quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Justiça de Cuiabá aplica Lei Maria da Penha para proteger um homem

É gente! É daqui a decisão!

O juiz titular do Juizado Especial Criminal Unificado de Cuiabá, Mário Roberto Kono de Oliveira, determinou de maneira inovadora a aplicação de medidas protetivas de urgência em favor de um homem que vem sofrendo constantes ameaças da ex-companheira depois do fim do relacionamento. Para o magistrado, há elementos probantes mais do que suficientes para demonstrar a necessidade de se deferir as medidas protetivas de urgência requeridas, aplicando assim, por analogia, o que estabelece a Lei 11.340/2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha.

A decisão judicial determinou que a ré deve se abster de se aproximar do autor a uma distância inferior a 500 metros, incluindo sua moradia e local de trabalho; e que se abstenha de manter qualquer contato com ele, seja por telefonema, e-mail ou qualquer outro meio direto ou indireto. Na mesma decisão, o juiz advertiu que, no caso do descumprimento, a ré pode ser enquadrada pelo crime de desobediência e até mesmo ser presa.

No pedido, formulado nos autos da Ação nº 1074/2008, o autor afirmou que vem sofrendo agressões físicas, psicológicas e financeiras por parte da ré. Ele instruiu o pedido com vários documentos, como registro de ocorrência, pedido de exame de corpo de delito, nota fiscal de conserto de veículo avariado pela ex-companheira e diversos e-mails difamatórios e intimidatórios enviados por ela. O autor requereu a aplicação da Lei nº 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, por analogia, já que inexiste lei similar a ser aplicada quando o homem é vítima de violência doméstica.

Reconhecendo a necessidade premente e incontestável da Lei Maria da Penha, que consistiu em trazer segurança à mulher vítima de violência doméstica e familiar, o juiz Mário Kono de Oliveira admitiu que, embora em número consideravelmente menor, existem casos em que o homem é quem vem a ser vítima, segundo o magistrado, “por sentimentos de posse e de fúria que levam a todos os tipos de violência, diga-se: física, psicológica, moral e financeira”.

Segundo magistrado, quando se trata de norma incriminadora, a lei penal não pode ser aplicada por analogia porque fere o princípio da reserva legal, prevista no Código Penal em seu artigo 1o: “Não há crime sem lei anterior que o defina. Não há pena sem prévia cominação legal”. Por outro lado, o juiz Mário Kono assinalou, citando vários doutrinadores, que se não se pode aplicar a analogia in malam partem (contra o réu), não quer dizer que não poderia aplicá-la in bonam partem, ou seja, em favor do réu quando não se trata de norma incriminadora. “Ora, se podemos aplicar a analogia para favorecer o réu, é óbvio que tal aplicação é perfeitamente válida quando o favorecido é a própria vítima de um crime”.

“Por algumas vezes me deparei com casos em que o homem era vítima do descontrole emocional de uma mulher que não media esforços em praticar todo o tipo de agressão possível (...). Já fui obrigado a decretar a custódia preventiva de mulheres ‘à beira de um ataque de nervos’, que chegaram a tentar contra a vida de seu ex-consorte, por pura e simplesmente não concordar com o fim de um relacionamento amoroso”, ressaltou.

Na decisão, o magistrado enfatizou que o homem não deve se envergonhar em buscar socorro junto ao Poder Judiciário para fazer cessar as agressões da qual vem sendo vítima. “É sim, ato de sensatez, já que não procura o homem/vítima se utilizar de atos também violentos como demonstração de força ou de vingança. E compete à Justiça fazer o seu papel de envidar todos os esforços em busca de uma solução de conflitos, em busca de uma paz social”.


Fonte: Coordenadoria de Comunicação do TJMT
imprensa@tj.mt.gov.br
(65) 3617-3394/3617-3393

A vingança - parte XXII


A velhinha pergunta para o marido moribundo:- Meu bem,depois de 40 anos de casado,me satisfaça uma curiosidade.Você já me traiu alguma vez?
- Sim, querida! Uma única vez! Lembra quando eu trabalhava na Nestlé, e tinha uma secretária chamada Margarida?
- Sim, me lembro!
- Pois é, aquele corpo já foi todinho meu!
E após alguns segundos, ele pergunta: - E você, minha velha, já me traiu alguma vez?
- Sim, meu bem!Uma única vez!Lembra quando a gente morava na Vila Andrade, em frente ao Corpo de Bombeiros?
- Sim... me lembro! responde o moribundo.
- Pois é... o corpo de oficiais do batalhão inteiro foi todinho meu!

domingo, 26 de outubro de 2008

Seminário Regional Mulheres em Situação de Prisão

Resolveram fazer tudo na mesma data.
Não vou poder ir, estarei no VII Congresso de Defensores Públicos, que será aqui em Cuiabá.

