segunda-feira, 26 de setembro de 2011

ALBUM DE CASAMENTO


Quase todas as mulheres alimentam o sonho do casamento. Sim, eu posso ter estacionado em algum lugar do passado e já não se tratar de tantas assim. Mas não há dúvida de que muitas mulheres ainda sonham e planejam o seu casamento - desde a escolha dos móveis e utensílios domésticos até o vestido de noiva e o cardápio da festa.
Acho que se trata de desejo biológico, ligado a hormônios femininos algo próprio de mente de mulher.
É como se elas, as futuras noivas, entrassem em um túnel - o túnel do casamento - e não vissem mais nada nem ninguém ao seu redor. Elas fazem listas em diversas lojas, escolhem a costureira para o seu vestido, visitam feiras especializadas de serviços de casamento, pesquisam preço de tecido, visitam diversas lojas de móveis, compram revistas de decoração, querem obra, querem a moda, ponderam sobre o tipo de ouro da aliança, querem tudo o que podem (e o que não podem também). Ainda não falei da festa de casamento.
Noivas enlouquecidas reservando datas em igrejas tradicionais, trocando ideias sobre buffets para a festa, estocando bebida alcoólica comprada muitas vezes em free shops, procurando fotógrafos, empresas de filmagem, spas para o dia da noiva, discutindo modelo de convite, convidando madrinhas (e muitas vezes determinando suas vestimentas também!).
Cansei. Cansei só de imaginar e compartilhar aqui.
Mas não me canso de analisar a situação descrita sob uma perspectiva mais isenta como a minha. Observo que o casamento e todo o seu entourage podem ocupar um espaço desproporcionalmente maior numa relação profunda o suficiente para levar duas pessoas a decidirem morar juntas. Essa fatia da população feminina que opta com seus noivos e namorados pela tradição das cerimônias e festas de casamento parece ficar cega, frenética e até frígida, nos dando a impressão de que seu único gozo é o advindo das conquistas obtidas nesse túnel de mão única.
Essas mulheres me parecem perdidamente apaixonadas. Apaixonadas pela ideia do casamento com seus ritos e rituais. Tenho a impressão de que o objeto da paixão – o homem com quem decidiram se casar – passa a ser mero acessório nessa desvairada corrida pelo sucesso matrimonial. Por meses, às vezes anos, parte (ou todo) do romantismo próprio da ocasião pré-nupcial dá lugar ao frenesi dos preparativos.
Não quero ser dura ou cruel no meu julgamento pois sou mulher e bem sei da delícia de se realizarem sonhos femininos (sim, casar- se é um sonho tipicamente feminino), mas é bom lembrar que o homem com quem desejamos realizar esse sonho é a peça mais importante do quebra-cabeça conjugal. Mais gostoso do que se vestir de noiva ou ter uma festa de princesa, é viver os últimos tempos de namoro (aqueles que antecedem o dia a dia rotineiro e o, às vezes, burocrático casamento) com paixão, tesão, juventude e até um pouco de inconsequência. Afinal, jantar à luz de velas, vinho na praia numa noite fria, sexo no sofá, viagem não planejada no final de semana, beijos, abraços e gargalhadas irresponsáveis são as melhores memórias que podemos guardar em nosso álbum de casamento.
Por Bia Willcox, fonte: Jornal a Gazeta

3 comentários:

Luma Rosa disse...

Estou em Minas e uma sobrinha está se preparando para o casamento que será daqui 3 meses. O noivo é o que mais festeja, indo contra o conceito da autora.
Os casais nunca são iguais e ainda mais atualmente onde a grana anda curta e achamos desnecessário um investimento muito alto em cerimonial. Por outro lado, casais que se afinam e querem a celebração com tudo o que sonham, tem o meu apoio!! Estarão velhinhos e lembrando do grande dia, pois sim!
Beijus,

Bia Willcox disse...

Oi, Luma.
Não escrevo baseada em regras absolutas e sim na percepção genérica do que vejo. O que escrevi nesta crônica já foi tema de filme inclusive. Que bom que há noivos, como o da sua sobrinha, que curtem todos os preparativos e, principalmente, interagem e se sintonizam com este momento de preparação. Quanto às festas de casamento, a crônica não é contra elas, aliás não é contra nada. Só questiono a priorização de certos casais, em sua maioria mulheres,quando decidem se casar. Sou festeira e concordo com voc6e que o melhor é ter lembranças de rituais felizes para lembrar! Felicidade aos noivos da sua família!
Bj
Bia Willcox

Luma Rosa disse...

@Bia, me lembrei de um noivo que surtou na semana passada: Quando a noiva entrou na igreja, ele arrancou a roupa e saiu correndo pelado, fugindo da "loucura do casamento".
Existem muitas mulheres loucas para casar e que desde a tenra idade sofrem com a pressão familiar. Duvido que se a familia não investisse tanto em produções, os noivos sozinhos seriam tão passionais nos preparativos! A culpa é da nossa cultura latina? Em parte, pois também vejo produções em outros países nesse sentido.
Não contrariei o seu texto, apenas acrescentei que os homens também são loucos para casar. Em alguns casos, até mais que as mulheres, afinal, o casamento é bastante confortável para eles.
Sobre o que penso sobre o casamento? Escrevi um texto sobre: Casamento, Pra que Te Quero?
Bom fim de semana! Beijus,