quinta-feira, 22 de junho de 2017

SEMINÁRIO DE DIREITOS HUMANOS EM CUIABÁ!



O Seminário de Direitos Humanos da Defensoria Pública, organizado pelo Defensor Público Roberto Tadeu Vaz Curvo, tem início nesta quinta-feira (22) às 19h, em Cuiabá, no Museu Rondon, na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).
O evento visa discutir as questões que envolvem as populações haitiana, indígena e quilombola, em cada período de atividade do seminário. Na quinta, serão debatidos os problemas vivenciados pelos haitianos, enquanto que na sexta, pela manhã, dos indígenas, e pela tarde, dos quilombolas.
O Defensor, que coordena as atividades de Direitos Humanos da Instituição, afirma os protagonistas do seminário serão seus próprios beneficiados. Representantes de cada comunidade deverão apresentar suas demandas ao público presente.

domingo, 11 de junho de 2017

OFICINA INCENTIVO AO ACESSO À INFORMAÇÃO E À CONSCIÊNCIA CIDADÃ

Conselheiros de políticas públicas e temáticas, ouvidores, controladores internos e representantes do Comitê Gestor do Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI) da Prefeitura de Várzea Grande participam no próximo dia 14 de junho, a partir das 8h, no auditório da Secretaria Municipal de Defesa Social, da oficina de capacitação promovida pelo Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (TCE-MT) “Incentivo ao Acesso à Informação e à Consciência Cidadã”.

O objetivo da oficina é de estimular a participação dos Conselhos de Políticas Públicas no processo de elaboração do Plano Estratégico de Várzea Grande, bem como a transparência das informações nos órgãos públicos. 

A capacitação possibilita também fortalecer os Conselhos Tutelares o que contribuirá para a eficácia do exercício de suas atribuições em defesa da sociedade. 

Dentro do Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI), Várzea Grande possui cinco eixos e o que remete ao “Incentivo de Acesso à Informação e à Consciência Cidadã” sendo o eixo 2. 

O PDI - O Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado tem a finalidade de contribuir para a melhoria da qualidade dos resultados da gestão, em benefício da sociedade. O PDI foi concebido a partir de cinco projetos interligados: Projeto 1 – Apoio ao Planejamento Estratégico; Projeto 2 – Incentivo ao Acesso à Informação e à Consciência Cidadã; Projeto 3 – Orientação por meio de Cursos Presenciais e à Distância; Projeto 4 – Controle Gerencial utilizando o sistema Geo-Obras; Projeto 5 – Modernização Institucional.

Em Várzea Grande, além da sociedade civil organizada, participam os conselhos da Criança e do Adolescente, do Idoso, de Assistência Social, da Mulher, Tutelares, Saúde, Meio Ambiente, Educação, Cultura, Defesa do Consumidor e Fundo de Habitação.

O evento ocorrerá no auditório da Secretaria Municipal de Defesa Social, no dia 14 de junho a partir das 8h. A Secretaria fica localizado na Avenida Feb, nº 2051, bairro Ponte Nova. Confira abaixo a programação:

14/06 – Quarta-feira

8h – Abertura

8h15 – Apresentação do Programa de Desenvolvimento Institucional Integrado (PDI) e do Projeto 2 - “Incentivo de Acesso à Informação e à Consciência Cidadã”. Palestrante: Naíse Campos Silva Freire (Secretária de Apoio às Unidades Gestoras do TCE-MT)

8h30 - Oficina de Transparência: “A voz do Cidadão na melhoria da gestão pública”. Palestrante: Yênes Jesus de Magalhães (Secretário Executivo da Ouvidoria Geral do TCE-MT)

8h30 – Oficina com os Conselhos Municipais de Políticas Publicas: “Instrumento de controle social e participação democrática”. Palestrante: Cassyra L. Vuolo (Secretária de Articulação Institucional e Desenvolvimento da Cidadania do TCE-MT)

9h20 – “O Planejamento Estratégico nos municípios e sua correlação com os Conselhos Municipais” – Clélia Regina Oliveira de Guimarães (Facilitadora do Planejamento Estratégico do PDI no TCE-MT)

9h50 – Formação dos grupos por áreas temáticas

10h – Trabalho nos grupos

11h20 – sistematização das propostas e aplicação da avaliação reativa

11h40 – Trabalho em plenária

11h50 – Documentação dos resultados

12h - Encerramento

domingo, 4 de junho de 2017

CONFERÊNCIA LIVRE DE PROMOÇÃO DA IGUALDADE RACIAL DE VÁRZEA GRANDE: O BRASIL NA DÉCADA DOS AFRODESCENDENTES: RECONHECIMENTO, JUSTIÇA. DESENVOLVIMENTO.