Convite

A Reunião Especializada da Mulher do Mercosul, na Presidência Pro Tempore Brasileira, tem o prazer de convidar para o Seminário Regional Mulheres em Situação de Prisão - Diagnósticos e desafios na implementação de políticas integradas no âmbito do Mercosul, a realizar-se em Brasília nos dias 27 e 28 de outubro de 2008.

Local: Teatro do Carlton Hotel (Setor Hoteleiro Sul, Quadra 05, Bloco G).

As inscrições podem ser feitas pelo site da Secretaria e devem ser enviadas para naiaracorrea@spmulheres.gov.br

Mais informações: (61) 2104-7975

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

VII CONGRESSO NACIONAL DOS DEFENSORES PÚBLICOS


Confira a íntegra da programação:


De 28 a 31 de outubro de 2008
Local: Hotel Deville - Cuiabá - MT


28 de outubro - terça-feira
14h às 18h30
- Credenciamento Hotel Deville
Local - Lobby Deville

14h às 18h30h
- Reunião da Comissão Nacional de Execução Penal do CONDEGE
Local: Sala Tangará

16h às 16h30 - Coffee Break

20h30
- Solenidade de Abertura
Local: Centro de Convenções da FAMATO

22h
- Coquetel de Boas Vindas
Local: Centro de Convenções da FAMATO


29 de outubro - quarta-feira
9h às 12h
- Reunião Nacional dos Defensores Públicos da Infância e Juventude
Local: Sala Araguaia

- Reunião do Colégio Nacional dos Corregedores Gerais - CNGC
Local: Sala Xingu

- Reunião da Associação Interamericana de Defensores Públicos - AIDEF
Local: Sala Guaporé

- Reunião do Conselho Nacional do Defensores Públicos Gerais - CONDEGE
Local: Sala Tangará

12h às 14h
- Almoço Livre

14h às 16h
- Palestra: A DEFENSORIA PÚBLICA COMO INSTRUMENTO DE EVETIVAÇÃO DE DIREITOS HUMANOS
Palestrantes: César Oliveira de Barros Leal (DP CE)
Ricardo Vera (Argentina)
Presidente da Mesa: Clóvis Roberto Soares Muniz Barreto (DP AM)
Relator: Gustavo Gorgosinho (DP MG)
Local: Sala Pantanal

16h às 16h30
- Coffee Break

16h30h às 18h30
- Painel A: REFORMAS PROCESSUAIS PENAIS
Painelistas: Pedro Abramovay (SAL/MJ)
Paulo Henrique Aranda Fuller (TJ/MG)
Gustavo Junqueira (SP)
Presidente Mesa: Eduardo Lopes (AL)
Relator: Fábio Rombi (MS)
Local: Sala Amazônia I

- Painel B: INSTRUMENTOS DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA NO ESTATUTO DAS CIDADES
Painelistas: Ministério das Cidades (DP DF)
Betânia Alfonsin (PUC/RS)
Vivian Rigo (DP RS)
Mariana Levy Piza (SAL/MJ)
Presidente Mesa: Otávio Gomes de Araújo (DP PB)
Relator: Mônica Aragão (DP BA)
Local: Sala Amazônia II

18h30 às 19h
- Coffee Break

19h às 20h30
- Painel Central 1: ACESSO INTEGRAL À JUSTIÇA NO SISTEMA CARCERÁRIO
Palestrantes: Salo de Carvalho (PUC/RS)
Airton Michels (DEPEN/MJ)
Rodrigo Duque Estrada (DP RJ)
Presidente Mesa: Carlos Weiss (DP SP)
Relator: Erinan Goulart Ferreira Prado (DP MT)
Local: Sala Pantanal

30 de outubro - quinta-feira
8:30h
- Assembléia Geral da Associação Nacional dos Defensores Públicos - ANADEP
Local: Sala Amazônia I

