segunda-feira, 25 de junho de 2007

Defensoria assegura alfabetização para os presos de Várzea Grande

Uma intervenção da Defensoria Pública de Mato Grosso está possibilitando que 25 presos da Cadeia Pública de Várzea Grande comecem a ser alfabetizados dentro da própria instituição. Eles tinham a sala destinada para esse fim e o material cedido por um convênio com o Sesi. As aulas só não estavam acontecendo porque não havia carteiras para os alunos. A defensora pública-geral Karol Rotini solicitou, em ofício, a cessão das carteiras pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e o secretário da pasta, Ságuas Moraes, atendeu prontamente. As aulas começam na semana que vem. O diretor da cadeia, Rodrigo Lara da Silva, já pensa em ampliar as vagas para 50, mas para isso, precisaria novamente de mais carteiras.

A deficiência foi detectada quando o defensor público Marcos Rondon fazia uma visita à Cadeia Pública de Várzea Grande. O trabalho faz parte das ações do Núcleo Estadual de Ações Penais da Defensoria. Conversando com os presos e com o diretor ele ficou sabendo da necessidade das carteiras e pediu a intervenção da defensora pública-geral. Karol destaca que esse tipo de trabalho mostra o lado social do atendimento da Defensoria, que não se atem apenas à prestação de serviços jurídicos, que por si só já são de extrema importância para a população carente. Marcos Rondon frisa ainda a importância de garantir a alfabetização para os presos, que estavam ociosos na cadeia.

Segundo o diretor da cadeia, a demanda por alfabetização é de aproximadamente 70, dos 298 presos que estão atualmente no local. Rodrigo Silva conta que a sala para as aulas já existia, mas não era usada. Este ano ele providenciou a reforma do espaço, já com intenção de dar início ao projeto. Mas a idéia estava paralisada pela falta das carteiras. Uma das servidoras da cadeia, que é pedagoga, vai ministrar as aulas. Pela parceria com o Sesi, ela vai receber um pagamento por cada aluno que participar do curso. As aulas de alfabetização para adultos que a Defensoria ajudou a viabilizar são uma parceria entre o Sesi, a Superintendência do Sistema Prisional e a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública.

Espaço próprio – O diretor da Cadeia Pública de Várzea Grande também informa que foi ampliada a sala destinada ao atendimento da Defensoria Pública. A sala, com banheiro, foi reformada para dar maior conforto ao defensor, que mantém contato permanentemente com os presos para detectar problemas, necessidades e ainda agilizar processos.

2 comentários:

Maria Fernanda disse...

Parabéns Defensoria, vcs fizeram o dever de casa muito bem feito, assegurar o direito do cidadão.

Tânia Defensora disse...

Parafraseando dr. Gahyva:"foi o mais simples que nós pudemos" kkkkkkkk... É nosso dever.