DIA: 06/06/17
LOCAL: Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esporte e Lazer, Rua João Batista Libâneo, 222, bairro Jardim Aeroporto. 

Programação:

7h30: Credenciamento
8h00: Abertura
8h30: Palestas
9h30: Grupos de Trabalho
12h00: Intervalo
13h00: Considerações do GT
15h40: Coffee break
16h00: Escolha de Delegados

sábado, 27 de maio de 2017

QUAL A JUSTIÇA QUE QUEREMOS?

Em meio a tantas denúncias ouve-se muitas críticas a respeito da liberdade dos delatores que são criminosos tanto quanto os denunciados, eis que estes corromperam. Parece que a sociedade não aceita bem essa “impunidade” concedida pelo sistema de justiça.

Selma de Pereira Santana, integrante do Ministério Público da União e detentora de um vasto currículo em Ciências Criminais, sobre a justiça retributiva ensina no artigo “A reparação como conseqüência jurídico-penal autônoma do delito”, que: No que tange ao resultado, tal justiça foca primordialmente na prevenção geral e especial, buscando intimidar e punir o infrator.(...) Assim, é importante destacar que, seguindo o princípio da intervenção mínima, busca-se a tutela dos bens jurídicos mais relevantes. Porém, na prática, é notório um esquecimento ou até mesmo um afastamento dos princípios – como o da subsidiariedade da intervenção punitiva e o da defesa da eminente dignidade da pessoa. Esse visível retrocesso reafirma a tendência do Poder Público de utilizar instrumentos punitivos como forma de alcançar respostas “simbólicas” aos conflitos sociais, nesse caso, a política criminal tende a minimizar-se a uma “política de segurança”.

Segundo o jurista Luíz Flávio Gomes, na justiça consensuada há resolução alternativa do conflito penal e esse modelo começou a ser adotado no Brasil, com o advento da lei dos juizados criminais. O sistema norte-americano de justiça criminal foi a inspiração para a lei 9.099/95 e demais que vieram em seguida, inclusive a lei 12.850/13 que criou a colaboração premiada.

Quem é o maior prejudicado com a corrupção instalada nas instituições públicas? A população brasileira sem dúvida. E qual seria a melhor reparação para a maior vítima desse crime? A devolução de todo o dinheiro que lhe foi retirado em forma de serviços públicos de qualidade. A resposta simbólica a esse conflito seria prender alguém que tem muito dinheiro. Por quanto tempo esse réu endinheirado permaneceria encarcerado?

Neste último final de semana um egresso do sistema penal de Mato Grosso reincidiu em crime de violência doméstica contra sua companheira, uma estudante de direito. Havia sido condenado a 17 anos de prisão. Tudo indica que obteve benefício antes de completar dois terços da pena, o que é possível, se estivesse trabalhando ou estudando.

A vítima e sua família foram as maiores prejudicadas com o crime. Houve reparação? Certamente não. Qual seria a melhor retribuição para quem já havia praticado um feminicídio? Obrigá-lo a pensar sobre seu agir indevido. O artigo 35 da lei 11.340/06 traz esta solução quando prevê a criação de centros de estudo e reabilitação para os agressores.

O filme A Cabana, mostra “o juiz” que cada um tem dentro de si e tenta passar a ideia de como cada pessoa se porta quando confrontado com o autojulgamento. Se existisse algum centro de reabilitação no Estado talvez a traumática história não tivesse se repetido.

Tânia Regina de Matos é Defensora Pública, atua na defesa da vítima na Vara de Violência Doméstica e Familiar em Várzea Grande, integrante do CMPIR, é uma das coordenadoras da Rede de Educação Integral do Município.

quarta-feira, 10 de maio de 2017

CEDM promove o V Seminário Estadual de Políticas para Mulheres


As inscrições estão abertas. O evento será realizado no dia 12 de maio, em Cuiabá

Assessoria | Sejudh-MT





Sejudh




A | A


O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher e a Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh-MT) promovem, no dia 12 de maio, o 5º Seminário Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres. O tema neste ano é Equidade e Integralidade nas Políticas Públicas de Saúde. O evento será realizado no auditório da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Mato Grosso (OAB-MT), no Centro Político Administrativo, na Capital, e terá início às 8h30.


As inscrições para o seminário devem ser feitas aqui.


O objetivo do seminário é debater com a sociedade civil a execução do Plano Estadual de Políticas para as Mulheres de Mato Grosso, com a apresentação de ações, e promover a discussão sobre políticas públicas de saúde para as mulheres.


O encerramento do evento contará com a entrega do prêmio estadual Ruth Marques Corrêa da Costa, uma homenagem às mulheres que se destacam na promoção e defesa dos direitos femininos em Mato Grosso. O prêmio é coordenado pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM-MT) e será concedido para duas mulheres na categoria personalidade, uma em vida e outra in memorian, com destaques na área profissional ou pessoal, por um fato relevante, produção de conhecimento ou pela própria trajetória de vida.


Programação


Data: 12.05.2017 – Sexta-feira


Horário: 8h30m às 17h30m


Locais: Auditório da OAB-MT – Cuiabá


7:30 às 8:00 – Café da manhã


7:30 às 8:00 – Credenciamento


8:10 às 8:20 – Formação da Mesa de Abertura


8:20 às 8:30 – Mesa de Abertura: Jocilene Barboza dos Santos – CEDM


8:30 às 10:30 – Mesa 1 – Balanço das políticas públicas implementadas para as Mulheres em Mato Grosso


Convidados:


Secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos – SEJUDH


Secretário de Estado de Segurança Pública – SESP


Secretário de Estado de Saúde – SES-MT


Secretário de Estado de Educação – SEDUC-MT


Secretário de Estado de Trabalho e Assistência Social – SETAS-MT


10:30 às 11:30 – Debates


11:30 às 13:30 - Almoço


13:30 às 15:30 – Mesa 2 – Equidade e Integralidade nas Políticas Públicas de Saúde para as Mulheres.


Convidadas:


Dra. Maria Salete Ribeiro – Docente de Serviço Social da Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT – abordagem do tema: A saúde da Mulher com Deficiência.


Dra. Candida Soares da Costa – Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Relações Raciais e Educação – UFMT – Abordagem do tema: A saúde da Mulher Negra.


Eliane Rodrigues Lima – Bacharel em Direito e Coordenadora da Federação de Povos Indígenas do Estado de Mato Grosso – FEPOIMT – Abordagem do tema: A saúde da Mulher Indígena.


15:30 às 16:30 – Debates


16:30 às 17:00 – Solenidade da Entrega Estadual do Prêmio Ruth Marques Correa da Costa


17:00 às 17:30 – Encerramento com entrega de certificados


segunda-feira, 24 de abril de 2017

CONFERÊNCIA MUNICIPAL DE SAÚDE DAS MULHERES


ETAPA MUNICIPAL EM VÁRZEA GRANDE: 27/04/17 DAS 7:30 ÀS 17:00
LOCAL: UNIVAG, BLOCO D, AUDITÓRIO 5

quarta-feira, 5 de abril de 2017

SEJUDH cria Prêmio Ruth Marques Corrêa da Costa para homenagear mulhers que lutam e promovem defesa dos direitos humanos das mulheres


PORTARIA Nº  39/2017

Institui a 2ª edição Prêmio Estadual “RUTH MARQUES CORRÊA DA COSTA”, em homenagem às mulheres que lutam e promovem a defesa dos Direitos Humanos das Mulheres, no Estado de Mato Grosso.


O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso, através da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos – SEJUDH/MT, resolve:


 Art. 1º Fica instituído a 2ª edição  Prêmio Estadual “Ruth Marques Corrêa da Costa”, que anualmente será concedido com o objetivo de homenagear, promover e dar visibilidade às mulheres que através dos seus trabalhos e ações lutam e promovem a defesa dos Direitos Humanos das mulheres mato-grossenses, conforme a portaria nº 31/2016, publicada em 16 de março de 2016, no diário oficial do Estado de Mato Grosso, edição nº 26739.

Art. 2º A 2º edição do Prêmio Estadual “Ruth Marques Corrêa da Costa”, será realizada na forma de regulamento, constante no anexo dessa Portaria.

Art. 3º Esta Portaria entre em vigor na data de sua publicação.


  
ANEXO

REGULAMENTO DA 2ª EDIÇÃO DO PRÊMIO ESTADUAL “RUTH MARQUES CORRÊA DA COSTA”, RECONHECIMENTO E HOMENAGEM ÀS MULHERES QUE LUTAM E PROMOVEM A DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS DAS MULHERES, EM MATO GROSSO

I – DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 1° A 2º edição do Prêmio Estadual “Ruth Marques Corrêa da Costa”, instituído pela presente portaria e concedido pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher – CEDM\MT, através da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, será outorgado a mulheres que se destacam na promoção e defesa dos direitos humanos das mulheres mato-grossenses.

Art.2° A 2º edição do Prêmio Estadual “Ruth Marques Corrêa da Costa” consistirá na concessão de diploma e placa de recordação.