- Reunião dos Ouvidores das Defensorias Públicas
Local: Sala Araguaia

- Reunião da Comissão Nacional de Proteção e Defesa dos Direitos da Mulher - CONDEGE
Local: Sala Xingu

- Reunião da Coordenação, Secretaria Geral e Tesoureiro do Bloco dos Defensores do Mercosul com a Delegação da Venezuela
Local: Sala Guaporé

- Reunião do Conselho Nacional dos Defensores Públicos Gerais - CONDEGE
Local: Sala Tangará

12h às 14h
- Almoço Livre

14h às 16h
- Palestra 2: LEGITIMIDADE DA DEFENSORIA PÚBLICA NAS AÇÕES COLETIVAS
Palestrantes: Pierpaolo Cruz Botini (DF)
José Augusto Garcia (DP RJ)
Luiz Manoel Gomes (UNAERP/SP)
Presidente Mesa: Estelamaris Postal (DP TO)
Relator: André Rossignolo (DP MT)
Local: Sala Pantanal

16h às 16h30
- Coffee Break

16h30 às 18h30
- Painel C: ASPECTOS PROCESSUAIS DA LEI MARIA DA PENHA
Painelistas: Juliana Belloque (DP SP)
Soraia Mendes (UNB)
Tânia Regina de Matos (DP MT)
Presidente de Mesa: Francilene Gomes (DP CE)
Relator: Klesia Paiva Melo (DP PI)
Local: Sala Amazônia I

- Painel D : CONSTITUCIONALIZAÇÃO DO DIREITO CIVIL
Painelistas: Rafael Garcia (UERJ)
Ricardo Aronne (PUC RS)
Eliane Aina (DP RJ)
Presidente Mesa: Mariana Lobo (DP CE)
Relator: Alexandre Gianni (DP DF)
Local: Sala Amazônia II

18h30 às 19h
- Coffee Break

19h às 20h30
- Painel Central 2: MEIOS ALTERNATIVOS DE RESOLUÇÃO DE CONFLITOS – RESTAURATIVO, COMUNITÁRIO E COLETIVO
Palestrantes: Luciana Bergamo (MP SP)
Renato De Vitto (DP SP)
Alexandre Bernardino (UNB)
Presidente Mesa: Clériston Cavalcanti (DP BA)
Relator: Sérgio Murillo (DP DF)
Local: Sala Pantanal

20h30h
- Lançamento de Livros
Local: Lobby do Hotel Deville

31 de outubro – sexta-feira
- 8:30h – Assembléia Geral da Associação Nacional dos Defensores Públicos – ANADEP
Local: Sala Amazônia I

- CONCURSO DE TESE
Presidente de Mesa: Adriana Burger (DP RS)
Relatora: Lenir Moura (DP RR)
Coordenação: Amélia Rocha (DP CE)
Presidente: Maria Teresa Sadek (USP)
Banca: Cleber Alves (DP RJ)
Ana Paula Araújo (UNIFOR - CE)
Élida Seguin (DP RJ)
Josenio Parente (UFC)
Local: Sala Amazônia II

12h às 14h
- Almoço livre

14h às 20h30
ASSEMBLÉIA - ANADEP
Convidados: Profa. Maria Aparecida Caovilla (UNOCHAPECÓ) e
Alberto Kopittke (MJ)
Local: Sala Pantanal

-14h30
ENTREGA DO COLAR DO MÉRITO DA ANADEP ao Deputado Mauro Benevides
Local: Sala Pantanal

-14h45
-PAINEl: FORTALECIMENTO DA DEFENSORIA PÚBLICA: Ações e Projetos do Ministério da Justiça
Convidado: Rogério Favreto, Secretário de Reforma do Judiciário
Local: Sala Pantanal

-15h15 às 16h30
- Painel: PERSPECTIVAS POLÍTICO-INSTITUCIONAIS DA DEFENSORIA PÚBLICA
Silvia Sturla Taes (Uruguai)
Maria Ignes Lazenllote Baldez Kato (DP RJ)
Vitore André Zilio Maximiano (DP SP)
Presidente de Mesa: Roberto Freitas (DP PI)
Relator: Antonio Roberto Cardoso (DP PA)
Local: Sala Pantanal

-17h
- Palestra de Encerramento: NOVOS PARADIGMAS PARA O ACESSO INTEGRAL À JUSTIÇA
Palestrante: Paulo Vannuchi (Ministro SEDH)
Rodolfo Mancuso (USP)
Fernando Calmon (Presidente ANADEP)
Karol Rottini (Defensora-Geral MT)
Relator: Oleno Matos (DP RR)
Local: Sala Pantanal

