quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Designer mato-grossense vai reconstruir rosto de Santo Antônio em 3D para expor na Itália


O 3D designer Cícero Moraes, morador de Sinop (500 km de Cuiabá), foi contratado pelo Museu de Estudos da Universidade de Pádua, na Itália, para fazer uma reconstrução em 3D do rosto de Santo Antônio – conhecido como o Santo Casamenteiro no Brasil.

O trabalho deverá ser concluído até novembro deste ano para uma exposição aberta ao público, no continente europeu. O projeto Volto di Sant'Antonio foi encomendado ao grupo de pesquisas Arc-Team, da Itália, que tem a colaboração do artistas de Mato Grosso.

A imagem que conhecemos de Santo Antônio apresenta um rosto com traços finos e delicados. Cícero explicou que essa feição conhecida por fiéis no mundo todo representa um desafio para a equipe de reconstrução.

“Pelas pesquisas que fizemos até o momento ele provavelmente tinha um rosto mais robusto e usava roupas mais simples do que aquelas que vemos hoje em pinturas e estátuas, uma vez que a ordem franciscana tem como uma de suas premissas o desapego aos bens materiais. Não queremos derrubar o legado de Santo Antônio, e sim, cientificamente, conhecer melhor essa figura tão importante para o mundo,” destaca o 3D designer Cícero Moraes.

Além das referências históricas, Cícero tem algo precioso que pode ajudá-lo a chegar a quase 70% do que seria o rosto verdadeiro do santo. Os ossos e o crânio estão conservados. O corpo repousa na Basílica de Santo Antônio de Pádua, na Itália, onde um grupo de frades toma conta dos restos mortais e se encarrega de estudos sobre a vida e a obra do santo.

“É com base no crânio dele que conseguimos informações e referências para nos aproximarmos do homem que realmente foi. Não há precisão de 100% nesse trabalho, mas com base em outros que fizemos, podemos afirmar que características básicas e marcantes podem ser evidenciadas trazendo à luz uma face muito compatível com aquela que ele teve em vida”, destaca.

Currículo

Cícero Moraes é especialista em criar imagens em 3D para peças comerciais e jogos utilizados em computadores, com trabalhos desenvolvidos para clientes brasileiros e de outros países. Nos últimos dois anos estuda e desenvolve reconstruções faciais.

O designer também foi convidado para atender a Campus Party, um dos maiores eventos de inovação tecnológica, internet e entretenimento eletrônico do mundo, que será realizada de 27 de janeiro a 2 de fevereiro de 2014 em São Paulo.

Cícero usa um programa livre de computador chamado Blender para a modelagem 3D e precisa também de estudos aprofundados sobre reconstrução de faces, odontologia, história, antropologia e outras ciências.

Na Itália, entre outros, Cícero atua em parceria com o grupo de pesquisas arqueológicas Arc-Team, formado por antropólogos e arqueólogos, dentre eles Luca Bezzi.

No Brasil, Cícero tem como parceiros o Museu Egípcio e Rosacruz, o Museu de Arqueologia Ciro Flamarion Cardoso, o Centro de Tecnologia Renato Archer (CTI) de Campinas-SP, o OFLAB-USP (Laboratório de Antropologia e Odontologia Forense da USP), além do especialista em Odontologia Legal, Paulo Eduardo Miamoto Dias.

Fonte:

Nenhum comentário: