sexta-feira, 24 de abril de 2015

Poema do erro

Errei!
Errei como filha, errei como irmã, errei como cunhada,
errei como amiga, errei como tia, errei como namorada, 
errei como esposa, errei como nora, errei como mãe, 
errei como profissional, errei como motorista, errei cozinheira,
errei como vizinha, errei como como conselheira...
Quem nunca errou que atire a primeira pedra.
Se você me conhece, procure saber qual o motivo que me levou a errar.
Por favor não me julgue, tente me entender.
Se não me conhece e não concorda com alguma atitude que eu tomei, 
com algo que eu escrevi ou falei,
faça um pequeno esforço para se colocar em meu lugar.
Não pense que por eu ter me posicionado contra sua ideia uma vez,
serei sempre sua opositora.
Posso rever meu conceito e mudar de opinião a respeito.
Pensamentos e sentimentos fazem parte de nós, 
e às vezes eles se transformam conforme as nossas emoções.
Aprendi que há erros que se pode reparar,
mas outros, que por mais que você se arrependa
não há como consertá-los.

Aprendi que o mal é a ausência do bem.
Há várias formas de você fazer o bem, mas só há uma forma de você não errar.
Uma das principais formas de fazer o bem é você sair da sua zona de conforto.
Para você praticar o bem, você precisa agir e quem muito age tem mais chances de errar...
A única forma de você não errar é cruzar os braços e ficar criticando o que os outros fazem. 
E se o preço para não errar for a omissão, prefiro continuar errando...e me desculpando.

Desculpa se eu errei com você!

quarta-feira, 22 de abril de 2015

10.ª EDIÇÃO DO BOOKCROSSING BLOGUEIRO

Então, todos os anos eu participo e este não poderia ser diferente. Já libertei livros no aeroporto, na cadeia pública e no albergue da minha cidade, em uma comunidade terapêutica e não havia libertado  ainda no meu trabalho.




Decidi então, libertar "Essa história está diferente, dez contos para canções de Chico Buarque", uma obra coletiva que contém textos de vários autores, organizado por Ronaldo Bressane, na recepção da Defensoria Pública.