-18h30 - LEITURA DA CARTA DE CUIABÁ
Comissão Geral de Relatoria:
Presidente: Eduardo Cyrino Generoso (DP MG)
Secretários: Mara Dutra (DP MG) e Cristiano Heerdt (DP RS)
Membros: Ricardo Teixeira (DP MA)
João Sismeiro (DP RO)
Rafael Muneratti (DP SP)
Local: Sala Pantanal

22h
- Festa de Encerramento
Local: Centro de Convenções da FAMATO

Agradecimento ao selo

Mais uma vez fui presenteada com um selo pela Rô do blog Na Casa da Vovó.
Esse selo é o Blog de Cristal!



Olha que gracinha!!! Amei!
Obrigada.
Repasso às minhas amigas: Mirian do blog Gente Sem Saúde e para a Sandra do Koisarada.
Ainda bem que este selo não tem um monte de regrinhas... rsrs... Nada contra regras, aliás, nem poderia, mas é que o tempo anda escasso e fico sem graça de não obedecê-las quando sou indicada por alguém.
Beijo grande!

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Caso Eloá

Queridos amigos estive acompanhando de forma distanciada o caso Eloá.
Prefiri não engrossar a audiência de programas sensacionalistas e telejornais que insistem em explorar as tragédias pessoais com o único fito de brigar pela primeira posição no quesito.
Não é indiferença, não é insensibilidade, é uma questão de opinião.
Recebi por e-mail o texto abaixo sobre o caso e achei bastante pertinente.
Queria dividi-lo com vocês:


Eloá – A Morte Anunciada


Semana passada o Brasil acompanhou de perto o seqüestro que culminou com a morte de Eloá. Uma Adolescente de apenas 15 anos de idade, que morreu por que decidiu não reatar o namoro com Lindemberg.

A tragédia anunciada se transformou numa briga pela audiência da imprensa televisiva e escrita, em que em nenhum momento, ao longo da sensacionalista cobertura do "caso Eloá" a imprensa classificou como mais um caso de Violência contra as Mulheres, que estava preste a entrar na contagem dos homicídios sofridos por mulheres que resolvem não reatar os namoros, casamentos. Será que não se reconheceu como violência contra as mulheres, pelo fato dela só ter 15anos?

Lindenberg passou a ser o centro de atenção de todos e de todas e mais uma vez uma atitude extrema de machismo é levada para o plano da patologia. O ciúme, a posse e a honra ganham o nome de "amor" de decepção amorosa, em que Eloá de Vítima passa a ser quase tratada como algoz, na boca de análises de psicólogas colocadas no ar "Se ela tivesse aceitado dialogar, nada disso teria acontecido".

Pelo contrário, o algoz de Eloá e Naiara, a todo instante era enaltecido: Qual o perfil de Linderberg? Bom rapaz, trabalhador, amigo de todos, "era apenas um pouco ciumento". E se chegou a este extremo é porque possui alguma patologia, dizia outro psiquiatra. Como reconhecemos as características desta patologia que uma pessoa carrega para cometer um crime como esse? Pergunta feita por apresentadores de programas televisivas.

Patologia? Ou ele não agüentou "perder" o controle que queria ter da vida de Eloá? Ou sentiu a sua "honra maculada" por que Eloá,não queria continuar o namoro que ele próprio terminara?

