quarta-feira, 9 de novembro de 2011

É CERTO PAQUERAR DURANTE O SERVIÇO?



A pedido de um grande amigo virtual, dr. Rômulo Paes, de Recife, PE, estou escrevendo sobre o assunto.
Paquerar significa: olhar, observar ou sondar uma pessoa sobre a possibilidade de namorá-la. Mas esta sondagem, no meu entendimento, deve ser recíproca, do contrário, a paquera passa a ser uma invasão na privacidade da outra pessoa. 
Sinceramente não tenho opinião formada a respeito, mas penso que o simples fato de olhar de maneira indiscreta para uma mulher ou um homem pode demonstrar falta de respeito para com aquela pessoa.
O dr. Rômulo relatou um caso de vivenciado por sua secretária, que ao tomar um taxi em sua companhia, foi paquerada pelo motorista do veículo que não teve a preocupação de ser ao menos discreto, já que a moça estava em companhia de outro homem.
Fato semelhante aconteceu em Porto Alegre, mas a moça teve a coragem de denunciar o ocorrido à polícia. Leia a notícia abaixo e por favor comentem.


A estudante de administração Wanessa da Silva, 25 anos, diz ter recebido uma mensagem de texto em seu celular, na madrugada do dia 9 de Outubro, após ser parada em uma blitz de trânsito em Porto Alegre. Na ocasião, ela se recusou a fazer o teste de bafômetro e teve a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) apreendida.
“Tinha tomado bebida alcoólica no começo da noite do dia 8, perto das 21h. A abordagem na fiscalização aconteceu por volta da 1h30 de domingo. Na dúvida em saber se meu corpo já tinha absorvido a bebida resolvi não fazer o teste. Embora eu estivesse sóbria, pois fazia tempo que tinha bebido, preferi não fazer o bafômetro”, disse a estudante.
A mensagem recebida por Wanessa é a seguinte: “Wanessa peguei o numero teu enquanto vc disse pro colega qdo ele pediu teu endereço. So quero que digas se posso saber teu MSN, Facebook, Orkut algo do tipo p/ conversarmos melhor e te Add nos meus contatos?Me da um retorno se possivel, sou o rapaz quem fez os testes do bafometros em vcs! Fernando/EPTC (sic).”
Assim que recebeu a mensagem, Wanessa diz ter lembrado do rapaz durante a abordagem. “Ele não parava de olhar para meu decote, achei estranho, mas fomos embora. Para minha surpresa, veio a mensagem pelo celular. Achei um absurdo”, afirmou a estudante.
Ela disse ainda que enviou um email disponível no site da Empresa Pública de Transportes e Circulação (EPTC), na noite de domingo, mas que até agora não obteve resposta da empresa. “Fui hoje [quinta-feira (13)] buscar minha CNH que estava apreendida e ninguém falou comigo sobre o caso. Quando voltei para casa, liguei para a EPTC para saber se o caso seria investigado e se eu poderia ter acesso às investigações, mas falaram apenas que me ligariam para falar pessoalmente sobre o caso. Até agora ninguém me procurou.”

Paqueradores(as) de plantão prestem atenção no seu alvo, ele ou ela pode não estar correspondendo, então... melhor ficar na sua! E local de trabalho é para trabalhar!!!!!! Fica a dica!

5 comentários:

Rômulo disse...

Prezada Amiga Tânia Matos: sobre o caso de que fala sobre desrespeito de profissionais da classe de Taxis
ta não é comum, em Recife, mas um idoso EDUARDO LIRA, com apelido de Madruga, é uma exceção. Levava uma empregada doméstica ao dentista,com
dente doendo, e o crápula, já meu conhecido de algum tempo, começou a desrespeitá-la. Liguei para ele e disse o que não gostaria de ouvir
e, em seguida, comuniquei ao Sindi
cato da classe e à CTTU, da Prefei
tura. Ele já se insinuou para senho
ras casadas e, e por engano, tentou
abraçar um "TRAVESTI", levando uns
bons 'supapos". Devo fazer um TCO
para ele.Muito grato pela atneção, Rômulo Paes Barreto

martinha disse...

Penso que a paquera ocorre quando há mais que uma pessoa interessada, ou seja, seria o início de uma relação, o caso descrito pele Dra. ao meu ver configura invasão de privacidade:-), beijo e bom feriado:-)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Fernando Calmon disse...

Olá Tânia! Sou super a favor de paquerar no serviço! Aliás um gesto de amor sempre compensa a guerra! Ademais, na falta de um argumento melhor, paquerar ocupa um espaço natural das maledicências! Esta sim extremamente deletéria no serviço! Grande abraço!