quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

A VINGANÇA PARTE XXXVI

  
Depois de aposentar-me, fui até o INSS para poder receber meu benefício. A mulher que me atendeu solicitou minha identidade para verificar minha idade.

Chequei meus bolsos e percebi que a tinha deixado em casa. Disse a mulher que lamentava, mas teria que ir até minha casa e voltar depois.

A mulher disse, "Desabotoe sua camisa."

Então, desabotoei minha camisa deixando exposto meus cabelos crespos prateados. Ela disse, "Este cabelo prateado no seu peito é prova suficiente para mim," e processou meu benefício.

Quando cheguei em casa, contei entusiasmado o que ocorrera para minha esposa. Ela disse, "Por que você não abaixou as calças ? Você poderia ter conseguido auxilio-invalidez também..."

E então a briga começou...

Um comentário:

RÔMULO PAES BARRETO disse...

Dileta amiga TÃNIA MATOS; li o período de sua estada em Porto de Galinhas que, por incrível que pareça, não conheço. Nasci na região, mas gosto muito de São José da Coroa Grande, que já foi
distrito de Barreiros, onde nasci.
Pelo que informa, aproveitou bem os dias por lá, com muitas opções para distração do menino. Como já disse, lá se fazia comércio de escravos. Fez bem em sair um ouco da rotina de trabalho, aproveitando a oportunidade para manifestar as minhas saudações pernamvucanas. Rômulo Paes Barreto