O que acompanhamos foi estarrecedor e nos mostrou como ainda é tratada no Brasil a violência contra as mulheres. O que nós feministas chamamos de "posse" arraigada na cultura machista, a imprensa chama de decepção amorosa. O que se reconheceu foi "a legítima dor de amor dele por Eloá", numa tentativa forçada de transformar um seqüestro em novela, de proteger um criminoso que atentava contra a vida de uma mulher indefesa, de romantizar um crime. Resguardado por sua dor, Lindembergue foi capaz de torturá-la por horas a fio, de adiar um desfecho previsto e planejado para exaltar-se diante de seu sofrimento, contínuo, prolongado e, graças às tecnologias da comunicação ,teve público. Sim, a agonia da menina de 15 anos foi transmitida ao vivo,entrecortada por flashes e entrevistas pungentes de programas de auditório sensacionalistas. Os mesmos que enaltecem a carreira ascendente de ex-participantes de reality shows e celebridades com alcunha de fruta ou legume. Linderberg era a estrela do momento, dono total da situação em que duas vidas (Eloá e Naiara) corriam um risco real. E Linderberg perguntava: Qual é o canal de televisão que está me entrevistando? Este é realmente o papel da mídia, aconselhar o seqüestrador? Será que se Eloá fosse de uma família de Posses, o tratamento sensacionalista em que a vida dela estava em risco teria sido o mesmo? Questões para refletirmos diariamente.A mesma mídia, agora, faz outro tipo de sensacionalismo com a doação de órgãos, tentando transformar Eloá em Santa. Assim, desconsideram mais uma vez o absurdo de sua morte. E desconsideram que nós, mulheres, não queremos ser santas. Nós, mulheres, queremos viver. E viver com autonomia, com liberdade.

Acompanhamos,ao longo de toda a trama televisionada a uma sutil (e branda) retomada do velho e gasto argumento da "violenta emoção". Tão em voga nos anos 70. O mesmo que levou Doca Street a atirar no rosto de Angela Diniz. Sim, as dores de"amor" matam, ou melhor dizendo, a dor da rejeição da perda da posse, mata. E já o fizeram, por muito tempo, impunemente. Não foi à toa que o slogan"Quem ama não mata" ganhou cartazes e ruas há mais de duas décadas e continua tão presente nos nossos dias.

Tiro no rosto, tiro na virilha, que isso significa? Por que quase sempre essas são as partes do corpo escolhidos nos casos de homicídios nas relações afetivo-conjugal? Podemos pensar que no caso da rejeição e da perda do ser amado", os homens impulsionados pelas marcas de uma cultura sexista e patriarcal, tem que aniquilar as possibilidades de realizar o prazer e o desejo do outro.

Não podemos deixar de assinalar também o papel desastroso da polícia, que teve um empenho total na garantia da vida do assassino. A polícia se condescendeu com o algoz e entregou à ele a vida das duas meninas. A todo tempo, o comandante da operação manifestava preocupação em que Linderbegue não estragasse sua vida, em detrimento das duas vidas das mulheres. Afinal de contas o bom moço não tinha antecedentes, era uma ótima pessoa e estava apenas sofrendo de uma decepção amorosa. Qual era a negociação de Linderbergue? A vida de Eloá.

Não é por acaso que o Brasil possui uma Lei que pune crimes de violência doméstica, que, aliás, traz o nome de uma mulher vítima desta mesma sorte de "amor", sendo alvo de duas tentativas de assassinato cometidas pelo então marido. Uma história tristemente comum, que, talvez, se distinga apenas porque Maria da Penha, sim, conseguiu sobreviver.

Mas, muitas não tiveram e não tem a mesma sorte. Eloás, Vandas, Angelas, Rosângelas, Mirians, Reginas, Robertas, Marias.Morreram e morrem indefesas, dentro de suas próprias casas, agredidas, surradas e humilhadas por aqueles que, sob o pretexto do amor, disciplinam aqueles corpos sobre os quais acreditam ter direitos.

Isto acontece porque vivemos numa sociedade que ainda concebe que, se um homem alega amar uma mulher, ou se tiveram ou tem algum acerto de conjugalidade, isto lhe dá direitos sobre a vida dela.

Em nome de uma suposta "honra" masculina, que, quando ameaçada, insurge ensandecida, a ponto de humilhar, ferir e matar aquela que decidiu romper e não reatar a relação.

Quem torceu pelo amor de Lindembergue, quem acreditou que ele pudesse sair daquele prédio de mãos dadas com a ex-namorada esqueceu ou reforçou o tipo de cultura em que vivemos.

Quem tratou aquele drama passional como se não tivéssemos, neste país, de forma gritante, e em todo planeta, uma numerosa estatística de crimes de honra ajudou a puxar o gatilho. Que conclusão podemos chegar? O Machismo Mata.

