segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Grupo cuiabano Flor Ribeirinha se torna campeão mundial de folclore na Turquia



Estive em Istambul, na Turquia, em 11 de Julho para uma curta estadia. Gostei muito da cidade, da cultura, da gastronomia e do povo.

Fiquei super feliz em saber que o grupo de dança Flor Ribeirinha esteve em Istambul representando Mato Grosso e muito mais contente quando soube da vitória do grupo.

Com o espetáculo “Mato Grosso Dançando o Brasil”, o grupo Flor Ribeirinha, foi campeão no Festival Internacional de Arte e Cultura, na Turquia (18°Festival Buyukçekmece). O anúncio foi feito pelo secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo neste sábado (5) em sua página do Facebook. O grupo completa 24 anos de existência em 15 de setembro. Ele foi idealizado e é comandado por Domingas Leonor. 

O grupo apresentou também o Boi Bumbá, uma manifestação nascida em Parintins, que mostra a disputa entre os bois Garantido e Caprichoso. No final do espetáculo, o grupo dançou no ritmo do samba, oriundo do Rio de Janeiro, considerado uma das principais manifestações culturais brasileira.

A fundadora e presidente do Flor Ribeirinha, Domingas Leonor, antes de embarcar frisou que a viagem à Turquia está sendo possível devido à atuação no Festival de Cheonan World Dance, na Coreia do Sul, onde o grupo conquistou o vice-campeonato mundial. Como resultado da premiação, foi selecionado para o Festival da Turquia.

O festival começou em 26 de julho e segue até terça (8) e conta com a participação de 97 grupos de vários países.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

VOCÊ JÁ OUVIU FALAR DE REDE DE EDUCAÇÃO INTEGRAL?

A rede é um projeto piloto que acontece em Várzea Grande, MT e em São Luiz, no Maranhão simultaneamente apoiado pela Fundação Itaú e pelo CIEDS - Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável, uma Organização Não Governamental.

Uma das finalidades da Rede é potencializar o capital social e ampliar o acesso a diferentes formas de aprendizagens, além de conscientizar a população local de que políticas públicas são do município e voltadas para ela.

E o que eu tenho a ver com isso? Porque participar dessa rede?

Se sou educadora tenho acesso a capacitação profissional que me possibilita pensar a criança como sujeito de direitos, crio espaço para a aluna ou o aluno refletir sobre a escola, quando ajudo no alinhamento da ação entre escola e organização colaboro no aumento do rendimento escolar, havendo mais chances de aproximar da família e tê-la como parceira.

Se sou funcionária da Assistência ou da Saúde ou simplesmente pertenço a sociedade civil também recebo capacitação e ajudo na integração entre organizações e poder público, dando visibilidade ao trabalho da Escola, das ONGs, colaboro na garantia do cuidado da criança e partilho espírito de criatividade, saindo da zona de conforto, da posição de expectadora e passo a fazer parte da construção desse alicerce que é o fortalecimento da Educação Integral no município, que será a base para a transformação de uma comunidade, de um Estado, quiçá da nação, pois, como ensina Paulo Freire: "Educação não transforma o mundo. Educação muda pessoas. Pessoas transformam o mundo." 

A ONG LÍRIOS foi convidada a participar da formação dessa Rede. Algum tempo depois atendeu ao edital de chamamento da Fundação Itaú Social para execução de um projeto social, sagrando-se selecionada juntamente com outras entidades da sociedade civil.