sábado, 27 de outubro de 2012

MEMÓRIA ELEITORAL


O eleitor precisava ter uma memória mais aguçada para esta questão. Numa roda de conversa entre populares, se você perguntar nome de alguma novela ou de sua/seu protagonista/o, a resposta correta não demorará a vir, mas se você indagar do qual partido este ou aquele candidato já pertenceu ou se coligou, certamente não obterá resposta.
Em Várzea Grande, na penúltima eleição, um candidato a prefeito foi acusado veladamente de pedofilia por um grupo político, algo muito grave para ser usado durante uma campanha eleitoral, fato que fere de morte a democracia, pois, não só atinge a imagem do candidato como induz o eleitor ao erro. Isso sim é ofensa.
Na mesma cidade, na última disputa, após o resultado das urnas, 50 títulos de eleitor e de documentos de identidade foram encontrados em um córrego no bairro Capela do Piçarrão, o que causou perplexidade em algumas autoridades. Mas a justiça eleitoral já descartou a possibilidade de ter havido fraude. Será?
Penso eu que, para prefeito(a), o uso desses documentos não alteraria o resultado até porque a diferença de um(a) para outro(a) foi de aproximadamente 3.000 votos, mas e para vereador(a)? Teve candidata que perdeu a eleição por uma diferença de 20 votos. E aí?
Em Cuiabá, um certo líder político denunciou recentemente a compração de votos para prefeito que vem ocorrendo na capital. E para vereador? Não houve compração de votos?
Depois da morte de Eric Hobsbawm, comecei a reler a "Era dos Extremos". Em um dos seus textos ele afirma que um historiador social não pode negligenciar nem a economia nem Shakespeare. Deve analisar não somente os aspectos econômicos da vida em sociedade como as ideias, a linguagem e o imaginário coletivo.
Tenho tentado analisar isso tudo... mas como é difícil! Em período eleitoral você vê muita insanidade: os palanques se transformam em ringues com exibição de lutas com golpes baixos ou palcos teatrais com espetáculos melodramáticos!!!
Todos nós deveríamos guardar na memória quem já se uniu a quem e tornarmos historiadores sociais populares. Sinceramente, não temos que esperar mudanças profundas através da verticalidade. Temos que fazer acontecê-las de forma horizontalizada.
Com perdão aos que acreditam no alinhamento, eu perdi a esperança de que os problemas de quaisquer natureza sejam resolvidos de cima para baixo.
Passada a eleição, se a população não demonstrar o mesmo entusiasmo que teve durante a campanha para cobrar o que foi prometido, os problemas continuarão. E nós, Defensores Públicos, continuaremos propondo ações de regularização fundiária, processos para assegurar vagas em escolas e creches, medidas para assegurar leitos nas UTI's, remédios nas farmácias de alto custo e assim por diante.
E antes que me rotulem de socialista, não sou filiada e nem simpatizante de qualquer partido político, meu título é de Várzea Grande e na minha cidade o monstro do desalinhamento foi derrotado pelo dr. Wallace!

Tânia Regina de Matos
É Defensora Pública do Estado, atua em Várzea Grande.

sábado, 20 de outubro de 2012

Curso de Disseminação da Metodologia do PAIR

Levamos ao seu conhecimento que no período de 23 de outubro a 01 de novembro/2012, estarão abertas as inscrições para a 8ª. Turma Curso de Disseminação da Metodologia do PAIR, no formato à distância, promovido pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, atendendo ao PNEVSCA, através do Instituto Aliança.
Para a 8ª Turma do Curso serão reservadas até 200 vagas por cidade (Brasília, Cuiabá e Manaus) que sediará a Copa 2014, a serem preenchidas, preferencialmente, por profissionais que atuam na área de violência sexual contra crianças e adolescentes.

O curso dará ênfase ao desenvolvimento do tema “Violência Sexual contra crianças e adolescentes, com foco no atendimento de casos de violência sexual vítimas de violência sexual no contexto dos megaeventos desportivos e grandes obras.

O curso está estruturado em 8 módulos correspondendo a 40 horas, mesclando conteúdos e práticas que promovam o fortalecimento das redes de proteção no município. Ao final do curso os participantes serão certificados em nível de extensão pela Universidade do Estado do Ceará.

