quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Contra pedofilia, em defesa da inocência


Esta é uma história real

Três anos atrás:

_ Alô!

_ Oi tudo bem?

_ Oi Ana?

_ Eu queria lhe pedir para você atender um conhecido meu.

_ Fala para ele me procurar à tarde.

_ Obrigada!

Às 13.00 um homem aparentando 30 anos apareceu e se identificou como amigo da Ana.

_ Pois não?

_ Eu quero propor uma ação de modificação de guarda.

_ O senhor tem motivos fortes para isso?

_ Sim, motivos e documentos. _ Colocou sobre a mesa uma pilha de papéis, que fui lendo um a um. Eram cópias de depoimentos prestados ao Conselho Tutelar do Município sobre um possível caso de abuso sexual envolvendo a filha dele.

_ Desde quando isso vem acontecendo?

_ Não sei ao certo. Eu me separei da mãe da menina quando ela tinha 09 anos. Logo em seguida ela arrumou um namorado e já foi viver com ele. Eu fui embora para outro Estado e não tive mais contato, só depositava a pensão. Eu preciso resolver logo isso por tenho que voltar para o Maranhão, minhas férias estão se acabando.

_ Quem denunciou?

_ Uma professora notou marcas roxas espalhadas pelo pescoço da menina e levou ao conhecimento da mãe. A mãe não deu bola. A professora então falou pra minha irmã e ela denunciou ao Conselho.

_ No depoimento de sua filha ela alega que era só uma brincadeira entre ela e o padrasto. Diz aqui que o padrasto era o vampiro... E a sua ex mulher confirma a versão.

_ Mas a Justiça não tem um meio de descobrir que a menina está sendo forçada a confirmar essa estória?

_ Sim, mas isso demanda tempo. Ela terá que ser avaliada por uma equipe de profissionais, o senhor não está com pressa de voltar para a sua casa?

_ Veja o que a senhora pode fazer com esses documentos que lhe entreguei. Aí tem laudo do IML que demonstra que ela foi chupada.

_ Eu vou tentar obter uma liminar com base nesses documentos.

Peticionei juntando todos os documentos e o Juiz concedeu a liminar para que a menina fosse morar com o pai no Maranhão.

Há seis meses recebo outra ligação:

_ Oi!

_ Oi Ana!

_ Lembra-se daquele caso que você conseguiu a liminar de modificação de guarda?

_ Sim.

_ Pois é, aquela menina está grávida do padrasto.

_ Mas o pai dela não a levou embora?

_ Ela não quis ir e ele lavou as mãos.

_ E as tias?

_ Estão todas revoltadas, xingando todo mundo, querendo bater na mãe da menina, mas eu disse a elas que elas também foram coniventes com a situação. Quando a justiça concedeu a liminar e a menina não quis ir embora com o pai, qualquer uma delas poderia ter pleiteado a guarda, mas nenhuma delas quis assumir a responsabilidade.

_ E agora?

_ Estão os três vivendo na mesma casa e a mãe está dando maior apoio ao relacionamento. Ela diz que os dois se amam!

_ Que horror!

_ Pois é. Eu só te liguei para ver em que vara tramitou o processo de modificação de guarda para eu tirar cópia e juntar no inquérito que está apurando o caso.

_ Eu verifico e te ligo.

Quinze dias depois recebo uma ligação do CREAS (Centro de Referência e Assistência Social) do Município:

_ Estou com um caso cabeludo que está me tirando o sono.

_ O que é?

_ Uma menina que engravidou do padrasto e está vivendo na mesma casa com a mãe...

_ Já sei e já fiz o que poderia ter sido feito no momento certo.

_ Mas eu falei com o Juiz da Infância e ele falou que é caso para vocês resolverem.

_ Não. Ele está enganando, a Defensoria agiu quando deveria ter agido para evitar que a situação dessa menina chegasse onde chegou. Naquela ocasião não havia ruptura do hímen, hoje há prova de que ela manteve relação sexual. É só fazer exame de DNA para comprovar a autoria. Manter relação sexual com menor de 14 é estupro. Não é mais caso para nós resolvermos. É caso de polícia e esse cara tem que ser preso.

_ É?

_ Sabe do que mais: você não deveria perder o sono por isso. Essa menina tem pai e mãe e se houve omissão foi por parte deles.

_ Mas os vizinhos da menina estão revoltados com a Justiça...

_ Os vizinhos não têm que ficar julgando as autoridades. Eu não me lembro de ter lido depoimento de nenhum vizinho na ocasião em que a tia da menina denunciou o caso ao Conselho. Faça a sua parte: relate o que você sabe e deixe que a Polícia faça o resto. Eu também me solidarizo com a menina, ela não tem culpa, é mais uma vítima, só que nem eu e nem você somos responsáveis pela situação em que essa menina se encontra. Nós sabemos que ela precisa ser retirada desse "lar" e ir para um abrigo e isso só vai acontecer quando o inquérito for concluído.


Ainda não recebi a notícia da prisão do abusador e nem sei se ele está sendo processado. Também não sei se a adolescente já teve a criança e se ainda mora com a mãe e o padrasto.


52 comentários:

Maria Augusta disse...

Tânia, parece ficção, eu me pergunto que mãe é esta, que oferece a filha de bandeja a um pedófilo! Tanto a mãe quanto o padrasto merecem ser presos e a gente se pergunta o que sera da vida desta menina e de seu bebê. Que tristeza!
Um abraço.

Wilian Mendes disse...

È complicado. Conivência de toda parte. Uma criança corrompida...uma mãe permissiva...um padastro oportunista..um pai que tentou..mas lavou as mãos.
Difícil..Até parece aquela história de que não adianta chorar pelo leite derramado.
Cada caso um caso...Mas é bom saber..para termos condições de avaliarmos e entendermos que o problema é grave..amplo e com diversas possibilidades..Infelizmente..alguns com final feliz(?) e outros..como esse relatado..
Parabéns.

Fábio Mayer disse...

Eu sempre me pergunto porque o juízes são tão moles em determinar prisão preventiva em casos assim.

Belo post... embora o fato seja trágico.

Sonia H. disse...

Olá, Tânia,

Sou Sonia e também estou participando da blogagem coletiva contra pedofilia.

Fiquei chocada com a história verídica relatada por você. O pior de tudo é a conivência dos pais.

Abraços,

Sonia

Tânia Defensora disse...

Oi Maria Augusta.
Eu também me faço essa pergunta: o que será da adolescente e do seu bebê?
Abs

Tânia Defensora disse...

Oi Wilian!
Quem trabalha na área sabe que muitas vezes é a própria família a responsável pela corrupção de seus membros.
Um abraço

Tânia Defensora disse...

Oi Fábio!
São tantas conjunturas. Será a autoridade competente pediu a prisão preventiva desse abusador? O juiz não pode agir de ofício.
Abs

Tânia Defensora disse...

Oi Sonia.
Nesse caso o que me chocou foi exatamente a conivência dos pais.
Abs

Adriana disse...

Olá Tânia!

De fato, é chocante! Que Deus ilumine essas pessoas...

Bela contribuição para a blogagem!

Beijos!

Ronaldo disse...

Que horror!!!

E tono mundo conivente??

Meu... como consegue?

Até mais!!

Tânia Defensora disse...

Olá Adriana!
É chocante mesmo.
Espero que tenha servido como alerta.
Abs

Tânia Defensora disse...

Oi Ronaldo!
Eu acho que a família foi mais conivente.
Veja: a professora notou informou a mãe, uma tia denunciou, o Conselho Tutelar agiu, o pai agiu, mas acabou desistindo...
Obrigada pela visita.

»Cláudia Pit« disse...

Oi Tânia,
É lamentavel que cenas reais como essa sejam corriqueiras. Eu sou professora infantil e quando ainda morava no ABC/SP, trabalhei numa creche de periferia... Deparei-me com um caso semelhante a esse, só que no caso, era menino.
Lembro-me que na época (uns 15 anos atrás) fizemos um barulho e tanto, procuramos ass.social, a policia, a vara da infância... E não tivemos resultados, pq não tínhamos provas reais....
Na minha opinião, a mãe e o padastro deveriam ser presos!

Faço parte dos amigos da Blogsfera e estou feliz, pois a cada novo blog que visito, encontro informações diferentes e excelentes.
Creio que assim atingiremos um numero grande de pessoas e somente informação é capaz de manter pais e responsáveis em alertas!!

parabéns pelas informações passadas!

bjs
Cláudia Pit
http://claudiapit.zip.net

Tânia Defensora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciane disse...

Oi, Tânia! Que legal encontrar o teu blog, e que caso interessante esse. O repugnante nesse caso é realmente a conivência dos país, mas tambem da sociedade, que lava as mãos frente à evidência de que o abuso existiu ou estava na iminência de acontecer. Essa menina deveria ter recebido assistência psicológica, pra que conseguisse entender que era vítima da situacão.
Que tragédia.
Abraco pra ti.

Tânia Defensora disse...

Oi Claúdia!
Minha cunhada também é professora e passou pelo mesmo sofrimento.
É horrível saber que somos impotentes perante pessoas.

Tânia Defensora disse...

Oi Luciane!
Concordo com vc, a adolescente deveria ter recebido assistência psicológica sim, naquela ocasião da "brincadeirinha".
Um abraço

Marcos disse...

Me desculpe a franqueza, doutora, mas a morosidade da Justiça ajuda casos como esse se agravarem. Tudo bem que deve haver o respeito à individualidade, mas a celeridade e a autoridade têm que serem uníssonas em casos urgentes.

Maria Fernanda disse...

Complicada a nossa realidade... já passei por isso na sala de aula...
Parabéns pela post.
bjs

Maria Fernanda disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Sombra do Sol disse...

Boa noite, nosso mundo da blogosfera é fascinante, sozinhos não somos nada, mas unidos temos forças para mover toda sociedade, pena que nem todos pensam assim.
A pedofilia é um crime hediondo, os pedófilos devem ser julgados e severamente punidos, não sei é se nossos governantes pensarão da mesma maneira. Pois se até mudam as leis para proteger alguns. Parabéns pelo seu post, muito bem elaborado. Ofereço minha amizade e minha admiração. Abraços fraternos do amigo.
http://sombradosol.zip.net

Lulu on the Sky disse...

Muito horrivel pedofilia..
Pior foi a mãe concordar com tudo.
Tb participei desta blogagem coletiva.
Sucesso pra vc.
Big Beijos

Tânia Defensora disse...

Oi Marcos!
Vc tem razão, mas a "morosidade" ocorre porque vivemos num País democrático. Todo mundo tem direito a defesa.
A ampla defesa ocasiona a morosidade.
É o preço que pagamos pela democracia.

disse...

Olá Tânia!

Fico tão entristecida com esses casos, que em vcs homens e mulheres da justiça, deve ser muito complicado e traumatozante.
Penso no advogado que defende o réu, Deus como deve ser complicado.
Quando a justiça irá mudar Tânia?
Sou vovó e fico a pensar no meu netinho, que medo...
Seu post é muito realista, e isso é muito bom, pois as vezes parece que isso não é real...
Fique com Deus minha querida e muita Paz para vc.
Beijos!
Rô!

Tânia Defensora disse...

Oi Fernanda!
Viu a importância da professora nesta história?
Abraços

Tânia Defensora disse...

Oi Sombra do Sol!
Concordo com vc, unidos temos força para mover a sociedade. Cada um fazendo a sua parte. Obrigada pelo comentário carinhoso.
Abs

Tânia Defensora disse...

Oi Lulu!
Também acho que o pior foi a mãe ter concordado.
Obrigada pela visita.
Abs

Tânia Defensora disse...

Oi Rô!
É muito complicado ter que fazer a defesa do réu nesses casos(crimes sexuais).
E na minha profissão, o(a) Defensor(a) que atua na área criminal não tem escolha, tem que fazê-lo.
Eu ainda não passei por essa experiência, defender pedófilo... mas se um dia tiver que fazer... não sei como será... não quero nem pensar!
Abs

Sheherazade disse...

Olá!
Estou participando, também, da blogagem coletiva contra a pedofilia e, na medida do possível, visitando os demais participantes.Infelizmente devo dizer que a situação que você relata não é tão incomum como gostaríamos que fosse ... Uma pena!

Parabéns pela postagem.

Chawca disse...

Eu trabalhei em um uma maternidade e vi histórias como essas algumas vezes. É mais comum do que imaginamos...
Mas não menos revoltante por isso..

Um abraço

Tânia Defensora disse...

Oi Sheherazade!
Realmente é mais comum do que imaginamos.
Um abraço

Tânia Defensora disse...

Oi Chawca!
Em estabelecimentos de saúde deve ser comum presenciar fatos como esse. É preciso ter estômago de avestruz para digerir...
Abs

Lola disse...

Olá Tânia,
Fiquei arrepiada ao ler isso, tudo é um absurdo, agora, a mãe aceitar isso é pior ainda...Tenho dois filhos, sou divorciada, mas sempre converso com eles e procuro saber o que está acontecendo, tanto do meu lado, quanto do lado do pai...Peço para tomarem cuidado com coisas diferentes, etc.
Está semana estou postando sobre uma violência diferente, mas, não de menos importância. Se quiser dar uma olhadinha:http://umaconscienciacoletiva.blogspot.com
Beijos.

Tânia Defensora disse...

Oi Lola!
Obrigada pela visita.
Vou olhar sim, o assunto me interessa.
Abs

Lola disse...

Obrigada pela visita, achei seu blog muito interessante, vou linká-lo no meu :)
Beijos.

Cristiane Fetter disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
luma disse...

Fiquei chocada quando li "Estão os três vivendo na mesma casa e a mãe está dando maior apoio ao relacionamento. Ela diz que os dois se amam!
Não é só a menina que precisa de acompanhamento psicológico, mas os dois vadios também!
Tânia, a luta tem que ser diária contra os pedófilos!
Brincar de vampiro? Esse homem é um sugador de alma!
Beijus

Tânia Defensora disse...

Oi Luma!
É chocante mesmo. A mãe precisa de um psiquiatra.
Abs

Tânia Defensora disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tânia Defensora disse...

