sábado, 15 de agosto de 2015

DESTINO LITORAL DE UBATUBA, PARATY, ANGRA DOS REIS, parte final

Finalmente chegou a hora de deixarmos a pousada em Paraty e partirmos para Angra!
Nos aventuramos num ônibus de linha e foi complicado, pois, não somos mochileiros, viajamos com malas...
A pousada RIO BRACUHY ficava 24 quilometros antes de Angra, portanto, tivemos que arrastar as malas por cima de uma passarela (ainda bem que havia uma)!
Muito aconchegante mas...só fique nela se você estiver de carro ou for disposto a enfrentar busão. A parada de ônibus fica a uns 300 metros da pousada. Não há táxi por perto. Existe um senhor que atende aos hóspedes da pousada.
Chegamos às 13h30 e almoçamos na própria pousada que é restaurante também.
Depois tomamos um ônibus para conhecer Angra que se divide em dois extremos: a cidade no morro e a cidade no mar.
No dia seguinte José Antônio, um funcionário da Pousada que estava de folga nos serviu de guia e nos levou até um Quilombo que fica próximo dali.


Logo após tomamos um ônibus e descemos próximo a um lugar na estrada que dá acesso a uma vista da Usina de Angra para fotografarmos.

Depois mais uma caminhada para chegarmos ao Bar do Bigode, um restaurante com uma visão panorâmica da praia Secreta. Fomos bem recebidos pela dona Fátima, Tatiana e seu Bigode. Água morninha! Inacreditável né? Mas é verdade! A água passa por dentro de um cano para resfriar a usina de Angra e volta para o mar. Não! Não há perigo de radiação, pois, não há contato da água com a Usina.



Terminado esse passeio maravilhoso, fomos ao shopping Piratas, em Angra para jantarmos e retornarmos ao hotel. No dia seguinte encerramos a nossa estada com um passeio de escuna onde passamos por frente da Ilha de Ivo Pitanguy e outros lugares paradisíacos como a Lagoa Azul e a Ilha dos Dois Amores.

 
 


A paisagem da estrada de Angra dos Reis é maravilhosa! Vale a pena fazer esse passeio!

sábado, 8 de agosto de 2015

DESTINO LITORAL DE UBATUBA, PARATY, ANGRA DOS REIS, Parte II

A viagem seguiu para Paraty, às 12h00, pouco antes de encerrar o "check out" da pousada, pegamos um táxi para a rodoviária e tomamos um ônibus interestadual, que custou em torno de R$ 9,00 cada passagem.
Muito bonita a paisagem. Chegamos por volta das 13h30, ou seja, pouco antes de começar o check in da pousada Konquista. Um dos pontos fortes dessa hospedagem sem dúvida nenhuma é a localização, próxima a rodoviária (tanto que o próprio taxista nos avisou que não valia a pena pagar pela corrida) e do centro histórico, além de servir um delicioso café às 16h.


Por recomendação da mineira Ana, funcionária do hotel, tomamos um ônibus de linha ao custo de R$ 3,30 e fomos à Trindade, distrito próximo a Paraty para conhecer as praias do Meio, Caixa D'Aço e outras. 


À noite nada melhor que um passeio pelo centro histórico de Paraty além de um bom jantar. Quando voltamos a pousada para ir ao banheiro, conforme disse no começo, que fica muito próxima aos restaurantes e outros atrativos, o meu filho de 11 anos preferiu ficar na pousada, que possui câmeras de segurança e recepcionista, o que nos deixou bastante tranquilos para retornarmos ao centro histórico e conhecer o Quintal das Letras, um restaurante para curtir a dois.


 O "Bacalhau pensado na cama" e um pout pourri de sobremesas fechou a noite.

No dia seguinte a indicação da Ana foi fazer um passeio de Jipe pelas cachoeiras e realmente foi ótima a sugestão. Conhecemos Poço do Tarzan, Cachoeira do Tobogã, duas cachaçarias: Paratiana e Pedra Branca, além da Igreja da Penha, na Serra da Bocaina.



     Não desanimando, mas a água é gelada!

Rumo a Angra dos Reis, até a próxima postagem!!!

sábado, 1 de agosto de 2015

DESTINO LITORAL DE UBATUBA, PARATY E ANGRA DOS REIS, Parte I

Passei dez dias viajando com meu filho e marido por esses lugares que foram surpreendentes!

Embarcamos no dia 06 de julho em Várzea Grande com destino a Garulhos. Vou relatar um pequeno probleminha que tivemos com as nossas passagens que é muito importante você saber, pois, pode acontecer com qualquer um que viaja com milhas.

