terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Crônica da fotografia


Quase não tenho tido tempo de escrever e tampouco de ler, álias, ontem, 07.01 foi o dia do leitor. Parabéns a todos que apreciam a leitura e especialmente aos blogueiros que se comunicam, exemplos de leitores assíduos.
Mas mesmo lendo pouco, recomendo: "Mereça ser feliz", de Ernance Dufox, literatura espírita, não chega a ser auto-ajuda, mas aponta um caminho bastante real para a felicidade. E por falar em espiritismo, ontem também foi o dia da Liberdade de culto, sabia não? Parabéns a todos os cristãos, principalmente à Adriana, do Espírita na Net.
E hoje é dia do fotógrafo.

A primeira pessoa no mundo a tirar uma verdadeira fotografia foi Joseph Nicéphore Niepce, em 1826. Ele conseguiu reproduzir, após dez anos de experiências, a vista descortinada da janela do sótão de sua casa, em Chalons-sur-Saône.
Por volta de 1822, Niepce já trabalhara com um verniz de alfalto aplicado sobre vidro, além de uma mistura de óleos destinada a fixar a imagem. Com esses materiais, obteve a fotografia das construções vistas da janela de sua sala de trabalho - após uma exposição de oito horas. Contudo aquele, aquele sistema heliográfico era inadequado para a fotografia comum, e a descoberta decisiva seria feita por um cavalheiro muito mais cosmopolita: Louis Daguerre.
Ela ocorreu em 1835, quando Daguerre apanhou uma chapa revestida com prata e sensibilizada com iodeto de prata, e que apesar de exposta não apresentara sequer vestígios de uma imagem, e guardou-a, displicentemente, em um armário. Ao abri-lo, no dia seguinte, porém, encontrou sobre ela uma imagem revelada. Criou-se uma lenda em torno da origem do misterioso agente revelador - o vapor de mercúrio -, sendo atribuído a um termômetro quebrado. Entretanto, é mais provável que Daguerre tenha despendido algum tempo na busca daquele elemento vital, recorrendo a um sistema de eliminação. Em 1837, ele fá havia padronizado esse processo, no qual usava chapas de cobre sensibilizadas com prata e tratadas com vapores de iodo e revelava a imagem latente, expondo-a à ação do mercúrio aquecido. Para tornar a imagem inalterável, bastava simplesmente submergi-la em uma solução de aquecida de sal de cozinha.
Pode-se perceber que a fotografia não é descoberta de um único homem. Muitas experiências de alquimistas, físicos e químicos sobre a ação da luz, foram de extrema relevância no contexto da fixação de imagens. As descobertas se entrelaçam no mundo de domínio da fotoquímica.
A história da fotografia está, portanto, diretamente ligada ao estudo da luz e dos fenômenos óticos.
Ainda na Grécia antiga, o filósofo Aristóteles (384-322 a.C.) constata que raios de luz solar, durante um eclipse parcial, atravessando um pequeno orifício, projetam na parede de um quarto escuro, a imagem do exterior. Este método primitivo de produzir imagens recebe o nome de câmara escura, usada pela primeira vez com utilidade prática pelos árabes, no século XI, para observar os eclipses.
Nesta primitiva câmara, encontram-se os princípios básicos da câmera fotográfica.
Fonte: www.fotoreal.com.br


Mas continuando... quando não há tempo para ler, nem para escrever o melhor a se fazer é fotografar!
E eu fotografo desde 8 anos. Usei muito o modelo de máquina que ilustra o post. Sou de uma família de fotógrafos: meu pai foi fotógrafo, meu irmão mais velho, meu irmão mais novo, meu filho de 4 anos se diverte com minha máquina, meu marido tem esse hobby e até meu sobrinho anda se aventurando nesta seara, veja algumas fotos no site: www.vgfotomania.com
Hiii... agora que me dei conta, hoje, no dia do fotógrafo, meu sobrinho querido faz aniversário.
Parabéns André!
Um beijo grande desta tia coruja.

5 comentários:

Lusófona disse...

Oi Tânia!! Tenho uma sobrinha que faz aniversário também nesse dia =P

Na minha família não tem fotógrafos, embora o meu marido adora fotografias e tem jeito ;)

Beijos

Tânia Defensora disse...

Oi Lusófona!
Pois é. Quem não é fotógrafo, se aventura e acaba gostando.
Obrigada pela visita.

Adriana disse...

Oi Tânia!

Que legal, não sabia que no dia 07 de Janeiro comemora-se, entre outras coisas, o dia da Liberdade de culto! É importante lembrarmos que, independente da religião que seguimos, o mais importante é respeitar sempre aqueles que não pensam como nós, afinal, a religião deve servir para aproximar as pessoas de Deus e não ser motivo de discórdia entre elas, não é mesmo? Ah, e muito obrigada mesmo por lembrar de mim, viu? Poxa, fiquei muito feliz... Parabéns a você também!!!

E falando em “dia do leitor”, considero-me agraciada também por esse dia, afinal, adoro ler! E agora estou gostando cada vez mais de escrever também! (já deu pra perceber, né? Rsrs)

Nossa, legal saber que vc fotografa! Acho tão bonito, é uma arte saber captar as imagens, certas fotos tem a capacidade de nos transportar mesmo aos locais fotografados, acho uma boa maneira de expressar os sentimentos, adoro arte, seja fotografia, pintura, e acho que as pessoas que dedicam-se a esse tipo de arte, seja como hobby ou profissão, sempre são muito inteligentes e sensíveis. Ah, falando nisso, vc conhece o blog da Du, o Norte? Dá uma passada lá, acho que vc vai gostar, ela fotografa também (e escreve poesias): http://dullim.blogspot.com/

Ufa, vou ficando por aqui! O pessoal já está me conhecendo por escrever comentários quase do tamanho de um post! Rsrsrs...

Beijos e bom final de semana!

Tânia Defensora disse...

Oi Adriana!
Obrigada pela visita e eu assim como vc adoro ler, portanto, gosto de seus comentários grandiosos.
Beijos

Anônimo disse...

Nossa tia, eu ando tão desligado que nem lembrava que a senhora tinha um blog, estava então dando uma olhada por ai e descobri seu blog.

Adorei a postagem e a sua homenagem a todos esses profissionais que muitas vezes perdem noites para promover a emoção de um momento em uma certa ocasião, porêm naquele instante mágico, atravez de um clique, pode-se aventurar e relembrar o mesmo momento em qualquer dia de nossas vidas.

Muito obrigado pela nossa homenagem!
A senhora sabe que adoro a senhora muito também, sou muito grato por tudo, e quem diria que até seu sobrinho seria um dos mais novos fotógrafos de várzea grande! ha ... tem mais, ainda acho que nessa família, até o meu filhote vai exercer essa profissão, pois adora uma bagunça a noite que você nem imagina,