quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Vítimas de violência doméstica em Porto Alegre, RS, agora contam com atendimento psicológico



Há cerca de um mês, a Defensoria Pública do Rio Grande do Sul colocou em prática um projeto de atendimento psicológico às mulheres vítimas de violência doméstica que procuram auxílio na comarca de Porto Alegre. Responsável pelo serviço, o psicólogo Marcelo Spalding Verdi aponta que a restituição dos recursos internos das vítimas, sua autoestima, é o primeiro objetivo do atendimento.

De acordo com ele, o acolhimento imediato à vítima a ajuda a reconhecer-se como detentora de direitos e a enfrentar o constrangimento pela exposição de sua situação. “Para que a vítima reconheça seu valor e seus direitos e sustente a esperança de justiça, é preciso ativar sua autoestima, sua motivação e capacidade de discernimento”.

O projeto, que decorre de parceria com o Pronasci, é desenvolvido pelo Núcleo de Defesa da Mulher Vítima de Violência da Defensoria Pública e é disponibilizado na Unidade Central de Atendimento e Ajuizamento, no Foro Central e na Delegacia da Mulher. As mulheres assistidas são encaminhadas ao atendimento psicológico pelas Defensoras Públicas assim que for concluída a primeira entrevista de orientação jurídica. No contato inicial, além do acolhimento, são feitas combinações a respeito da continuidade do atendimento psicológico.

Também integram a equipe que realiza os atendimentos as estudantes de Psicologia Geórgia Portela Ranzolin e Pâmela de Freitas Machado. As vítimas de violência podem dar segmento ao acompanhamento psicológico, sem número limite de consultas.

Confira abaixo os horários e locais de atendimento:

UCCA – terças e sextas-feiras pela manhã e quintas-feiras o dia todo
Delegacia da Mulher – segundas e quartas-feiras à tarde
Foro Central – terças-feiras à tarde

Um comentário:

Anônimo disse...

Escrita deveras interessante neste espaço, visões assim dão valor ao indivíduo que reflectir neste blog :/
Dá mais deste web site, aos teus cybernautas.