Havíamos trocado as nossas por bilhetes cujo destino final seria Santos Dumont. Só que depois de consolidada a aquisição vimos que não valeria a pena descer em Garulhos, pegar um ônibus com um monte de malas para embarcar em Congonhas a fim de chegar no aeroporto carioca. Então, decidimos desembarcar em Garulhos pegar um ônibus da viação Pássaro Marron e contemplar por via terrestre o litoral paulista.

Por desencargo de consciência decidimos ir ao balcão da TAM avisar que não iríamos mais para o aeroporto de Santos Dumont, pois, estávamos com as malas.

Nessa hora fomos avisados pelas atendentes da empresa aérea de que perderíamos as passagens de volta, já que se não embarcássemos em Congonhas, o sistema automaticamente suspenderia os bilhetes de retorno, interpretando como se não tivéssemos partido. Depois de muita conversa, de quase termos perdido o ônibus cujas passagens havíamos comprado pela Internet e de termos aceitado comprar novos bilhetes para voltarmos ao local de origem, as atendentes nos encaixaram num voo via Brasília, pois, a princípio voltaríamos por São Paulo, mas este voo, para a nossa sorte foi cancelado.

Então nossa aventura começou às 9h00 num ônibus que sai do aeroporto de Garulhos e nos entrega em Ubatuba às 13h30. O check in da pousada começava às 14h00. Ficamos na Pousada O Flautista, que é extremamente simples, mas muito bem localizada. A proprietária da hospedaria é sergipana e muito acolhedora.


Tentamos fazer o passeio a Ilha de Anchieta e não conseguimos pois nessa época a procura por barcos estava em baixa e não conseguiam formar grupos com número suficiente de passageiros. Chegamos numa segunda e não nos informamos nesse dia a respeito.

Na terça pela manhã fomos até a Praia da Enseada e depois até o Saco da Ribeira, de onde saem outras embarcações e ficamos frustrados, pois, às quartas o Parque Estadual da Ilha de Anchieta não abre e assim o "trade turístico" fica de folga nesse dia da semana.

Então, na volta do Saco da Ribeira, já que estávamos de táxi e teríamos que pagar a volta, viemos parando nas praias que antecedem a cidade de Ubatuba (Perequê, Toninhas, Tenório, Praia Grande) e também fizemos um "pit stop" no Mirante.



Acabamos assistindo ao I Festival de Inverno de Ubatuba, com show de rock. Bandas locais fizeram apresentações suas e de outras conhecidas internacionalmente.


Para não perder o dia de quarta fomos até Prumirim e ficamos na barraca Cantinho da Lagoa.

 Praia do Tenório.

 Praia Grande.

 Praia Perequê Mirim.


Esta delícia você encontra no Tachão de Ubatuba: sorvete de forno! Composto de salada de frutas, sorvete a sua escolha e coberto com chantily, que vai ao forno. Dica da Luísa, casada com o Fernando, que encontramos na praia de Prumirim.

Em outra postagem, conto sobre Paraty e Angra do Reis.

sábado, 25 de julho de 2015

TRÊS MATOGROSSENSES DESPONTAM NO ESPORTE INTERNACIONAL

O judoca cuiabano David Moura em 13 segundos (tempo oficial divulgado pela organização) conquistou a medalha de ouro na categoria acima dos 100 kg, nos Jogos Pan-Americanos de 2015, que acontecem em Toronto, Canadá. Uma das vitórias mais rápidas, principalmente em Jogos Pan-Americanos. O equatoriano não teve tempo de reação e acabou ficando com a prata. A final aconteceu na noite do dia 14 de Julho.



Com apenas 19 anos, Ana Sátila, representante do município de Primavera do Leste (MT), já é o grande nome do Brasil na canoagem. Ganhou duas medalhas nos Jogos Pan-Americanos de Toronto no último domingo (19): uma de ouro na categoria C1 (canoa) e uma de prata na prova do K1 (caiaque) da canoagem slalom. De quebra, esta foi a primeira vez que uma mulher brasileira medalhou na canoagem em edições do Pan. 


A jogadora mato-grossense Ana Vitória sagrou-se campeã com a Seleção Brasileira Feminina Sub-17 do Torneio Internacional de São Paulo, disputado na capital paulista. Na decisão, as brasileiras enfrentaram o Paraguai e após o empate em 1 a 1 no tempo normal, com gol de Ana Vitória, o título foi decidido na disputa de pênaltis. Nas penalidades, o Brasil venceu por 3 a 1 com a camisa 10 mato-grossense convertendo a última cobrança.