Analba Brazão Teixeira – Secretária Executiva da Articulação de Mulheres Brasileiras/AMB

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

A vingança - parte XXI


O casal está passeando pela praia, e ela pede que ele lhe compre um biquíni. Ele responde:
- Com esse corpo de máquina de lavar? Nem pensar!
Continuam caminhando, e ela insiste:
- Bom, então compra um vestido para mim?
Ele responde:
- Com esse corpo de máquina de lavar? Nem pensar!!
Passa o dia. É noite, já na cama, o marido vira para a esposa e pergunta:
- E aí, mulher?Vamos botar a máquina de lavar para funcionar?
E a mulher, com ar de desprezo, responde:
- Para lavar só esse pedacinho de pano? Ah...! Lava na mão mesmo que dá menos trabalho!

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Agradecimento aos selos



Quero pedir desculpas às minhas amigas porque não obedecerei as regrinhas.
Assumi alguns compromissos e não estou conseguindo honrá-los dentro do prazo combinado.
Quando essa fase turbulenta passar prometo que voltarei a seguir as normas para postagem okay?
Espero que compreendam!
Recebi da Sandra do blog Koisarada o selo Arte y Pico e da Mirian do Gente sem Saúde o selo Blog Perfeito.
Muito obrigada pelos prêmios!
Beijo grande

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Dicionário Jurídico

1 - Princípio da iniciativa das partes: 'Faz a tua que eu faço a minha';
2 - Princípio da insignificância: 'Grande merda isto';
3 - Princípio da fungibilidade: 'Se só tem tu, vai tu mesmo' (parte da
doutrina e da jurisprudência entende como sendo: 'Quem não tem cão, caça com gato');
4 - Sucumbência: 'A casa caiu!';
5 - Legítima defesa: 'Tomou, levou, mané!';
6 - Legítima defesa de terceiro: 'Deu no mano, leva na oreia';
7 - Legítima defesa putativa: 'Foi mal';
8 - Oposição: 'Sai batido que o barato é meu';
9 - Nomeação à autoria: 'Vou cagüetar todo mundo'!;
10 - Chamamento ao processo: 'O maluco ali também deve';
11 - Assistência: 'Então, brother, é nóis';
12 - Direito de apelar em liberdade: 'Fui! Demorô' (parte da doutrina
entende como 'Só se for agora!');
13 - Princípio do contraditório: 'agora é eu';
14 - Revelia, preclusão, perempção, prescrição e decadência: 'Camarão que
dorme a onda leva';
15 - Honorários advocatícios: 'Cada um com os seus problemas' ou 'Não mexe
no meu que eu não mexo no teu;
16 - Co-autoria e litisconsórcio passivo: 'Passarinho que acompanha morcego dá de cara com muro', ou 'Passarinho que acompanha morcego dorme de cabeça pra baixo';
17 - Reconvenção: 'Tá louco, mermão? A culpa é sua!';
18 - Comoriência: 'Um pipoco pra dois' ou 'Dois coelhos com uma paulada só';
19 - Preparo: 'Então... deixa uma merrequinha aí';
20 - Deserção: 'Deixa quieto';
21 - Recurso adesivo: 'Vou no vácuo';
22 - Sigilo profissional: 'Na miúda, só entre a gente', alguns preferem 'No
sapatinho';
23 - Estelionato: 'Malandro é malandro e mané é mané';
24 - Falso testemunho: 'Fala sério...';
25 - Reincidência: 'Pô mermão, de novo?';
26 - Investigação de paternidade: 'Toma que o filho é teu';
27 - Execução de alimentos: 'Quem não chora não mama';
28 - Res nullius: 'Achado não é roubado';
29 - Despejo coercitivo: 'Sai batido';
30 - Usucapião: 'Tá dominado, tá tudo dominado'.

domingo, 12 de outubro de 2008

Não me incomode!!!!

Olha só o aviso colocado no corredor do fórum do Rio de Janeiro por uma Juíza:

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

A vingança - parte XX


Um casal recém-casado vai viver em sua nova casa. O homem diz:

-Se quer viver comigo as minhas regras são:

1) Segundas e terças-feiras à noite vou tomar café com os amigos;
2) Quartas-feiras à noite cinema com o pessoal;
3) Quintas, sextas à noite cerveja com os colegas;
4) Sábados pescaria com a turma, retornando domingo pela manhã;
5) E aos domingos deito cedo para descansar.

Se quer... Quer... Se não quer... Azar!

Então a mulher responde:

- Pra mim só existe uma regra:
Aqui em casa tem sexo todas as noites. Quem está, está. Quem não está... Azar!!!!!!!!!!!!!

Esse texto foi deixado no blog pela Adriana! Obrigada querida!

