quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

VEJAM OS NÚMEROS DO ACESSO A JUSTIÇA

Brasil tem 10 juízes para cada 100 mil habitantes

O MJ lançou na última segunda-feira, 16, o portal Atlas de Acesso à Justiça, que apresenta o INAJ - Índice de Acesso à Justiça, indicador que mostra em números e gráficos, variáveis sobre o Sistema de Justiça e os aspectos sociais da população brasileira, além de como está estruturado o sistema de Justiça no país.

De acordo com os dados apurados pelo índice, para cada 100 mil habitantes, o Brasil tem:
  • 311 advogados;
  • 10 juízes;
  • 7 promotores;
  • 3 defensores.
Juízes
O Estado com o menor número de juízes para cada 100 mil habitantes é o MA, com, 5,41. Número mais de três vezes inferior que o AP, com 17,81 juízes.
Quando consideradas as regiões, a quantidade de juízes são:
  • Centro-Oeste: 12,34
  • Nordeste: 7,26
  • Norte: 12,33
  • Sudeste: 9,78
  • Sul: 12,58
Promotores
O PA é o Estado tupiniquim com o menor número de membros do MP para cada 100 mil habitantes, apenas 2. Na outra ponta do gráfico está o DF, com 17 membros.
Quando consideradas as regiões, a quantidade de promotores são:
  • Centro-Oeste: 9,79
  • Nordeste: 5,42
  • Norte: 8,42
  • Sudeste: 6,47
  • Sul: 6,51
Advogados
No MA, para cada 100 mil habitantes existem 108 advogados; número quase oito vezes menor que no DF, que apresenta 852 advogados.
Quando consideradas as regiões, a quantidade de advogados são:
  • Centro-Oeste: 474,91
  • Nordeste: 190,95
  • Norte: 215,62
  • Sudeste: 504,95
  • Sul: 425,34
Defensores
O número de defensores públicos é o que mais possui diferenças entre os Estados. Enquanto em GO existem 0,1 defensores para cada 100 mil habitantes, no AP, são 13.

Quando consideradas as regiões, a quantidade de defensores são:
  • Centro-Oeste: 4,59
  • Nordeste: 2,96
  • Norte: 6,09
  • Sudeste: 3,32
  • Sul: 1,73

2 comentários:

Luma Rosa disse...

Oi, Tânia!
Os advogados não são incentivados a exercer a profissão e muito menos prestar concurso. Aqui na cidade onde moro, já ouvi advogados dizendo que esperam chamada para ocupar cargos em concurso que passaram e não acontece. Não entendo direito, parece que o prazo expira e é feito novo concurso. Estudam para concurso, perdem tempo e nada das vagas serem ocupadas. Também vejo muitos advogados exercendo outras profissões. Qual o fim disso? O Brasil ainda é o país que mais produz papéis em cartórios... a matemática não parece correta! :D
Boas festas e feliz 2014!!
Beijus,

Tânia Defensora disse...

Pois é Luma, a profissão para os recém formados não é muito atrativa já que os salários são relativamente baixos e se exige muita responsabilidade do profissional. Se o bacharel prestar um concurso para qualquer carreira jurídica vai começar ganhando um salário que um advogado só irá perceber depois de no mínimo 10 anos de muita ralação. Então, é óbvio que os recém formados vão preferir sempre prestar concurso e não investir tempo numa profissão bastante saturada e digo até um pouco desgastada por conta de alguns profissionais que insistem em não agir com ética.