quarta-feira, 15 de abril de 2015

TRÁFICO DE PESSOAS PARA EXPLORAÇÃO SEXUAL

PF investigou 374 casos de tráfico de pessoas para exploração sexual desde 2010

30/03/2015 - 09h56

O V Simpósio Internacional para o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas, marcado para os dias 16 e 17 de abril, em Fortaleza/CE, vai discutir o combate a quadrilhas que exploram 2,4 milhões de pessoas em todo o mundo e lucram US$ 32 milhões por ano, segundo dados do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). No Brasil, a atuação desses grupos criminosos levou a Polícia Federal a abrir, de janeiro de 2010 a março deste ano, 374 inquéritos para investigar o tráfico doméstico e internacional de pessoas para fins de exploração sexual, sendo que 35 deles foram instaurados neste ano. Os interessados em participar do evento podem se inscrever até o dia 8 de abril por meio do Portal CNJ.
"A quinta edição do Simpósio Internacional, organizado pelo CNJ, consolida a importância para que o sistema de Justiça cada vez mais se envolva com medidas estratégicas para o enfrentamento ao tráfico de pessoas, renovando o compromisso institucional do Poder Judiciário de aplicar as leis com maior celeridade e segurança para uma definição de possíveis responsabilidades em prazo razoável", afirmou o conselheiro do CNJ Guilherme Calmon, coordenador-geral do simpósio. A coordenação científica está a cargo do juiz de direito Rinaldo Aparecido Barros, do Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO).
O simpósio será realizado na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região (TRT7), parceiro da iniciativa. Será um espaço de discussão entre os agentes que lidam com o problema e também de reforço de sua capacitação profissional. Ao todo, são oferecidas 200 vagas para o evento, assim distribuídas: 80 para magistrados dos Tribunais Regionais Federais, Tribunais Regionais do Trabalho e Tribunais de Justiça; e 120 para membros do Ministério Público, representantes do Ministério da Justiça, advogados públicos (Defensoria Pública da União, dos estados e Advocacia-Geral da União), auditores fiscais do Trabalho, polícias Judiciária e Administrativa, secretarias de Educação e da Saúde e Rede de Atendimento às Vítimas.
Escravidão - O combate ao tráfico de pessoas está nas agendas de governos e agências internacionais de todo o mundo. Segundo as Nações Unidas, 80% das vítimas são exploradas como escravas sexuais. O tráfico também está relacionado à doação involuntária de órgãos, casamentos forçados, servidão doméstica, mendicância forçada, trabalho escravo e imigração ilegal.
Na opinião do conselheiro Guilherme Calmon, “ainda há grande dificuldade na identificação e investigação dos casos relacionados ao tráfico de pessoas, sendo importante também a alteração da lei brasileira a respeito do tema”. A questão será abordada no simpósio. Calmon comemorou a aprovação, pela Câmara dos Deputados, em fevereiro, do Projeto de Lei n. 7.370/2014, que endurece a legislação sobre esse tipo de crime. Uma das principais mudanças é que passarão a ser consideradas atividades de tráfico de pessoas a adoção ilegal, a remoção de órgãos e o trabalho escravo. Na legislação atual, essa tipificação ocorre apenas quando há exploração sexual. O projeto de lei ainda depende da aprovação do Senado Federal. 
Sobre o tráfico de pessoas para fins de exploração sexual, alvo dos 374 inquéritos instaurados pela PF desde 2010, foram deflagradas operações em diferentes estados e também no exterior. Em 24 de outubro de 2013, por exemplo, cinco pessoas foram presas em São Paulo, acusadas de pertencer a uma quadrilha que traficava mulheres brasileiras para Angola, na África. Nessa mesma operação, batizada como Garina, a Justiça Federal decretou a prisão de dois estrangeiros que se encontravam fora do País. Seus nomes foram incluídos na lista mundial de procurados pela Interpol, a polícia internacional.
Aliciamento - Segundo a Polícia Federal (PF), a Operação Garina durou um ano, com a obtenção de provas de que as vítimas eram aliciadas pelos criminosos em casas noturnas paulistanas, mediante promessa de pagamento de US$ 10 mil dólares, para se prostituírem em Angola pelo período de uma semana. Além disso, brasileiras receberam até US$ 100 mil para se relacionar sexualmente com um rico empresário e ex-parlamentar angolano, conforme o inquérito. A PF apurou indícios de que parte das vítimas foi privada de sua liberdade no exterior e obrigada a manter relações sexuais sem preservativos com clientes estrangeiros. Para essas vítimas, os criminosos ofereciam um falso coquetel de drogas anti-AIDS, segundo a investigação.
Outra operação, batizada como Planeta, foi deflagrada pela PF em 30 de janeiro de 2013 em parceria com o Corpo Nacional de Polícia da Espanha. As ações ocorreram simultaneamente nos dois países, com a prisão de duas pessoas no Brasil. Em território espanhol, também houve prisões, além do fechamento de duas casas de prostituição.
Já em relação à imigração ilegal, essa modalidade de tráfico de pessoas também foi alvo das operações da PF. Uma delas, batizada de Coiote, foi realizada em 10 de fevereiro deste ano, quando cinco pessoas foram presas em Goiás e Minas Gerais, suspeitas de integrar uma quadrilha que levou 150 brasileiros para os Estados Unidos da América e movimentou R$ 3,5 milhões. A operação envolveu 200 policiais e contou com o apoio da Interpol.
Ligue 180 - No Brasil, também a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República atua contra esse tipo de crime. Por meio da central telefônica Ligue 180, o órgão registrou, em 2012, um total de 58 denúncias de tráfico interno e internacional de mulheres. Em 2013, o número de comunicações subiu para 340. No ano passado, caiu para 140.
O Ligue 180, ou Central de Atendimento à Mulher, funciona 24 horas por dia, em todos os dias da semana, inclusive sábados, domingos e feriados. O serviço realiza atendimentos variados: informações, reclamações, elogios, sugestões, serviços e relatos de violência, incluindo o tráfico de mulheres. Semestralmente, são lançados relatórios com o consolidado de informações sobre os atendimentos realizados no período. Desde 2008, são realizadas capacitações periódicas com as atendentes da central.
Em março deste ano, o Ligue 180 teve sua estrutura ampliada para aprimorar o atendimento no Brasil. No mesmo mês, também houve a implantação do serviço em 13 países, de onde as vítimas poderão ligar e ser atendidas: França, Estados Unidos, Inglaterra, Noruega, Guiana Francesa, Argentina, Uruguai, Paraguai, Holanda, Suíça, Venezuela, Bélgica e Luxemburgo. A implantação já havia ocorrido na Espanha, em Portugal e na Itália. Todos esses países foram escolhidos por já terem abrigado brasileiras vítimas do tráfico internacional de pessoas. As instruções para a utilização do serviço estão no site da Secretaria de Políticas para as Mulheres.

Jorge Vasconcellos
Agência CNJ de Notícias

sábado, 11 de abril de 2015

DO LOLLAPALOOZA AO CONCERTO DA ORQUESTRA SINFÔNICA DE MATO GROSSO


Pois é, estive lá em Interlagos, dias 28 e 29 de Março para ver os grandes nomes do rock nacional e internacional.

Quando meu marido soube que Robert Plant, o lendário vocalista do Led Zeppelin estaria no Brasil sentenciou: nós vamos!!! Pensei: ui! Eu também?! 