As inscrições serão via on-line plataforma LEVEAD (disponível a partir do dia 23.10.2012), pelo site: www.levead.com.br/pair
 

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Quem é seu próximo?





Dá para levar ao pé da letra esse mandamento: Amarás seu próximo como a ti mesmo? Se você respondeu sim, me diga como posso amar alguém que desferiu mais de 50 facadas na sua ex-mulher e nas duas filhas dela?

Falo do Jorge Carlos da Silva, com quem conversei horas depois do triplo homicídio. Essa é uma das várias atividades que um Defensor (a) Público(a) tem que enfrentar na sua rotina de trabalho.

Estava de plantão durante o feriadão, quando na sexta-feira o celular institucional tocou: era um familiar do suspeito relatando que ele estava na sua casa e queria se entregar.

Fiz as primeiras perguntas para a cunhada dele e a orientei a me ligar novamente após a prisão, já que essa se concretizaria em breve, pois, os parentes não queriam que ele se entregasse, mas a polícia estava a sua procura.

Quando cheguei na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa Jorge já havia confessado, só não tinha dito o motivo e aonde estavam a faca e as roupas que usava no momento do crime.

Pedi para conversar reservadamente com o meu cliente. Um dos policiais quis me mostrar as fotos do triplo homicídio armazenadas em seu celular. Dispensei a exibição.

Defensor (a) deve agir assim. É o único profissional que não pode julgar um suspeito de crime. Todos os demais podem: o policial militar, o civil, o delegado, o promotor, o juiz, a sociedade, mas o Defensor(a) não pode julgar!

Algemado com as mãos para trás, confirmou cada palavra dita ao delegado e aos policiais que estavam na sala. Segundo ele, após saber que a Polícia estava em seu encalço, se dirigiu até a Base Comunitária do bairro Pedra 90 e foi preso. Não sabia me apontar o motivo, nenhum motivo... Só me afirmou uma coisa com muita certeza: a de que morreria para onde fosse levado.

Fiz várias perguntas sobre a vítima, o relacionamento com ela, com as enteadas... Eu não conseguia acreditar que aquele homem havia ceifado a vida de três pessoas do seu convívio...

Após militar durante 9 anos junto ao Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher, atuar na defesa da vítima junto a vara de violência doméstica de Várzea Grande por quase 4 anos, proferir inúmeras palestras defendendo a lei Maria da Penha, porque eu, justamente eu, tinha que estar ali, naquele momento? Perguntei isso para Deus. Ele ainda não me respondeu.

Acho que “Amar o próximo como a ti mesmo” seria uma resposta plausível... mas será mesmo que tenho que amar... ou só procurar entender, me colocar no lugar dele... Mas como? Como entender três assassinatos tão violentos?

Os policiais me perguntaram qual seria a tese de defesa? Respondi:  Não serei eu quem fará a defesa dele. Estou apenas acompanhando o flagrante. Provavelmente, diante da confissão e das provas colhidas durante a instrução, a se confirmar, o(a) Defensor(a) por dever de ofício e com ética fará a melhor defesa possível, tentando excluir qualificadoras.

Sem entrar no mérito desse caso, penso que relacionamentos doentios, destrutivos e perturbados devem causar desequilíbrios entre os envolvidos.

Acho que tanto o homem como a mulher precisa de apoio familiar e ajuda de um profissional da área de psicologia quando termina um relacionamento conturbado.

Perguntado à Madre Tereza de Calcutá durante a entrega do Prêmio Nobel da Paz em 1979: o que fazer para promover a paz mundial? Ela respondeu: “Vá para casa e ame sua família”.

Ame sua família, não queira simplesmente tê-la sob seu domínio e controle. Isso vale para os dois pólos de uma relação.


Tânia Regina de Matos
Defensora Pública do Estado de Mato Grosso
Defensora da Vara da Violência Doméstica de Várzea Grande
Atuando na defesa da vítima



terça-feira, 9 de outubro de 2012

Comunidades terapêuticas, clínicas ou centros de recuperação?

Algumas pessoas precisam comer demais, amar demais, beber demais, jogar demais, gastar demais, se drogar demais ou praticar sexo demais para serem felizes, são as chamadas doenças de comportamento ou dependências.

