sexta-feira, 25 de novembro de 2016

I ENCONTRO DO MOVIMENTO BEM ACOLHER

A Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social – SETAS/MT, juntamente com a Secretária Adjunta de Assistência Social – SAAS, através da Superintendência do Sistema Único de Assistência Social, vem por meio desta informar que entre os dias 29 de Novembro à 01 de Dezembro de 2016 ocorrerá o I Encontro do Movimento Bem Acolher, que será realizado no Município de Cuiabá – MT.


Este primeiro encontro abrangerá OS MUNICÍPIOS DO POLO DE VÁRZEA GRANDE – MT, SENDO ELES:


1. Acorizal;


2. Barão de Melgaço;


3. Chapada dos Guimarães;


4. Cuiabá;


5. Jangada;


6. Nossa Senhora do Livramento;


7. Nova Brasilândia;


8. Planalto da Serra;


9. Poconé;


10. Santo Antônio do Leverger;


11. Várzea Grande.


O Movimento Bem Acolher é um projeto da Gerência de Proteção Social de Alta Complexidade do SSUAS-MT, de execução continuada, que terá seu primeiro encontro realizado no Polo de Várzea Grande, com previsão dos próximos encontros em outros polos a partir de 2017. É fruto das demandas identificadas a partir da realidade dos municípios de Mato Grosso sobre os serviços de acolhimento para crianças e adolescentes, tendo como objetivo promover a qualidade no cuidado de crianças e adolescentes tanto nos serviços de acolhimento como na sociedade e na família favorecendo o desenvolvimento de suas potencialidades. 


O evento possuirá dois momentos, sendo eles:


29/11 – Abertura do Movimento Bem Acolher (voltada aos trabalhadores do SUAS e do Judiciário de todos os polos)


30/11 à 01/12 – Oficinas temáticas voltadas aos trabalhadores do SUAS e do Judiciárioque atuam nos Serviços de Acolhimento para Crianças e Adolescentes do polo de Várzea Grande, sendo eles: 


· Equipe Técnica do Serviço de Acolhimento;


· Coordenadores dos Serviços de Acolhimento;


· Cuidadores; 


· Equipe Técnica de Referência do CREAS; 


· Equipe Técnica do Judiciário e;


· Caso o Município não possua o Serviço de Acolhimento para Crianças e Adolescentes e também não possua CREAS, poderá ser encaminhado um Técnico da Gestão. 




INSCRIÇÕES


As inscrições deverão ser realizadas até o dia 17 de novembro. Considerando os dois momentos do evento haverá 2 formulários de inscrição, sendo eles divididos da seguinte forma:


1. Para participação na abertura, clique no link: https://goo.gl/forms/mggLkK64hz4A7GiB3


2. Para participação nas oficinas, clique no link: https://goo.gl/forms/sRQPt8iS3csZiMF33


Informamos ainda, que os links estarão disponíveis no blog: http://capacitasuasmatogrosso.blogspot.com.br/


Segue em anexo a Programação das oficinas temáticas. Posteriormente encaminharemos o local do evento nos e-mails cadastrados através da Inscrição. 


Nestes termos, renovamos votos de estima e consideração e nos colocamos à disposição para eventuais dúvidas através de contatos telefônicos (65) 3613-5731/ 3613-5792 e/ou pelo endereço eletrônico e-mail:protecaoespecial@setas.mt.gov.br

Atenciosamente,

Equipe da Proteção Social Especial de Alta Complexidade - SETAS/MT

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

"16 dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres" em Mato Grosso!