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Seminário A Mulher e a Mídia 5

Rio de Janeiro, 1º e 2 de novembro de 2008

Hotel Novo Mundo - Praia do Flamengo, 20

A Secretaria Especial de Políticas para Mulheres (SPM), o Instituto Patrícia Galvão e o Fundo das Nações Unidas para a Mulher (Unifem) irão realizar o Seminário A Mulher e a Mídia 5, no Rio de Janeiro, nos dias 1º e 2 de novembro de 2008.

Em seu quinto ano de existência, o Seminário A Mulher e a Mídia tem contribuído para mudar – para melhor – o enfoque do debate que envolve as mulheres e sua imagem e participação na mídia. A discussão sobre o tratamento que a mídia dá usualmente às mulheres em espaços de poder e decisão, em especial no âmbito da política formal, tem sido freqüente em nossos encontros.

Assim, como 2008 é ano de eleições municipais, A Mulher e a Mídia 5 centrará seus debates sobre o enfoque dado à questão de gênero nas eleições, seja do ponto de vista das candidatas mulheres, seja do ponto de vista de candidatos e candidatas que incorporam em suas plataformas a temática de gênero.

Para dar mais atualidade e objetividade ao tema, a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (SPM) contratou um serviço especial de clipping que está fazendo, ao longo da campanha eleitoral, o acompanhamento das matérias e da abordagem que a mídia dispensa às mulheres candidatas e aos temas relativos à mulher. O resultado deste monitoramento será apresentado no encontro e subsidiará nossas discussões.

A Mulher e a Mídia 5 abordará dois eixos do II Plano Nacional de Políticas para as Mulheres (PNPM): a participação das mulheres nos espaços de poder e decisão (eixo 5); e cultura, comunicação e mídia igualitária, democrática e não-discriminatória (eixo 8).

Público
O Seminário é voltado especialmente para quem atua nas áreas de comunicação e gênero. Esperamos contar com sua participação em mais essa edição do A Mulher e a Mídia que, como de hábito, terá a presença de profissionais da área de Comunicação nos painéis e nos debates.

Pré-inscrições
O Seminário conta com número limitado de vagas e as inscrições são gratuitas. Atenção: É necessário fazer uma pré-inscrição e aguardar a mensagem que será enviada pela organização do evento confirmando (ou não) sua participação.

A programação e a ficha de pré-inscrição podem ser encontradas nas páginas da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres (www.planalto.gov.br/spmulheres) e do Instituto Patrícia Galvão (www.patriciagalvao.org.br).

Alimentação e hospedagem
A organização do Seminário oferecerá almoço e coffee break para as/os participantes nos dois dias do evento, mas não arcará com nenhuma outra despesa relativa a transporte, alimentação, telefone etc.
Para as/os participantes que não residem na cidade do Rio de Janeiro, será oferecida hospedagem no Hotel Novo Mundo, a partir da noite do dia 31 de outubro.

Fiquem atentas/os, pois nosso número de vagas é limitado.

Até lá!

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A VINGANÇA - Parte XIX


Um homem sempre gozava sua mulher que era loira.Um dia,ele passou na casa de seus amigos para que eles o acompanhassem até o aeroporto, porque sua mulher ia viajar.Como sempre gozava com ela, ele disse na frente de todo mundo:

- Amor, traz uma francesinha de Paris pra mim?

Ela abaixou a cabeça e embarcou muito chateada. A mulher passou quinze dias na França.O marido pediu que os amigos o acompanhassem novamente ao aeroporto.Ao chegar lá, ele perguntou para a mulher:- Amor, você trouxe minha francesinha?

Ela disse: - Eu fiz o possível. Agora é só rezar para nascer menina!

