sexta-feira, 23 de maio de 2008

Ministério da Saúde garante direito à população GLBT de ser chamada pelo nome social nos serviços de saúde

Gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais agora têm direito de usar seu nome social nos prontuários de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS). O direito é garantido pela Carta dos Usuários da Saúde do SUS.

Essa e outras mudanças, como a capacitação de profissionais da saúde sobre conteúdos a respeito desse grupo populacional, estão asseguradas no documento Saúde da População de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, elaborado pelo Ministério da Saúde, sob a coordenação do Departamento de Apoio à Gestão Participativa. O texto ficou pronto em fevereiro de 2008 e traz a posição política do Ministério sobre esse segmento, reconhecendo a discriminação como problema que justifica um olhar diferenciado do SUS sobre o grupo.

Segundo Ana Maria Costa, diretora do Departamento responsável pelo documento, a intenção é modificar a visão de que os problemas de saúde da população GLBTT se restringem apenas à aids. “A saúde desta população é bem mais complexa. São freqüentes os problemas como a violência, a o consumo de drogas, o alcoolismo, a depressão, a discriminação e outras situações de saúde decorrentes da exclusão social, agravadas pela dificuldade de se profissionalizar”, afirma. O apoio à população de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais é uma das políticas do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Histórico - Há duas décadas o ministério atende à população GLBTT. No início, o trabalho era voltado apenas para o enfrentamento da epidemia da Aids. Em agosto de 2007, porém, foi realizado o Seminário Nacional de Saúde da População GLBT na Construção do SUS, quando se discutiu a inclusão das demandas das lésbicas nas políticas de saúde da mulher.


Fonte: www.aids.gov.br

3 comentários:

Cristiane Fetter disse...

Taninaaaaaaaaa, que notícia ótima.
Tudo igual, que beleza.
Seria bom se todo mundo entendesse as diferenças.
Beijocas

Maria Fernanda disse...

Viva a democracia!!! Viva aos direitos iguais para todos e todas!
Bjs no seu lindo coração.

Anônimo disse...

oi dra. tânia
estamos com dificuldades financeiras e precisamos urgentemente internar um tio meu,ele já está bastante debilitado e precisa de um tratamento para o alcoolismo.por favor nos dê uma orientação pois não sabemos o que fazer.obrigado
meu e mail:teresanaiane@hotmail.com