domingo, 16 de dezembro de 2007

POEMA CELTA

As mulheres de origem Celta eram criadas tão livremente como os homens.
A elas era dado o direito de escolherem seus parceiros e nunca poderiam ser forçadas a uma relação que não queriam. Eram ensinadas a trabalharem para que pudessem garantir seu sustento, bem como eram excelentes amantes, donas de casas e mães.

A primeira lição era: "Ama teu homem e o segue, mas somente se ambos representarem um para o outro: amor, companheirismo e amizade."


Jamais permita...

Jamais permita que algum homem a escravize: você nasceu livre para amar, e não para ser escrava. Jamais permita que o seu coração sofra em nome do amor. Amar é um ato de felicidade, por que sofrer?

Jamais permita que seus olhos derramem lágrimas por alguém que nunca fará você sorrir!

Jamais permita que o uso de seu próprio corpo seja cerceado.
Saiba que o corpo é a moradia do espírito, por que mantê-lo aprisionado?
Jamais se permita ficar horas esperando por alguém que nunca virá, mesmo tendo prometido!

Jamais permita que o seu nome seja pronunciado em vão por um homem cujo nome você sequer sabe!

Jamais permita que o seu tempo seja desperdiçado com alguém que nunca terá tempo para você!

Jamais permita ouvir grito em seus ouvidos.

O amor é o único que pode falar mais alto!

Jamais permita que paixões desenfreadas transportem você de um mundo real para outro que nunca existiu!

Jamais permita que os outros sonhos se misturem aos seus, fazendo-os virar um grande pesadelo!

Jamais acredite que alguém possa voltar quando nunca esteve presente!
Jamais permita que seu útero gere um filho que nunca terá um pai!
Jamais permita viver na dependência de um homem como se você tivesse nascido inválida!

Jamais se ponha linda e maravilhosa a fim de esperar por um homem que não tenha olhos para admirá-la!

Jamais permita que seus pés caminhem em direção a um homem que só vive fugindo de você!

Jamais permita que a dor, a tristeza, a solidão, o ódio, o ressentimento, o ciúme, o remorso e tudo aquilo que possa tirar o brilho dos seus olhos a dominem, fazendo arrefecer a força que existe dentro de você!

E, sobretudo, jamais permita que você mesma perca a dignidade de ser MULHER!!!

8 comentários:

Adriana disse...

Olá, Tânia!

Acho muito interessante a cultura celta, tão rica... E esse poema que vc colocou aqui é mesmo muito bonito, adorei!

Beijos e tudo de bom!

Adriana

Tânia Defensora disse...

Oi Adriana!
Eu achei lindo o poema.
Abs

Maria Fernanda disse...

"Jamais permita que seu útero gere um filho que nunca terá um pai!" Vou colocar essa frase nas avaliações, nos cadernos dos meu alunos... quem sabe um dia eles entendam o peso dessa frase.
Adorei esse poema.
bjs

Tânia Defensora disse...

É isso aí Fernandinha!
Quem sabe assim essas crianças de hoje tenham mais consciência amanhã.
Beijos

selminha disse...

Olá, Drª Tânia!

Grande foi minha satisfação ao estudar para um Seminário Espírita assunto de meu grande interesse: "Uma incursão na Floresta da mente de Lèon Denis", tendo como subtítulo: "O gênio Céltico" e como eu conhecia o Poema Celta, procurei na internet para declamá-lo no Seminário, qdo (como nada é por acaso) o encontrei no seu Blog.
Adorei ter visitado seu Blog.
E não poderia deixar de passar por aqui sem deixar os meus parabéns.
Sou advogada, moro no Rio de Janeiro e amei tê-la conhecido.
Que Deus abençoe seu trabalho, Drª Tânia.

Um forte abraço,

Selma Souto Pauferro Young

selmaspyoung@gmail.com

Prof. Simone Canuto disse...

Procurei no Google por este poema, pois queria enviar a uma nova amiga... e de presente encontrei este blog, que auxilia e apoia... no meu blog tem uma linda mensagem sobre a mulher madura...
http://www.simcanuto.blogspot.com/

Obrigado,

Simone

Kenia Chan disse...

Isso é só o que a intuição respira e o que a vida ensina.

F. Seghetto disse...

A cultura Celta é tao rica! Vc esta de parabens, Tânia!