terça-feira, 24 de novembro de 2009

A vingança - parte XXXII


Pense numa mulher vingativa!!!


A filha faz 21 anos e o pai está todo feliz por emitir o último cheque da pensão que é paga à ex-mulher, há 20 anos e 11 meses. Pede para a filha levar o cheque e retornar rapidinho, para contar-lhe como ficou a cara da mãe dela, ao dizer-lhe que este é o último cheque que ela verá da parte dele. A filha entrega o cheque à mãe, ouve o que ela diz e volta para a casa do pai, para dar-lhe a tão esperada resposta.

- Diga-me, filha, qual foi a reação da sua mãe!

- Ela mandou lhe dizer que você não é o meu pai!


kkkkkkkkkkkkkk ai eu não me aguento de tanto rir

Fonte: e-mail

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

PROTESTO CONTRA O PRESIDENTE DO IRÃ

Em Porto Alegre, feministas, homossexuais e políticos protestam contra a presença do presidente do Irã no Brasil. RFS defende o estado laico e os direitos das mulheres


A Rede Feminista de Saúde esteve entre as organizações promotoras do ato público chamado pelo Movimento de Justiça e Direitos Humanos do Rio Grande do Sul contra a presença do presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, realizado às 12 horas de hoje,23/11, na Esquina Democrática, ponto central de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, e palco histórico de manifestações populares.


O protesto acusou o governo iraniano de manter impunes assassinatos de mulheres e manter a prática da lapidação de esposas consideradas infiéis, a valoração pela metade da voz feminina em tribunais, a perseguição a homossexuais e minorias religiosas. O centro da defesa das entidades foi a necessidade de estados laicos e democráticos, que respeitem os direitos humanos. O ato reuniu ainda Themis – Assessoria Jurídica e Estudos de Gênero, Nuances – Grupo Pela Livre Expressão Sexual, Organização Sionista do Rio Grande do Sul, representantes da Câmara Municipal e Igualdade – Associação de Travestis e Transexuais do RS.

Quando de sua manifestação, a secretária executiva da RFS, Telia Negrão, (foto) se reportou aos marcos legais dos direitos humanos desde 1948 e agregou ao seu pensamento a III Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e as Formas Conexas de Intolerância organizada pelas Nações Unidas como uma referência fundamental às minorias vítimas de discriminação e intolerância. A dirigente da Rede defendeu, ainda, com muita ênfase o direito humano de todas as mulheres, o estado laico, e que o Brasil, como país democrático, não pode compactuar com a persistência de “todas as formas cruéis de violência e discriminações a todas as mulheres, brancas, negras e indígenas”.

Fonte: Vera Daisy Barcellos - Jorn. Reg.Prof. 3.804
Assessoria de Imprensa da Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

DIVISÃO DE BENS


Dois amigos se encontram depois de muito anos.
- Casei, separei e já fizemos a partilha dos bens.
- E as crianças?
- O juiz decidiu que ficariam com aquele que mais bens recebeu.
- Então ficaram com a mãe?
- Não, ficaram com nosso advogado.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Cuiabá ganha novo centro de tratamento para Drogas e Álcool

A falta em Mato Grosso de um centro particular eficiente no tratamento para dependentes químicos obriga diversos pais a procurarem ajuda médica em outros estados. E essa ausência faz com que todos os anos, muitos mato-grossenses deixem o estado para por fim ao vício das drogas ou do álcool. Mas a partir deste mês de abril, essa migração deixará de acontecer. Chega a Cuiabá a ‘Comunidade Terapêutica Valor da Vida’, que com uma equipe experiente e renomada em tratamentos do gênero, oferece chances de recuperação superiores ao da média nacional.

“Nós oferecemos tratamentos tanto para aquelas pessoas que não entendem que precisa de ajuda, quanto para aqueles que concordam que sozinhos não conseguirão deixar o vício. Em situações diferentes como essas, o tratamento é específico para cada caso, já que entendemos que os vícios normalmente são os mesmos, mas os conflitos internos de cada paciente são exclusivamente individuais”, explica o diretor da clínica, Tiago Xavier Checchin.

O novo centro de recuperação instalado na região do Sucuri II propõe como diferencial uma metodologia de trabalho elaborada por profissionais com muitos anos de experiência em dependência química. “Mais do material humano adequado para atender, temos um espaço tranqüilo, com móveis e equipamentos novos, e tudo isso apenas a nove km de Cuiabá, o que permite a família acompanhar de perto os avanços do dependente”, acrescenta Tiago.

A ‘Comunidade Terapêutica Valor da Vida’ possui no quadro de funcionários psicólogos, psiquiatras, monitores e conselheiros em dependência química. A área do centro conta 5 suítes, salas de TV, reuniões, quadra poliesportiva, piscina, academia, lago para pesca e área verde com árvores frutíferas.

Para outras informações (65) 3025-4210 / (65) 9282-5100

Site: WWW.ctvalordavida.com.br

E-mail: tiago@ctvalordavida.com.br

Cúmplice de adultério não tem o dever de indenizar marido traído

Adultério

4ª turma do STJ - Cúmplice de adultério não tem o dever de indenizar marido traído

http://www.globalframe.com.br/gf_base/empresas/MIGA/imagens/E5DE130821232D94519063B9BC69C29E8235_traicao.jpgPara o STJ, o cúmplice de adultério, praticado durante o tempo de vigência do casamento, não deve indenizar o marido traído por dano moral. Os ministros da 4ª turma do STJ entenderam que, em nenhum momento, nem a doutrina abalizada, nem tampouco a jurisprudência, cogitou de responsabilidade civil de terceiro.

Para o ministro Luís Felipe Salomão, relator do recurso, não há como o Judiciário impor um "não fazer" ao amante, decorrendo disso a impossibilidade de se indenizar o ato por inexistência de norma posta – legal e não moral – que assim determine. "É certo que não se obriga a amar por via legislativa ou judicial e não se paga o desamor com indenizações", afirmou.

No caso, G.V.C ajuizou ação de indenização por danos morais contra W.J.D alegando que viveu casado com J.C.V entre 17/1/1987 e 25/3/1996 e que, possivelmente, a partir de setembro de 1990, aquele passou a manter relações sexuais com sua então esposa, resultando dessa relação o nascimento de uma menina, a qual registrou como sua. O casal divorciou-se em outubro de 1999. Sustentou, assim, que diante da infidelidade, bem como da falsa paternidade na qual acreditava, sofreu dano moral passível de indenização, pois "anda cabisbaixo, desconsolado e triste".

O juízo de Direito da 2ª vara Cível da comarca de Patos de Minas/MG condenou o cúmplice do adultério ao pagamento de R$ 3,5 mil ao ex-marido, a título de compensação pelos danos morais por ele experimentados. Na apelação, o TJ/MG afirmou que, embora reprovável a conduta do cúmplice, não houve "culpa jurídica" a ensejar sua responsabilidade solidária, quando em verdade foi a ex-esposa quem descumpriu os deveres impostos pelo matrimônio.

No STJ, o ex-marido sustentou que estão presentes os requisitos autorizadores da responsabilidade civil do cúmplice, tendo em vista que o ilícito (adultério, com o conseqüente nascimento da filha que acreditava ser sua) foi praticado por ambos (amante e ex-mulher), sendo solidariamente responsáveis pela reparação do dano.

Segundo o ministro Salomão, o cúmplice de adultério é estranho à relação jurídica existente entre o casal, relação da qual se origina o dever de fidelidade mencionado no artigo 1.566, inciso I, do Código Civil de 2002. "O casamento, se examinado tanto como uma instituição, quanto contrato sui generis, somente produz efeitos em relação aos celebrantes e seus familiares; não beneficiando nem prejudicando terceiros", destacou.

Fonte: Migalhas

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Posse da diretoria da ABMCJ-MT


Dia 04 de novembro passado tomou posse a DIRETORIA NACIONAL DA ABMCJ no Congresso Nacional da Associação na cidade de Natal.
Em 10 de dezembro, no período de 8hs às 18 hs no auditório da OABMT, acontecerá o Seminário Violência contra a mulher é uma violação aos direitos humanos, nesta oportunidade às 17 hs a DIRETORIA ESTADUAL DA ABMCJMT tomará posse para o triênio 2009/2012 e posteriormente será servido um coquetel.