Ingressos comprados, milhas trocadas por passagens, reserva  no Ibis  do Morumbi, feita por um primo que já havia ido no festival passado e conhecia "os esquemas". Embarcamos dia 27 no final da tarde.

Conseguimos assegurar o quarto porque ligamos no dia reforçando que chegaríamos em São Paulo para dormir, pois, as reservas caem automaticamente às 18h00.

Chegamos de táxi e logo avistamos uma multidão de adolescentes aglomerados na porta do hotel conversando sobre quais os shows valeriam mais a pena assistir. Sem dúvida nenhuma éramos os tiozinhos do rock... 

O quarto para casal é minúsculo, mas sem dúvida alguma o ponto forte da hospedagem é a localização: quase de frente a dois shoppings centers, próximo de uma estação do metrô e pouco distante do aeroporto de Congonhas.

Para quem já passou dos 4.0 e quer praticidade e tranquilidade na hora de dormir é a melhor sugestão.
No primeiro dia fomos para o autódromo por volta das 17h00, pois, Robert Plant começaria a tocar por volta das 18h00. 

Conseguimos chegar pouco antes do horário e vimos o espetáculo inteiro hipnotizados de tal forma que levaram o celular do meu marido que estava no bolso lateral de sua bermuda. Enquanto Robert cantava "What is and what should never be" meu marido o filmava com uma máquina Sony e nesse momento foi surpreendido por dois roqueiros que encostaram nele. Mais do que depressa segurou o bolso traseiro onde estava a carteira e se descuidou do bolso lateral próximo ao joelho. Foi aí que os espertalhões se aproveitaram e levaram o aparelho recém comprado com várias fotos e filmagens, que só não se perderam em razão do recurso "nuvem" estar ativado.

Faltou banheiros químicos! Por causa do tumulto formado próximo à fila dos banheiros é que meu marido teve esse prejuízo. Estávamos ali aguardando para usar uma das unidades.

Faltaram acomodações para fazer as refeições. Tudo bem que muitos jovens comem de pé, sentados no chão, mas a grande maioria estava a procura de mesas e cadeiras para saborear seus pratos.

No primeiro dia o que valeu foi Robert Plant, na sequência Jack White se apresentou...

No segundo e último dia chegamos por volta do mesmo horário: vimos um pouco do show da Pitty, o espetáculo de iluminação do Calvin Harris e nossa participação encerrou com o show do Smashing Pumpkins.


Voltei de viagem com uma virose de não poder sair de casa.





O rock é excitante, estimulante, envolvente, energizante e diria muito mais... só que doze dias depois assisti a um concerto com Flávio Venturini (vocalista do 14 Bis) e a Orquestra Sinfônica de Mato Grosso e digo que a boa música é para bons ouvidos! O concerto alegrou a minha alma! Não importa o ritmo, o que importa é o que você sente quando absorve a música.

sexta-feira, 10 de abril de 2015

Agressor da lei Maria da Penha será monitorado pela tornozeleira e botão do pânico

A corregedora-geral da Justiça, desembargadora Maria Erotides Kneip, assinou na tarde do dia 30 de março, o Provimento nº. 7/2015–CGJ que regulamenta o monitoramento eletrônico do agressor de violência doméstica e familiar contra a mulher e seus familiares, bem como utilização do botão de alerta pelas vítimas. Esse ato encerra a programação da campanha Justiça pela Paz em Casa em Mato Grosso, realizada com objetivo de promover atividades voltadas à pacificação social, com foco na paz dentro dos lares e no combate à violência doméstica.
“O Judiciário tem a missão de levar a paz para as famílias e procedimentos normativos como esse nos auxiliam a cumprir com a nossa função. O uso das tornozeleiras eletrônicas aliado ao botão de alerta vai realmente salvar vidas”, afirmou a desembargadora Maria Erotides. A corregedora salienta que a medida será adotada em situações necessárias e que não caiba prisão do agressor. “O uso dos equipamentos evita que a pessoa seja presa desnecessariamente. Além disso, não priva o agressor de poder trabalhar, ter uma renda e, ao mesmo tempo, garante a segurança da vítima”.
Maria Erotides explica que o botão de alerta dispara caso vítima e agressor se aproximem, e a central de monitoramento faz contato com os dois para que se distanciem. “O alerta funciona a partir da aproximação entre eles, independentemente da vontade da vítima. Caso o agressor insista, ele será encaminhado à presença da autoridade policial e, dependendo da circunstância, perderá a liberdade”, relatou.
O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Paulo da Cunha, reitera a importância de investir no uso das tornozeleira. “O monitoramento eletrônico apresenta resultados positivos e por isso é importante investir nessa boa prática que, segundo dados do núcleo de execuções penais, apresenta um índice de reincidência de 1,5%. Esse número nos incentiva a continuar”, observa.
Para a vice-presidente do TJ-MT, desembargadora Clarice Claudino da Silva, a assinatura do provimento representa um marco. “A iniciativa tem um peso especial e esse momento tem que ser muito comemorado por nós mulheres. É bom saber que muitas mulheres poderão fazer uso desse instrumento e se libertar da subjugação que é tão penosa”, defendeu a magistrada, acrescentando que, apesar de haver leis específicas, os índices de homicídio e violência contra a mulher ainda são preocupantes.
“Essa ferramenta tecnológica chegou para ficar e precisamos ter isso como uma prática rotineira, uma medida de política criminal que incentive a otimização da utilização das vagas do sistema prisional”, finalizou o secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh), Márcio Frederico de Oliveira Dorilêo, destacando a integração entre os poderes para atender à perspectiva de um estado constitucional e cooperativo.
Números – Atualmente 1104 reeducandos utilizam a tornozeleira eletrônica em Mato Grosso, sendo 617 somente em Cuiabá e Várzea Grande. Desse total, apenas 18 pessoas voltaram a cometer crimes e foram presas novamente.

