quarta-feira, 15 de agosto de 2007

I semana de ressocialização: "Reconstruir cidadania"


A 1ª Semana Estadual da Ressocialização em Mato Grosso “Reconstruir Cidadania”, evento que acontecerá em Cuiabá, de 26 a 31 de agosto, vai reunir representantes dos segmentos voltados à questão da Ressocialização, com o objetivo de discutir e apontar novos rumos para o Sistema Penitenciário em Mato Grosso.

O evento pretende também levar para a sociedade em geral e principalmente aos estudantes e universitários a necessidade e a importância de se trabalhar a temática, esclarecendo preconceitos e criando novas oportunidades.

“Com a integração das várias organizações queremos buscar soluções, a partir de suas atuações, que possam diminuir os preconceitos que envolvem o ex-preso e, ao mesmo tempo, buscar alternativas e colaborar com o reingresso desse homem ou mulher à sociedade”, explicou o secretário de Justiça e Segurança Pública, Carlos Brito.

A Semana de Ressocialização tem como fundamento básico o envolvimento da sociedade, da família, de órgãos públicos e privados e, organizações não governamentais, na discussão dos temas ligados à Ressocialização.

Esse esforço é fundamental já que os índices apontam um aumento da reincidência, tanto em nível nacional como estadual, chegando a atingir a casa dos 86% em Mato Grosso. “Isso gera para a sociedade e para os cofres públicos um custo altíssimo, que nenhum dos dois segmentos tem condições de suportar”, salientou Carlos Brito.

O cotidiano do Sistema Prisional demonstra que são vários os motivos que levam ao cárcere e, em outro momento, à reincidência, entre eles estão a miserabilidade social, cultural, educacional, o uso de drogas e a facilidade de acesso às armas.

“Esses são fatores que levam à sociedade a despertar para a necessidade de congregar esforços na busca de alternativas que diminuam o número de presos e que depois de pagarem suas dívidas com a justiça e a sociedade, essas pessoas possam retornar ao convívio social como cidadãos melhores”, lembra a especialista em Gestão Penitenciária, e uma das organizadoras do evento, Jane Maria da Silva Medeiros.

A Semana de Ressocialização tem como público alvo os profissionais que trabalham na área sócio-jurídica do Sistema Penitenciário, das instituições do Estado, profissionais liberais, acadêmicos e estagiários de Direito, Serviço Social e Psicologia, e demais profissionais de áreas afins.

O evento é uma realização do Governo do Estado, através da Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e Secretaria de Trabalho, Emprego, Cidadania e Serviço Social (Setecs), com o apoio da Corregedoria Geral de Justiça (CGJ), Defensoria Pública, Ministério Público, OAB-MT, e das Instituições de Ensino Superior, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Univag e Unirondon.

Eventos como esse deveriam ser realizados com maior freqüência. Fiz atendimento no presídio feminino e hoje atendo na cadeia do Capão e sei o quanto é difícil para quem já passou pelo sistema se reintegrar à sociedade. Confira a programação no site da SECOM.

Fonte: SECOM-MT

5 comentários:

Maria Fernanda disse...

Legal essa informação, vamos torcer para que deste evento possa nascer propostas para melhorar essa ressocialização.
bjs

Tânia Defensora disse...

Fernanda acabei não participando. Esqueci completamente.

Samara Borges disse...

Tânia,estou querendo implementar um programa de ressocialização no 1º DP da Cidade de Piripiri, localizada no norte do Piauí,os detentos fazem trabalhos de artesanato,quero dar uma oportunidade às pessoas que querem reverter essa situação( sair da marginalidade.Estou cursando o V bloco de Direito na CHRIFAPI, localizada na mesma cidade.

Tânia Defensora disse...

Oi Samara!
Você não deixou seu e-mail.
Assim que vc deixar, entrarei em contato para trocarmos idéias.
Abs

vania disse...

nossa estou me resocializando depois que o roberto irineu marinho preferiu me deixar presa na minha cidade com guardas em banco em shopping em varios lugares so que quando se vai ate a tv globo em sao paulo nao sou respondida quer dizer eu tenho que responder pelos mes crimes ele nao