Qual o melhor tratamento para essas doenças?
 
Não há uma resposta exata para essa pergunta, pois, cada organismo reage de forma diferente aos diferentes tratamentos oferecidos.Tudo dependerá de cada um, pois, somos seres únicos e individuais.

Há pessoas que conseguem controlar sua doença frequentando grupos de apoio.

As comunidades terapêuticas são entidades públicas ou privadas que têm por objetivo recuperar dependentes químicos através de um programa, que invariavelmente segue os 12 passos de alcoólicos anônimos. 
Conheci há três anos um desses centros, a comunidade Vida Serena, que fica na estrada que vai para Jangada, MT. Não havia luxo. Era apenas uma associação sem fins lucrativos disposta a acolher pessoas que desejavam deixar as drogas.
As comunidades terapêuticas enxergam o indivíduo como uma vítima, incapaz de se controlar diante da droga. Entendem que o adicto está doente e defendem vigorosamente a abstinência como único objetivo aceitável de tratamento.O compromisso com a abstinência entretanto, não é considerado uma cura, já que qualquer retorno ao uso/abuso da droga/álcool desencadeia a doença latente. Assim, o programa de tratamento é baseado em mudanças de comportamento, melhor estilo de vida e abstinência total de qualquer droga.

Ontem encontrei um advogado muito respeitado na minha cidade que conheceu uma dessas comunidades: Valor da Vida e forneceu-me boas referências a respeito do local.
Nem todo mundo tem condições de pagar uma mensalidade em torno de dois salários, por isso, costumo indicar outra comunidade que é dirigida por uma técnica em enfermagem que conheci pessoalmente chamada Dirce: 8423-2615, 9297-9481.
Se você está procurando por um lugar que possa tratar um familiar adicto, tenha paciência e fé. Deus lhe mostrará qual o melhor local.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

OUTUBRO ROSA





Confira a programação

Abertura

03/10/2012 (quarta-feira)
20h00
Iluminação em tons rosa Igreja Santuário Nossa Senhora Auxiliadora
Participação da Orquestra Sinfônicada UFMT , Escola de Violino do Colégio Salesiano São Gonçalo e Coral MTmamma

De 04 à 28/10/2012
10h00 às 22h00
Bazar Beneficente
Pantanal Shopping 

12/10/2012 (sexta-feira)
08h00
Uma caminhada em prol da saúde das mamas
Parque Mãe Bonifácia 
26/10/2012 (sexta-feira)
08h00 às 17h00
Um dia na praça em prol da saúde das mamas

 
*O dia 26.10 foi instituído o “Dia Estadual de Prevenção ao Câncer de Mama”, através da lei nº 9.757 de 19 de Junho de 2012.
Praça Alencastro- Centro de Cuiabá 
01/11/2012 (quinta-feira)
20h00 
4ª MACARROmamma - jantar com bazar beneficente
Cenarium Rural


PROGRAMAÇÃO PALESTRAS EDUCATIVAS

Dia/horário: 28/09 (sexta-feira) às 15 horas

Local: CEDIC/CEDILAB - Rua Barão de Melgaço, Centro 
Dia/horário: 09/10 (terça-feira) às 9 horas
Local: CRAS Dom Aquino -Rua Irmã Elvira Paris, s/n, Dom Aquino - Cuiabá/MT - Próximo à ROTAM

Dia/horário: 09/10 (terça-feira) às 14 horas
Local: Fórum Cível de Cuiabá (Centro Político Administrativo-CPA)
Apoio: OAB/MT
Dia/horário: 20/10 (sábado) às 9 horas
Local: Comunidade João Carro - Escritório Local Furnas (Empaer-MT/Chapada dos Guimarães) que fica a 60 km de Cuiabá e 40 km de Chapada.
Apoio: Empaer/MT
Dia/horário: 21/10 (domingo) às 18 horas
Local: Mesquita de Cuiabá (Rua Zulmira Canavarros, 09, B. Bandeirantes)

Dia/horário: 23/10 (terça-feira) às 9 horas
Local: Câmara Municipal de Vereadores - Cuiabá -MT

Dia/horário: 27/10 (sábado) às 9 horas
Local: Empresa MS Celular - Várzea Grande (Av. Filinto Muller, em frente ao Supermercado BIG Lar)