sexta-feira, 3 de abril de 2015

PUBLICADO O DECRETO DE CONVOCAÇÃO DA IV CNPM


A 4ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres será realizada entre 15 e 18 de março de 2016. O decreto de convocação assinado pela presidenta Dilma Rousseff foi publicado nesta terça-feira (31/03), no Diário Oficial da União (DOU).
O tema da Conferência  “Mais direitos, participação e poder para as mulheres” foi dividido em quatro eixos: “Contribuição dos conselhos dos direitos da mulher e dos movimentos feministas e de mulheres para a efetivação da igualdade de direitos e oportunidades para as mulheres em sua diversidade e especificidades: avanços e desafios”;  “Estruturas institucionais e políticas públicas desenvolvidas para as mulheres no âmbito municipal, estadual e federal: avanços e desafios”; “Sistema político com participação das mulheres e igualdade: recomendações”; e “Sistema Nacional de Políticas para as Mulheres: subsídios e recomendações”.
As conferências livres devem ocorrer em 2015, entre os dias 4 de maio e 19 de dezembro de 2015; as municipais e intermunicipais, entre 1º de junho a 18 de setembro; e as estaduais e distritais, no período de 19 de outubro e 19 de dezembro. A convocação das municipais, intermunicipais, estaduais e distritais é de competência dos governos municipais, estaduais e do Distrito Federal. 
A coordenação da Conferência Nacional fica a cargo da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM/PR) e do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM).  Mais informações sobre a organização do evento serão anunciadas pela SPM nos próximos meses.

Comunicação SocialSecretaria de Políticas para as Mulheres – SPM

sábado, 28 de março de 2015

DESTINO JACIARA, MT

A dica para o próximo feriadão é fazer rafting em Jaciara. Não dá para ficar curtindo calor dentro de casa né?

Se você não se preparou para uma viagem mais longa, dê uma esticadinha até Jaciara. A dica para quem só quer fazer rafting é ficar no Toquinho, um hotel simples, mas agradável. 

Fizemos com a Centro Oeste Rafting Expedições. Marque o rafting de acordo com a previsão do tempo, para o período da manhã ou à tarde (9h00 ou 14h00). O preço pode variar de acordo com o tamanho do grupo. Nós estávamos em 3, pagamos R$ 100,00 por pessoa. Passe protetor solar ainda que o tempo esteja nublado. Para mulheres interessante ir de bermuda de lycra (roupa de ginástica) top, etc, porque biquini sempre sai do lugar te deixando desconfortável. Não precisa ir de tênis, pode ir só de chinelo. A equipe guarda seus pertences durante o trajeto.


Já fiz três vezes e em todas, sai de giro, não pensei em absolutamente nada durante a descida nas corredeiras. Realmente desestressante! Na primeira vez, meu filho não pode ir, mas nas outras duas, sim, ele já estava com 6 e mais recentemente com 11 anos. O risco de afogamento ou de se machucar é mínimo, pois, você estará de capacete e colete salva vida.



Se você tiver criança menores de 7 anos e quiser fazer outra programação, tem day use nas Termas da Cachoeira da Fumaça, que cobra cerca de R$  40,00 por pessoa, ou passar o dia no Thermas Mariah, em Jucimeira, cujo preço é R$ 35,00 por pessoa, ou ainda no Sesc, o mais em conta: R$ 20,00 por pessoa, se optar por este, vá cedo, pois, a capacidade de lotação é pequena. O almoço nesses locais é por sua conta.

No jantar o Kispeto serve espetinhos de carne, frango e linguiça ou se preferir opte por pizzas que são deliciosas.

BOM PASSEIO!