“16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres”: Uma vida sem violências é um direito das mulheres.
A construção social das relações de gênero tem se dado de forma a determinar a existência e a reprodução dos papéis masculino e feminino. Estes papéis têm atribuído às mulheres e aos homens, posições sociais excludentes e hierarquizadas. Ainda que a mulher tenha conquistado avanços significativos no campo dos direitos, persiste ainda como uma categoria social excluída, exigindo assim, o reconhecimento do problema como um problema de todos e, portanto, do Estado. Entretanto, compreendemos que o fenômeno da violência contra à mulher no Brasil, ainda se constitui enquanto entrave no que tange sua erradicação, enfrentamento e ou combate.
Ainda que, o quadro jurídico seja possível verificar algumas mudanças com as leis 11.340 de Agosto de 2006 (Lei Maria da Penha) e a Lei 13.104/2015 (Lei do Feminicídio), não há alteração significativa na manifestação do fenômeno violência contra mulher. O Mapa da Violência de 2015, demonstra que entre 2003 e 2013 (uma década) o número de vítimas do sexo feminino aumentou de 3.937 para 4.762, ou seja, mais de 21%. Quando se vincula a identidade de gênero à raça etnia, o Mapa também mostra que a taxa de assassinatos de mulheres negras aumentou 54% em dez anos, passando de 1.864, em 2003, para 2.875, em 2013. Porém, no mesmo período o número de homicídios de mulheres brancas diminuiu 9,8%, caindo de 1.747, em 2003, para 1.576, em 2013, o que, nos faz crer que, como as mulheres brancas detém um maior poder aquisitivo estão menos propensas a exposição da violência, também que a violência contra mulheres negras integra múltiplas discriminações e desigualdade.
De acordo, com a pesquisa no Brasil, 55,3% de crimes contra mulheres são cometidos no ambiente doméstico, e em 33,2% dos casos de homicídios, os principais suspeitos são parceiros ou ex-parceiros das vítimas, o que demostra que a construção/atribuição dos papeis de gênero não só da poder aos homens (machos) no espaço público, acima de tudo no espaço doméstico e que neste, midiaticamente, social, cultural e educacionalmente inscreve-se o senso comum , em que predomina a ideia de que é preciso conhecer o simples para, posteriormente, poder compreender o complexo, ou seja, de que as mulheres apanham porque querem, precisam e ou gostam!


Desta forma, nós mulheres dos coletivos da CUT, NUEPOM/UFMT, Sindicato dos/as bancários/as, SINTEP, Coletivo Classista Feminista Ana Montenegro, Lírios, Fórum de Mulheres de Mato Grosso,  Centro Memória Viva, GPHEG, Conselho Estadual de Direitos da Mulher, Fórum de Mulheres Negras, Comissão Pastoral da Terra, IBRAT, Coletivo de Saúde Mental, IMUNE, IRPAMDEQ, Associação de Mulheres do Jardim Vitória, Conclamamos a todas as mulheres de Mato Grosso a se juntar a nós nas ações do Projeto “16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres” 

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA





 “Na casa comum a luta profética pela vida pelo não preconceito pela não exclusão”.

Para marcar a passagem do Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro, data da morte de Zumbi dos Palmares, símbolo da resistência negra, as Paróquias do Setor V, da Arquidiocese de Cuiabá: Sagrada Família, Nossa Senhora do Rosário e São Benedito, Divino Espírito Santo e Coração Imaculado de Maria, irão realizar a 12ª Celebração da Consciência. Uma celebração festejando o jeito e o gingado misturado com fé a cultura do povo afro-brasileiro! O evento religioso será às 19h, do próximo dia 19, na Nossa Senhora do Rosário e são Benedito, no Moro da Luz centro. A partir da música, da dança, do Salmo e da Palavra a serem exaltadas por ocasião do evento, as Paróquias pretendem ressaltar a força de um povo e de uma raça que fazem parte da história da busca de libertação. 

A celebração é também para dar aleluia por todas as lutas pela vida e pela resistência de tantas pessoas que se organizam para superar as desigualdades sociais e que lutam pelos direitos fundamentais de pessoa humana. O tema deste ano da celebração é: “No rosto dos oprimidos, a força do Cristo Libertador”.

Venha celebrar conosco! E traga sua partilha de comidas típicas!