sábado, 13 de setembro de 2014

DESTINO: LIMA, CUSCO E MACHU PICHU

Estive no começo do mês no Peru. Pertinente alertar que se você não tiver preparo físico procure outro destino ou então feche um passeio com mais tempo de viagem. Eu adquiri um pacote de 2 dias em Lima, 2 dias em Cusco e 2 dias em Machu Pichu. Foi exaustivo. Com 44 anos, mesmo fazendo aulas de muay thai,  de duração de uma hora, três vezes por semana, seguida de 30 minutos de musculação, intercaladas com Pilates, fiquei muito cansada em razão da altitude.

Não deu tempo de conhecer alguns museus que eu gostaria e determinados pontos turísticos que valeriam muito a pena. A cultura peruana é extremamente rica tanto quanto os seus recursos naturais.

Dormimos duas noites em Lima. Hospedei-me no Allpa, que fica no bairro Miraflores. Próximo ao local há uma praça da onde sai o Bus Tour com passeios para vários pontos turísticos.

Tivemos oportunidade de ir conferir a Mistura, uma das mais importantes feiras gastronômicas da América Latina.

Em Lima não chove desde 1970, mas garoa e o clima para quem está acostumado com calor de Cuiabá é frio. Vale a pena conhecer o shopping Larcomar, onde fica o restaurante Mangos, com vista panorâmica para o mar.

No dia seguinte saímos de madrugada para desembarcarmos em Cusco, 3.400 metros acima do nível do mar.  Ficamos hospedados no MamaSara. Vale o custo benefício.
 
Durante o City Tour e visita ao Sítio de Qorikancha, em Cusco, tive dor de cabeça que foi resolvida com um comprimido que um casal de baianos me forneceu. O nome do remédio? Sei lá... o desespero era tão grande que tomei sem perguntar sequer qual a composição do medicamento, mas se você é alérgico e costuma ter mal estar súbitos quando muda de ambientes, leia este post, que é de um médico mochileiro.

Antes de subirmos ao  Sítio de Qorikancha combinamos de encontrarmos com o guia em frente à Catedral de Cusco, na Plaza das Armas, onde havia várias peruanas vendendo capas e guarda chuvas. É óbvio que não comprei e ainda deduzi que era algo para tirar dinheiro fácil de turista.

No horário combinado nos foi indagado se preferíamos ir primeiro a Qorikancha, onde o tempo era instável e poderia estar mais frio se deixássemos para fazer o passeio depois da visita à Catedral. Então, todos concordaram em ir a Qorikancha antes da Catedral.

E advinha? Aquela tarde ensolarada de uma hora para outra escureceu, começou a chover e o frio aumentou sensivelmente. Deveria ter comprado a capa de chuva...era super barato. A boa notícia é que não demorou muito para o sol voltar a brilhar, mas o frio continuou: a sensação térmica era de uns 5 graus.

No dia seguinte, pegamos o trem pela Peru Rail, na estação de Poroy, cidade situada a 20 minutos de Cusco, para chegarmos a Machu Pichu. No caminho pudemos avistar as cápsulas situadas a uma altura absurda, onde os mais aventureiros podem passar a noite. Segundo um dos atendentes do serviço de bordo do trem, o pernoite custa em torno de mil sóles, ou o equivalente a mil reais.


Machu Pichu é incrível!!! Dormimos uma noite no Casa Andina, onde o café da manhã é complementado com uma vista muito agradável.

Para Machu Pichu você só pode levar uma mochila ou bolsa de mão. Não se assuste: a cidade é bem mais quente que Cusco. Faça a viagem com uma camiseta de manga curta por baixo das roupas de frio. No decorrer da viagem vai sentir a diferença do clima em razão da vista dome. Para percorrer o Parque Arqueológico sugiro calça jeans e uma camiseta leve, mas não deixe de levar capa de chuva. No domingo, dia 07 de setembro, subimos com um sol a pino, descemos com o tempo nublado e quando esperávamos o ônibus para ir ao hotel pegamos uma chuva torrencial.

Indico a viagem, mas... programa-se para ficar pelo menos 8 dias. Quem gosta de contemplar a natureza, fotografar e conhecer a história do País precisa desse tempo no mínimo.

Nenhum comentário: