial a mortalidade materna - percebe-se que no Brasil, as imensas desigualdades sociais e a ofensiva dos setores conservadores e fundamentalistas produzem a exclusão e o distanciamento das mulheres à saúde, ao exercício da cidadania e, por conseguinte, à violação de seus direitos humanos fundamentais.

A Rede Feminista de Saúde tem se empenhado na luta pela implementação dos marcos de saúde sexual e reprodutiva. Para tanto, tem realizado e apoiado reuniões, oficinas, seminários, atos públicos visando o fortalecimento de suas filiadas. Tem integrado mobilizações de interlocução com o Congresso Nacional quando o debate é sobre morte materna, aborto inseguro ou violência, numa perspectiva de saúde e direitos humanos. Investe na permanente capacitação para o controle social.

CONTROLE SOCIAL - As reflexões deste 28 de Maio devem pairar sobre os obstáculos que dificultam a formação de um campo favorável ao avanço dos direitos sexuais e reprodutivos não de forma isolada, mas num conjunto de medidas necessárias que garantam as mulheres o acesso a serviços de saúde de qualidade. Mesmo com as dificuldades que se apresentam, a Rede Feminista de Saúde mantém o compromisso com as instâncias de controle social.

Atividades que serão reveladas nos relatos das experiências exitosas apresentadas pelas filiadas e movimentos de mulheres e constarão da publicação eletrônica a ser veiculada em junho próximo pelo site da Rede: http://www.redesaude.org.br e também no sítio de Maria Mulher: http:// www.mariamulher.org.brorganização filiada à RFS que se associou a esta iniciativa. A idéia desta ação foi criar uma interface nacional para a Campanha 28 de Maio e incentivar o debate e a sistematização do trabalho do movimento de mulheres.

Confira a programação para o dia de hoje em diversas cidades do Brasil:

Dia 28

Rio de Janeiro

· Às 10 horas, no plenário da Assembléia Legislativa realização de uma audiência pública organizada pelo Comitê Estadual de Prevenção e Controle da Mortalidade Materna e Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Alerj. À tarde, a partir das 14 horas, Atividade de Rua pelo Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher tendo como local a Rua Uruguaiana. Na organização do evento está o Coletivo de Mulheres Negras e a Regional Rio de Janeiro da Rede Feminista de Saúde. Distribuição de materiais e divulgação de ações sobre prevenção à mortalidade materna, prevenção ao câncer de mama e outros temas relacionados à saúde da mulher.

Florianópolis

· A Casa Mulher Catarina,entidade filiada à Rede Feminista de Saúde, Regional Santa Catarina, que neste mês de maio comemora 20 anos de fundação, realiza,às 14 horas desta quinta-feira, o Seminário A Saúde da Mulher e os Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos: Correntes e Tendências. Palestra e Debate com a Doutora em Filosofia,Sonia Philippi e com a Doutora em Epidemiologia,Karen Glanzen. As debatedoras são professoras da Universidade Federal de Santa Catarina que sediará o evento no auditório da Reitoria.



IMPERATRIZ

· Panfletagem durante o dia exigindo a implantação e funcionamento imediato do Comitê de Morte Materna e ato público em defesa do SUS e pelo Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e pelo Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna.

Porto Alegre

· Audiência do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher com o Secretário Estadual de Saúde sobre o tema dos serviços de atenção às vítimas da violência sexual.

· Ás 14 horas na Assembléia Legislativa do RS acontece o debate: A integralidade da saúde das mulheres e o impacto do aborto inseguro na vida das mulheres. Ainda no mesmo local e logo após o encerramento do debate a segunda apresentação da Frente Contra a Criminalização das Mulheres e Legalização do Aborto. A promoção é do Movimento de Mulheres - Rede Feminista de Saúde - Marcha Mundial de Mulheres - Jornadas Brasileiras pelo Aborto Legal e Seguro - Conselho Municipal dos Direitos da Mulher - Federação dos Bancários - Fórum Municipal da Mulher - ONGs - Coletivo Feminino Plural, Themis, Maria Mulher, Centro Hygia, Amaterna, Fecosul, Liga Brasileira de Lésbicas.

· No Centro de Estudos de Aids/DST do RS – CEARGS,Rua Fernando Machado,480,às 19 horas,palestra com Carmen Lucia Paz, militante do Movimento de Prostitutas de Porto Alegre e Cientista Social e Pós-graduada em Direitos Humanos/Ufrgs. O tema é exploração sexual comercial de mulheres, adolescentes e crianças e sua interface com a violência intrafamiliar e extrafamiliar.


quarta-feira, 27 de maio de 2009

Exposição de Fotografias


A Associação Nacional dos Defensores Públicos (ANADEP) convida para conhecer a Exposição Fotográfica DEFENSOR PÚBLICO PARA QUEM PRECISA: JUSTIÇA PARA TODOS, que estará aberta para visitação de 25 a 29 de maio de 2009, no Hall de Taquigrafia da Câmara dos Deputados (Anexo II).
Na exposição, a Associação Nacional dos Defensores Públicos faz um registro fotográfico do dia-a-dia dos Defensores Públicos, através de um recorte por cada uma das cinco regiões do país.

Fonte: www.anadep.org.br

segunda-feira, 25 de maio de 2009

A vingança - parte XXVIII

Como um homem chama o amor verdadeiro?

R.: Ereção.

Por que as mulheres não querem mais se casar?
R.: Porque não é justo.. Imagine, por causa de 100 gramas de linguiça ter que levar o porco inteiro. (SHOW!!! SHOW !!!)

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Bom vinho


Eu estava andando pela rua quando fui abordada por uma mulher sem-teto,
muito suja e maltrapilha, que me pediu um pouco de dinheiro para comer.
Peguei minha carteira, tirei uma nota de 50 reais e perguntei "Se eu lhe der
este dinheiro, você vai gastá-lo comprando bebida ao invés de comida?"
" Não, eu parei de beber há muitos anos", disse-me a mulher..
"Você vai usá-lo para fazer compras ao invés de comprar comida?" perguntei.
"Não, eu não perco tempo com compras" - disse ela - "Eu preciso de todo o
meu tempo para me manter viva".

"Você vai gastá-lo num salão de beleza, ao invés de alimentar-se?" continuei
perguntando.
"Você está MALUCA!" - respondeu a mulher - "Eu não tive um corte de cabelos
nesses últimos 20 anos!"
"Bem" - eu disse - "Não vou dar-lhe este dinheiro. Em troca, estou
convidando-a para sair para jantar comigo e com meu marido esta noite".

A mulher ficou chocada. "Seu marido não vai ficar furioso se você fizer
isto? Eu estou muito suja e cheirando muito mal".
Eu respondi "Não se preocupe, está tudo bem.

É importante que ele veja como fica uma mulher quando não pode mais fazer
compras, ter hora marcada com o cabeleireiro e tomar um bom
vinho!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Filhos de uniões homoafetivas


Por Sylvia Maria Mendonça do Amaral

Tenho recebido muitos e-mails e comentários indagando sobre esse assunto. Lendo o jornal de hoje me deparei com o artigo abaixo de Sylvia Mendonça, que achei muito bom, então, resolvi postá-lo:

O nosso Judiciário vem sendo cada vez mais acionado pelos homossexuais em busca de seus direitos. A evolução da sociedade e das famílias alimenta os principais temas julgados e debatidos nos tribunais brasileiros. Um dos pleitos mais comuns do segmento LGBTT, por ser ele o mais elementar, é o de reconhecimento de união estável entre pessoas do mesmo sexo. A obtenção de tal direito é fundamental para que se atinjam outros tantos, dele dependentes. Exemplo disso é o direito de ser tido como herdeiro de companheiro falecido. O reconhecimento da união estável, nesse caso, é imprescindível, já que o parceiro sobrevivente jamais poderá ser herdeiro do outro, sem que lhe seja concedido tal direito, exceto se houver testamento feito em seu benefício.

Porém, enquanto não há consenso entre nossos julgadores sobre a possibilidade de haver ou não união estável entre homossexuais, enquanto são discutidos textos legais ultrapassados por não contemplarem uniões homoafetivas, a sociedade já evoluiu e os casais homoafetivos apresentam anseios e necessidades de maior complexidade.

Recente discussão que exemplifica a tese é a do registro de filhos oriundos de relações homoafetivas. Muitos casais que já vivem uma união mais sólida e estável, apesar de não reconhecida pela lei, partiram em busca de filhos, seja através da adoção ou da inseminação artificial.

Não raro os parceiros homossexuais desejam ampliar suas famílias e utilizam-se dos recursos disponíveis para isso. Os homossexuais masculinos buscam cada vez mais a adoção de crianças e os casais formados por duas mulheres optam, na maior parte das vezes, pela inseminação artificial. É um direito que lhes é assegurado pela Constituição Federal, se partirmos do princípio que seus pilares são, entre outros, o direito à dignidade, liberdade e, principalmente, o direito à igualdade.

O debate torna-se mais complexo e delicado quando a questão envolve crianças nos lares de casais homoafetivos. Os preconceituosos gritam mais alto e o Poder Judiciário titubeia, pois engatinha ainda quando falamos na possibilidade da existência das uniões. Dois casos foram noticiados recentemente pela imprensa, quase que simultaneamente, com resultados não definitivos e diametralmente opostos. Dois casais de lésbicas optaram pela inseminação artificial. Um deles em São Paulo e outro em Santa Catarina, cujo processo foi levado a julgamento perante o Tribunal do Rio Grande do Sul, sempre o mais avançado ao tratar dos direitos homoafetivos.

A questão em ambos os processos é a mesma: os casais buscam registrar os filhos em nome das duas mães. No caso de São Paulo, o pedido de tutela antecipada para registro imediato das crianças dessa forma foi negado em uma primeira fase, mas isso não significa dizer que a causa esteja perdida. O juiz do caso optou por decidir se concederá tal direito às companheiras após obter mais informações. A sentença pode, e espera-se, ser favorável ao casal, já que ainda não houve decisão final.

No caso julgado no Rio Grande do Sul, o casal já alcançou seu objetivo, realizando o desejo de registrar os também gêmeos, em nome de ambas, com o sobrenome das duas companheiras. Por certo, outros casais farão tal pedido a nossos julgadores, sendo que ainda está longe de haver consenso entre eles sobre questão proposta há muito tempo que é o reconhecimento das uniões homoafetivas.

O Judiciário precisa se apressar sob pena de perder o bonde da modernidade. Mas o Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul não corre esse risco. Abriu as portas para o casal e para seus filhos gêmeos que poderão, a partir do êxito, vencida a barreira, viver em harmonia, já que finalmente foram vistos como um núcleo familiar que a nossa lei maior diz ser a base da sociedade. Porém, não há texto legal nenhum de nosso país que afirme que tal base seja sedimentada apenas pela família heterossexual. Então, que sejam bem-vindas as novas famílias homossexuais. Que outras portas se abram!

Sylvia Maria Mendonça do Amaral, advogada especialista em Direito Homoafetivo, Família e Sucessões do escritório Mendonça do Amaral Advocacia, autora do livro "Manual Prático dos Direitos de Homossexuais e Transexuais" e editora do site Amor Legal. E-mail: sylvia@smma.adv.br

terça-feira, 19 de maio de 2009

Dia Nacional do Defensor Público

Em comemoração ao Dia do Defensor Público, 19 de maio, o núcleo da Defensoria Pública em Várzea Grande prestou atendimento ao público no terminal André Maggi, no centro da cidade, na tarde desta terça-feira. Ao todo foram atendidas 119 pessoas.

A ação, organizada pelo Defensor Público Camillo Fares Abinader Neto, coordenador do núcleo, foi realizada para tirar dúvidas e orientar a população em relação a seus direitos.

Em Cuiabá o atendimento aconteceu desde as 8h nas praças Oito de Abril, Porto, Alencastro e Ipiranga. Foi um dia dedicado à cidadania. Quem compareceu ao evento teve acesso a vários atendimentos na área jurídica, emissão de documentos como carteira de identidade, registro de nascimento, divórcio consensual, investigação de paternidade, pensão alimentícia dentre outros.

As comemorações pelo dia do Defensor Público começaram na segunda-feira (18), às 19h, na Assembleia Legislativa, com uma sessão especial, em homenagem as pessoas que ao longo dos anos contribuíram para o crescimento da Defensoria de Mato Grosso.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

segunda-feira, 11 de maio de 2009

segunda-feira, 4 de maio de 2009

1º Concurso Público para Defensor Público de Goiás

O governador do Estado de Goiás, Alcides Rodrigues, assinou, no dia 24 de maio, durante solenidade realizada no Tribunal de Justiça, o decreto de nomeação da Comissão Especial responsável pela realização do 1º concurso público para o cargo de Defensor Público do Estado.

O presidente da ANADEP, André Castro, esteve presente no evento e classificou como histórica a decisão do Governo do Estado. "Mesmo com 20 anos de atraso, a criação da Defensoria Pública de Goiás, conforme determina a Constituição, trará grandes benefícios para a população mais carente, que ganhará uma instituição pública e autônoma para promover sua defesa jurídica, integral, gratuita e de qualidade. Acreditamos na previsão do Governo de publicação do edital ainda no mês de maio e que, antes do final desse ano, os novos defensores já estejam em atuação", concluiu.

Durante a solenidade, o presidente do STF, ministro Gilmar Mendes, destacou a qualidade técnica e a combatividade dos Defensores Públicos e citou, como exemplo, o êxito dos habeas corpus impetrados pela Defensoria Pública no Supremo. Ao ser perguntado sobre os estados que ainda não contam com Defensoria Pública, Mendes disse que já está conversando com Santa Catarina e Paraná para que a instituição seja instalada o mais rápido possível.

Fonte: www.anadep.org.br