E aí será que não está na hora de valorizarem mais os nossos atletas?

sábado, 18 de julho de 2015

Cassada decisão que absolveu agressor após vítima de violência doméstica desistir da ação

O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal (STF), julgou procedente Reclamação (RCL 19525) para cassar acórdão do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) que, em razão do desinteresse da vítima no prosseguimento da ação penal, manteve a absolvição de um homem acusado de agredir a companheira. De acordo com o ministro, o Supremo já decidiu, no julgamento da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 4424, que a ação penal relativa a violência doméstica contra a mulher tem natureza pública incondicionada.
O Ministério Público gaúcho (MP-RS) formalizou ação penal contra o acusado de agredir fisicamente a companheira, no interior do Rio Grande do Sul. De acordo com os autos, a vítima ofereceu representação contra o agressor perante a autoridade policial e requereu medidas protetivas de segurança. Um ano e meio após o ocorrido, a vítima voltou a morar com o agressor. Em audiência perante o juiz, a mulher mostrou desinteresse em manter o processo contra o companheiro. Ela chegou a confirmar as agressões, mas ressaltou a mudança de comportamento do réu, que teria largado o vício do álcool, um dos motivos da agressão.
O juízo de primeira instância absolveu o réu, decisão que foi mantida pelo TJ-RS ao julgar apelação do Ministério Público. De acordo com a corte estadual, “em que pese tenha a vítima ofertado representação contra o réu junto à autoridade policial e pedido medidas protetivas, o que se denota é que esta, transcorrido um ano e meio do fato, voltou a residir com o réu”. O tribunal gaúcho ressaltou ainda a intenção da vítima em manter o vínculo familiar, com retorno voluntário ao lar conjugal após o fato.
Na reclamação ao STF, o MP gaúcho sustentou que, ao extinguir o processo criminal em virtude da manifestação de desinteresse da vítima, a Justiça estadual teria conferido à Lei Maria da Penha interpretação diversa da adotada pelo STF no julgamento da ADI 4424. Para o MP, eventual retratação da vítima ou perdão ao agressor seria irrelevante, diante da natureza pública incondicionada da ação penal no caso.
Em sua decisão*, o ministro Marco Aurélio afirmou que o motivo da absolvição foi o desinteresse da vítima na persecução penal do ofensor e que, apesar de o juízo também haver aludido ao decurso do tempo, partiu de premissa segundo a qual a ação penal, no caso, seria de natureza pública condicionada à representação da vítima. Para o ministro, esse entendimento contraria frontalmente o que decidido pelo Supremo na ADI 4424, na qual a Corte afirmou que a ação penal relativa a lesão corporal resultante de violência doméstica contra a mulher tem natureza de ação pública incondicionada.
Com esses fundamentos, o ministro julgou procedente a RCL para cassar o acórdão da Primeira Câmara Criminal do TJ-RS.

sábado, 11 de julho de 2015

MODELO DE ATA DE FUNDAÇÃO, APROVAÇÃO, ELEIÇÃO E POSSE DE DIRETORIA DE COMUNIDADE TERAPÊUTICA

ATA DE FUNDAÇÃO, APROVAÇÃO DO ESTATUTO, ELEIÇÃO E POSSE DA PRIMEIRA DIRETORIA DA CT

Às nove horas do dia 29 de abril de 2015 na (endereço completo), conforme assinaturas constantes desta ata, foi oficialmente aberta a Assembleia Geral da Comunidade Terapêutica (         ) , com sede social na (endereço completo) , deu início em primeira convocação a reunião de fundação, aprovação do estatuto, eleição e posse da primeira diretoria. Foram convidados a participar fulanos. Os presentes elegeram para presidir os trabalhos      e para secretariar   . Agradecendo sua indicação, a presidente dos trabalhos apresentou a pauta do dia. Iniciaram-se os debates sobre a proposta de estatuto e do regimento interno. Depois de analisadas e modificadas, as propostas foram aprovadas por unanimidade. De acordo com o Estatuto Social, todos os presentes a esta Assembleia são considerados sócios fundadores e, portanto, membros natos da Assembleia Geral de Sócios. Passou-se ao próximo ponto de pauta: eleição do Conselho Diretor e do Conselho Fiscal. Após o tempo necessário para inscrição de chapas e candidatos, foi iniciada a votação como determina o Estatuto. Foram eleitos para o Conselho Diretor, com mandato de 2 anos ou seja do dia 29 de Abril de 2015 a 29 de Abril de 2017, como  Presidente: , brasileira, convivente, servidora pública, portadora do RG e CPF , residente na rua , vice-presidente:  1.º tesoureira:  2.º tesoureiro:  1.º secretário:  2.ª secretária:  Conselho Fiscal: titulares: 1. 2.   3.  suplentes: 1. 2. 3.  Foi dado posse aos novos integrantes e passou-se a palavra para a presidente que fez sua explanação acerca dos trabalhos que serão desenvolvidos e secretário passou a redigir a ata. A presidente então leu todo o estatuto bem como o regimento interno que foram aprovadas por unanimidade. Nada mais havendo para tratar, eu,           , redigi, encerrei e assinei. Chapa eleita e respectivos cargos com assinaturas: