segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Sejusp e Defensoria Pública promovem mutirão na Penitenciária Central do Estado



Da Reportagem

Em comemoração ao Dia Estadual da Ressocialização (26.08), a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), em parceria com a Defensoria Pública do Estado, promove, na Penitenciária Central do Estado (PCE), um mutirão para a confecção de documentos pessoais para os reeducandos da unidade.

Para realizar o mutirão a Defensoria está utilizando pela primeira vez, um gabinete móvel. Uma Van, adaptada com mesas e cadeiras, com capacidade de atender duas pessoas por vez, vai estar na unidade quatro vezes por semana. A estimativa dos organizadores é atender aproximadamente 300 homens que cumprem pena na PCE.

O atendimento é rápido. O reeducando é encaminhado para o gabinete onde responde algumas perguntas feitas pelo atendente como nome e data de nascimento. Com essas informações, a Defensoria inicia o processo para a confecção dos documentos.

No mutirão os reeducandos podem retirar Certidões de Nascimento e Casamento, Carteira de Identidade, Carteira de Trabalho e o Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Segundo a coordenadora de Relações Institucionais e de Cidadania da Defensoria Pública, Daniela Biancardine, primeiro estão sendo feitas a coleta de dados e certidões de nascimento e casamento. Após essa etapa voltaremos junto com a Politec, Delegacia Regional do Trabalho e Banco do Brasil para dar saída a toda a documentação pessoal do preso, explicou.

Para o diretor da Penitenciária Central do Estado, José Carlos de Freitas, a parceria feita entre a unidade e a Defensoria é excelente e vai ajudar ainda mais na ressocialização dos reeducandos da unidade. Nada melhor do que comemorar o dia da ressocialização fazendo essa ação de cidadania. Com os documentos pessoais o reeducando consegue sonhar com um novo futuro na sociedade, disse.

O reeducando Wilson Roma de Oliveira Junior, preso há nove meses por roubo, foi um dos atendidos pela Defensoria Pública. Essa é uma ação muito boa. Quero ter logo a minha carteira de trabalho para quando sair daqui poder trabalhar e não voltar para a criminalidade, falou.

Nenhum comentário: