quarta-feira, 21 de maio de 2008

III Encontro "A mulher no sistema carcerário"

O Grupo de Estudos e Trabalho "Mulheres Encarceradas", formado em sua base pelas entidades: Associação Juízes para a Democracia, ITTC (Instituto Terra, Trabalho e Cidadania, IBCCRIM (Instituto Brasileiro de Ciências Criminais), Asbrad (Associação Brasileira de Defesa da Mulher, da Infância e da Juventude), Pastoral Carcerária e IDDD (Instituto de Defesa do Direito de Defesa), vem atuando desde 2001, com o objetivo de dar visibilidade à questão de gênero no âmbito da população carcerária, apontando as peculiaridades decorrentes da condição da mulher presa, o seu acentuado perfil de exclusão social e violência de gênero e à efetivação urgente dos direitos da mulher, com propostas de reflexão sobre a realidade do encarceramento feminino a alteração desta situação.


O Grupo realizou uma série de trabalhos, dentre eles dois "Encontros", com conclusões publicadas, especialmente, sobre: a inclusão da mulher presa nas políticas públicas de saúde, para que sejam atendidas nas campanhas de saúde e no Plano Nacional de Saúde; a garantia de seu direito de defesa nos processos de estado; a implementação da visita íntima nas unidades prisionais femininas, direito garantido há mais de duas décadas apenas para os homens; proposta de inclusão da mulher na política pública criminal exercida através do indulto presidencial, solicitando que as especificidades de gênero fossem atendidas; participação em audiências públicas e comissões temáticas, no plano estadual e federal, da esfera legislativa; articulação com o Poder Judiciário, que culminou com a criação de Vara de Execuções Criminais destinadas especificamente para as mulheres. Com os mesmos propósitos, denunciou a gravidade das condições de encarceramento feminino à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, em fevereiro de 2007.

Nesta perspectiva, tal grupo realizará o III Encontro "A mulher no sistema carcerário", com enfoque na saúde: física e mental, preventiva e curativa. O encontro será realizado nos próximos 05 e 06 de junho, das 9 às 17hs, na sede da Associação dos Advogados de São Paulo (AASP), localizada à Rua Álvares Penteado, 151, Centro, São Paulo/SP.

3 comentários:

celma disse...

Boa noite!!
Sou acadêmica de direito,eu li e gostei muito do seu livro,estou buscando conteudo pra minha monografia,se puder me ajudar vou ser grata.o tema Violacao dos direitos das mulheres no presidio.queria saber se os direitos dos homens sao os mesmo das mulheres.o estado paga salario para a familia das reeducands.eu tenho muita vontade de conhecer o presidio, já protocolei, na secretaria de seguranca publica, so que estou tendo dificuldade em ter resposta...vou deixar meu telefone e meu e-mail 9917-9525,,,celma.nascimento@gmail.com

disse...

Boa noite Tânia!

Quero lhe desejar um bom e Santo feriado.
Que te abençoes sempre e sempre junto aos seus.
Beijos em seu coração.
Seu trabalho cada vez mais lindo...
Parabéns!
Rô!

Jeanne disse...

Tânia, maravilhoso o trabalho que estás fazendo pelas mulheres.
Sem querer comparar, na casa espirita onde trabalho, fazem visitas aos presidios e toda a quarta na psicografia, a gente psicografa as orientações espirituais para as presidiarias, depois o responsável dá o retorno, os passes necessários, e lá elas fazem os atendimentos à distância.
É um dos trabalhos mais gratificantes que eu faço, porque são os que mais precisam de um conforto...
beijos