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Mulher possível


MULHERES POSSÍVEIS..
Texto na Revista do Jornal O Globo

'Eu não sirvo de exemplo para nada, mas, se você quer saber se isso é possível, me ofereço como piloto de testes.
Sou a Miss Imperfeita, muito prazer.
Uma imperfeita que faz tudo o que precisa fazer, como boa profissional, mãe e mulher que também sou: trabalho todos os dias, ganho minha grana, vou ao
supermercado três vezes por semana, decido o cardápio das refeições, levo os filhos no colégio e busco, almoço com eles, estudo com eles, telefono para
minha mãe todas as noites, procuro minhas amigas, namoro, viajo, vou ao cinema, pago minhas contas, respondo a toneladas de e-mails, faço revisões
no dentista, mamografia, caminho meia hora diariamente, compro flores para casa, providencio os consertos domésticos, participo de eventos e reuniões
ligados à minha profissão e ainda faço escova toda semana - e as unhas!
E, entre uma coisa e outra, leio livros.
Portanto, sou ocupada, mas não uma workaholic.
Por mais disciplinada e responsável que eu seja, aprendi duas coisinhas que operam milagres.
Primeiro: a dizer NÃO.
Segundo: a não sentir um pingo de culpa por dizer NÃO.
Culpa por nada, aliás.
Existe a Coca Zero, o Fome Zero, o Recruta Zero.
Pois inclua na sua lista a Culpa Zero.
Quando você nasceu, nenhum profeta adentrou a sala da maternidade e lhe apontou o dedo dizendo que a partir daquele momento você seria modelo para
os outros.
Seu pai e sua mãe, acredite, não tiveram essa expectativa: tudo o que desejaram é que você não chorasse muito durante as madrugadas e mamasse
direitinho.
Você não é Nossa Senhora.
Você é, humildemente, uma mulher.
E, se não aprender a delegar, a priorizar e a se divertir, bye-bye vida interessante.
Porque vida interessante não é ter a agenda lotada, não é ser sempre
politicamente correta, não é topar qualquer projeto por dinheiro, não é atender a todos e criar para si a falsa impressão de ser indispensável.
É ter tempo.
Tempo para fazer nada.
Tempo para fazer tudo.
Tempo para dançar sozinha na sala.
Tempo para bisbilhotar uma loja de discos.
Tempo para sumir dois dias com seu amor.
Três dias.
Cinco dias!
Tempo para uma massagem.
Tempo para ver a novela.
Tempo para receber aquela sua amiga que é consultora de produtos de beleza.
Tempo para fazer um trabalho voluntário.
Tempo para procurar um abajur novo para seu quarto.
Tempo para conhecer outras pessoas.
Voltar a estudar.
Para engravidar.
Tempo para escrever um livro que você nem sabe se um dia será editado.
Tempo, principalmente, para descobrir que você pode ser perfeitamente organizada e profissional sem deixar de existir.
Porque nossa existência não é contabilizada por um relógio de ponto ou pela quantidade de memorandos virtuais que atolam nossa caixa postal.
Existir, a que será que se destina?
Destina-se a ter o tempo a favor, e não contra.
A mulher moderna anda muito antiga. Acredita que, se não for super, se não
for mega, se não for uma executiva ISO 9000, não será bem avaliada.
Está tentando provar não-sei-o-quê para não-sei-quem.
Precisa respeitar o mosaico de si mesma, privilegiar cada pedacinho de si.
Se o trabalho é um pedação de sua vida, ótimo!
Nada é mais elegante, charmoso e inteligente do que ser independente.
Mulher que se sustenta fica muito mais sexy e muito mais livre para ir e vir.
Desde que lembre de separar alguns bons momentos da semana para usufruir essa independência, senão é escravidão, a mesma que nos mantinha
trancafiadas em casa, espiando a vida pela janela.
Desacelerar tem um custo.
Talvez seja preciso esquecer a bolsa Prada, o hotel decorado pelo Philippe
Starck e o batom da M.A.C.
Mas, se você precisa vender a alma ao diabo para ter tudo isso, francamente, está precisando rever seus valores.
E descobrir que uma bolsa de palha, uma pousadinha rústica à beira-mar e o rosto lavado (ok, esqueça o rosto lavado) podem ser prazeres cinco estrelas
e nos dar uma nova perspectiva sobre o que é, afinal, uma vida interessante'.

Martha Medeiros - Jornalista e escritora

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Blogagem Coletiva



A Sam do A vida como a vida quer me convidou para participar de uma Blogagem Coletiva que aconteceu no dia 29, segunda-feira, mas achei conveniente postar hoje, no primeiro dia do mes de Outubro!(Na verdade achei que meu computador ja estaria arrumado).

O movimento pretende conscientizar a mulherada sobre o cancer de mama e alerta-las sobre a importancia de se manterem informadas: agora e lei, toda mulher a partir dos 40 anos tem direito de realizar mamografia anual.

Mais detalhes no site da Sam

Peco desculpas as minhas amigas, pois, meu lap top esta desconfigurado por isso o texto esta sem acentuacao!