Obrigada Lola!Vou fazer o mesmo assim que tiver jeito. Divido computador com marido, que também tem blog.
Beijos

Cristiane Fetter disse...

Xiiiii, desculpe Tânia, é muito remédio que estou tomando. Tá deixando a cuca enrolada.
É remédio para o pulso quebrado, para a sinusite, para a alergia, para a tosse, isso só pode embaralhar a cabeça, mas já vou corrigir.
Beijocas

Cristiane Fetter disse...

Tânia, que mãe é essa?
Aliás, será que é certo chamá-la de mãe?
Porque não adianta colocar a culpa só no abusador, a metade da culpa é desta criatura.
Que futuro esta menina terá?
Estou feliz em saber que nosso poder público (pelo menos o do Mato Grosso) faz seu papel direitinho, mas como você disse não pode controlar o resto.
Grande abraço.

Nilza disse...

Olá, Tania!

Eu tbm trabalho na justiça. Sou bibliotecaria e não defensora. Mas. Leio muito tanto em legislação , como em jurisprudencias e cada vez mais estamos ilhados de noticias tristes como esta. Eu tbm tenho a minha história, e creia é de uma colega de lá.

Bom conhecer vc

beijos
Meu filho está fazendo provas pra defensor..rsss

Só Magui disse...

Parabéns por sua atuação e participação nas entidades da mulher.Fico feliz em encontrar uma companheira de luta que tem trajetória semelhante à minha.Qt ao texto, as pessoas gostam de criticar, fazer discurso mas tomar providências é difícil.O retrato da nossa realidade.Em uma sociedade em que o sexo é pregado em toda parte e o comportamento do homem é insentivado pela produção sexual, adoelscentes sem orientação, mãe promíscua ,pai omiso, falta de educação e modos o resultado é previsível.
http://somagui.zip.net

Sahmany disse...

E eu morro de velha e não vejo tudo.
Que tipo de mãe é essa heim?
Credo.
Abraço pra ti.

Scliar disse...

Ah, lembrei do caso do Woody Allen. Não foi pedofilia, mas ele casou com a própria filha. Complicado, não?

Sam disse...

Tania
acompanhei todos seus posts sobre o tema e este me choco! - aliás, como a todos, pelo que vejo. A Fernanda, do Mãe e muito mais contou uma história parecida que testemunhou em Portugal quando era adolescente.
Hoje no Nossa Via no texto Em defesa da inocência eu escrevi sobre esta blogagem e a força que a blogosfera pode ter quando reunida e tratada como um meio de comunicação.
E no A Vida Como A Vida Quer eu publiquei Entrevista com Luma Rosa.
Abraços e boa semana!

Tânia Defensora disse...

Oi Nilza!
Ás vezes somos obrigadas a ver cada coisa.
Fala para o seu filho vir fazer concurso aqui.
Abraços

Tânia Defensora disse...

OI Só Magui!
Obrigada pelo incentivo aos movimentos sociais.
Eu concordo com vc em relação às críticas, todo mundo critica, mas as músicas indecentes continuam sendo tocadas, as coreografias dançadas e os filmes sendo exibidos.
Um abraço.

Tânia Defensora disse...

OI Sahmany
Obrigada pela visita.
Cada vez que vejo um caso desse, me preparo para ver um pior...
Abraços

Anônimo disse...

essa mulher e doente mental e tem de ser tratada como tal! Presa ou internada, nao importa, deem um jeito! O que nao pode eACABAR COM A VIDA DE UM INOCENTE QUE DEVE TER SIDO FEITO POR DESCUIDO E N ESPERADO! Quem n ama uma crianca deve ter pacto com o demo! Eles e que co9ntinuarao no planeta, sao o noso amanha nossa continuacao e necessitam avidamente do adulto, sao o nosso reflexo, nosso espelho, nosso porvir! Por favor, aniquilem esses usurpadores da inocencia, n deixe eles continuarem! Pena de morte e pouco para esses assassinos, naoha o que dizer!!E medo, apenas medo...panico...horror!Deixem-os em paz ja que nao podem ama-los!!

Blog Diga Não A Erotização Infantil disse...

Blog Diga Não A Erotização Infantil

http://diganaoaerotizacaoinfantil.wordpress.com

O Blog Diga Não À Erotização Infantil e a Comunidade Diga Não À Pedofilia convidam todos os blogs e sites amigos da criança a participarem de duas blogagens coletivas nos dias 18 e 25 de maio( Dia Nacional De Combate Ao Abuso E Exploração Sexual Infanto-Juvenil e Dia Internacional Da Crianças Desaparecidas)

Mais informações:
http://diganaoaerotizacaoinfantil.wordpress.com/2008/04/28/dias-18-e-25-de-maio-blogagem-coletiva-em-defesa-da-infancia/

Participe conosco dessa luta, em defesa da infância!

Obrigada!