domingo, 4 de maio de 2008

Aborto, maconha e marcha


Estava procurando notícias sobre a marcha a favor da descrimininalização da maconha e li esta manchete: Tônia Carrero, 85 anos, contou à revista Marie Claire que antes de engravidar do filho Cecil Thiré fez quatro abortos a pedido de seu primeiro marido, o cineasta Carlos Arthur Thiré.

"Nunca quis tirar, mas naquela época a mulher pertencia ao marido e o meu não queria saber de filhos", disse.

"Quando me pediu para fazer o terceiro ou quarto aborto, eu disse: 'Chega. Não faço mais!'. E aí nasceu o Cecil, quando tinha 19 anos", completou a atriz à publicação.

Ela contou ainda que foi praticamente forçada a fumar maconha e que não gostou da experiência com as drogas.

Pois é. As mulheres conseguiram se libertar dessa submissão ao homem e hoje são livres para decidir quando e quantos filhos terão. E também são livres para dizer não àquilo que não tem vontade. Não quero transar agora. Não quero me drogar. Não quero abortar.

Em Brasília, no ano passado, durante a II Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, houve uma grande manifestação a favor da descriminalização do aborto. Uma massa de mulheres atrapalhou o trânsito na esplanada.

Mas voltando a marcha da maconha: interessante que para coisas boas, realmente saudáveis, não há mobilização. A excecão da Marcha das Margaridas, um movimento das trabalhadoras rurais, que acontece anualmente para registrar a morte de Margarida Maria Alves, uma sindicalista que foi assinada em 12 de Agosto de 1983 por lutar pelos direitos trabalhistas, não há outro.

Porque não há marcha contra a corrupção, contra impostos abusivos, contra o aumento do combustível, contra a dengue ou favor da saúde, por uma educação melhor, pela solidariedade?

Uma vez eu assisti uma palestra de Raul Teixeira, orador espírita, que indagou da platéia: "Sabem porque o mal prevalece? Porque os bons são tímidos."

Sou forçada a concordar com ele. A erva pode até não fazer tanto mal a saúde, mas alimenta o tráfico e se alimenta o tráfico, alimenta a violência.

Eu sou a favor da Paz!

10 comentários:

Maria Fernanda disse...

Eu tb sou a favor da Paz, sendo assim sou contra a erva... pois qualquer que seja a droga alimenta o tráfico...
Parabéns pelo post.
bjs

Rose disse...

Achei um absurdo essa marcha da maconha, pois se for liberada o negócio vai ficar descontrolado.Imaginem...se proibida as pessoas já abusam e usam.
Dizem que vai poder plantar a erva para seu próprio consumo, aí é que fudeu mesmo, desculpe-me a expressão, Tania, mas é que no lugar de couve e cebolinha vai haver a ervinha...ahahahah.
No mais esse assunto é muito complexo.
bjs.

Rose disse...

Tania, mande um beijo com sabor de pão de queijo e broa de fubá para o Téo, bom saber que ela gosta de PIMENTA.
oBS* Meu marido querido tbm é espírita.

Scliar disse...

Oi, Tania, hoje pus em dia minha leitura aqui no eu cantinho! Morri de rir com a historia das freiras, com a carta da filha para os pais... Bom, e os papos serios tambem fazem para o espírito! Acho bem valida a questão de reduzir a pena para quem estuda, afinal, os dados sobre o grau de instruçao dos presidiarios é de assustar. Estou trabalhando em um projeto de educaçao a distancia para presidiarios, vamos ver se vai dar certo - as vezes acho que o poder publico nao tem interesse em resolver esta questão (assim como tantas outra no Brasil). Quanto às drogas, as vezes sou a favor, as vezes sou contra... Depende da lua! kkkk Mas acho que se existe todo este submundo, é obvio que é porque tem gente que lucra com isto. Quandto TODOS perdem, o ser humano sempre encontra uma soluçao. Bzus, boa semana! Ethel

disse...

Eu também sou a favor da Paz, e contra a erva - maldita erva -...

sou contra o aborto também.

Parabéns pelo post, muito rico.

Querida Tânia, passe lá em casa tem um Selinho para você com muito carinho.

Beijos e tenha uma semana repleta de bençãos e vitórias.

Rô!

Sahmany disse...

Pois é né?
Para o que é realmente preciso o povo não vai pras ruas.
Eu fico indignada com isso.
Abraço.

Silencios do Coração disse...

Quando vi sobre a marcha da maconha na Internet fiquei indignada.
Absurdo, parece que as pessoas perderam de vez a noção do que é certo, valores acabaram.
O qué é isto tudo?
Famílias são destruídas por causa de drogas enfim.Eta Brasilzão!!!

Kbçapoeta disse...

Respeito o ponto de vista de vocês, mas vocês estão equivicadas.
quem fuma maconha não é criminoso,e sua proibição é que alimenta o tráfico.
Se fumar maconha não fosse crime muitos usuários poderiam plantar sua erva.
A bebida alcólica que causa muito mais danos já foi proibida e quem se beneficiou foram os traficantes.
O qu não pode é haver uma glamorização da maconha, mas se a pessoa quer fumar que fume.
Não existe caso de overdose de maconha ou alguém que cometeu crime por que abusou da erva.
Com o alcool sim.

Laura disse...

Bom dia.
sou a favor da legalização da maconha.
A erva não faz tanto mal a saúde mesmo. E não defendo o alimento do tráfico, por isso sou a favor da LEGALIZAÇÂO! LEGALIZAR poderia combater, pelo menos um pouco, o tráfico e tornar mais difcícil o acesso dos usuários de maconha as outras drogas!

Quando trata da marcha da maconha como se fosse o mal prevalecendo sobre o bem a senhora está se precipitando.
A marcha da maconha não é uma marcha pra coisas ruins. É uma marcha pra discutir o tema e discutir porque legalizar.

Abraço!!!

Anônimo disse...

Olá Tania Muito bom post.
não sou usuario mais ja fumei maconha, e hoje só não fumo pois tenho filhos e como é uma pratica ilegal não quero arriscar ser preso atoa, concerteza usaria novamente se fosse liberado, pois é uma planta espetacular pois relaxa, acalma e torna a vida em si muito melhor, e no ponto de vista é um dinheiro a menos que vai pro trafico não é almento pois todos poderam colher seus proprios frutos principalmente porque os que encontramos na rua não sabemos por onde passa. PAZ e AMOR! Legalize Cannabis Sativa. Eric Mairiporã - SP