II – MODALIDADE DE PREMIAÇÃO

Art. 3º A 2º edição do Prêmio Estadual “Ruth Marques Corrêa da Costa” será concedido na categoria PERSONALIDADE, uma em vida e outra in memorian.

Parágrafo 1° A categoria Personalidade refere-se a Mulheres de reconhecida referência na promoção e defesa dos direitos humanos das mulheres no Estado, devendo estas se destacar em seu campo profissional ou pessoal, quer seja por um fato relevante, produção de conhecimento ou pela própria trajetória de vida.
           
Parágrafo 2° A mesma personalidade não poderá ser premiada no ano seguinte, caso tenha sido agraciada.

Art. 4º O Prêmio entende os direitos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais como direitos humanos, confirmando a sua indivisibilidade e interdependência.


III – PREMIAÇÃO


Art. 5º A 2º edição do Prêmio Estadual “Ruth Marques Corrêa da Costa” será entregue em Ato Público que será realizado no mês de abril de 2017, em comemoração ao Dia Nacional da Mulher.

Parágrafo 1º O Prêmio será concedido para duas Mulheres promotoras e/ou defensoras dos Direitos Humanos das Mulheres em MT, sendo outorgado a uma em vida e outro IN MEMORIAN.

Parágrafo 2º Todas as despesas das homenageadas e\ou seus representantes legais, em função da participação na solenidade de entrega do prêmio, serão por eles custeada.

Parágrafo 3º Os encaminhamentos decorrentes da organização do prêmio ficarão sob a responsabilidade do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher – CEDM/MT que, para tanto, contará com o apoio da Secretaria Executiva dos Conselhos.

IV - COMITÊ DE JULGAMENTO

Art. 6º A concessão do Prêmio ficará a cargo do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Estado de Mato Grosso.
Parágrafo único – Fica deliberado que as conselheiras do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher durante a gestão, não poderão ser agraciadas com a mencionada honraria.


Art. 7º – O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Estado de Mato Grosso reunir-se-á na primeira semana do mês abril para efetuar uma seleção prévia e deliberar sobre a concessão dos prêmios, e quantas vezes forem necessárias ao cumprimento de suas atribuições.

Parágrafo 1º As decisões do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Estado de Mato Grosso serão tomadas pela maioria simples dos votos.

Parágrafo 2º As decisões de julgamento não serão suscetíveis de impugnações ou recursos.

Art. 8° Os julgamentos serão feitos a partir dos seguintes parâmetros de avaliação:

I – importância histórica da ação dessa personalidade para a defesa dos Direitos Humanos das Mulheres no contexto estadual;
II – geração e produção de conhecimento relevante sobre os Direitos Humanos das Mulheres;
III – capacidade inovadora e criativa do trabalho desenvolvido;
IV – integração com outros segmentos sociais;
V – impactos sociais, políticos e culturais na sociedade;
VI – integração dos direitos humanos civis, políticos, econômicos, sociais, culturais e ambientais.

Parágrafo 1º O prêmio será concedido às indicadas que obtiverem maior votação.

Parágrafo 2º – Cada conselheira presente terá direito a um voto.

Parágrafo 3º Na hipótese de empate, caberá à Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Estado de Mato Grosso dirimir, escolhendo a respectiva vencedora.


CAPÍTULO V – INSCRIÇÃO

Art. 9° A indicação deverá ser feita mediante requerimento ao Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de MT – CEDM/MT, até a data limite de 31 de março de 2017, via correio, ou pelo endereço eletrônico (cedm@sejudh.mt.gov.br). Posteriormente, o Conselho encaminhará as indicações às conselheiras:

I – nome da indicada, destacar se concorre em vida ou in memorian;

II – curriculum vitae simples;

III – justificativa da indicação em, no máximo, três páginas, destacando o histórico da atuação da indicada na defesa dos Direitos Humanos das Mulheres Mato-grossenses.



CAPÍTULO VI – DISPOSIÇÕES GERAIS


Art. 10º -  Os casos omissos serão resolvidos pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher do Estado de Mato Grosso.

Art. 11º -  Esta portaria entra em vigor na data de sua publicação.

Cuiabá, ____ de março de 2017.




JOCILENE BARBOZA DOS SANTOS
Presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de MT




AIRTON BENEDITO SIQUEIRA JÚNIOR
Secretário de Estado de Justiça e Direitos Humanos




terça-feira, 28 de março de 2017

MG REALIZA CICLO DE DEBATES EM HOMENAGEM AO MÊS DAS MULHERES

Escrito por   da DPE-MT

Foto: Assembleia Legislativa de Minas Gerais.Defensora de MT participa de ciclo de debates em homenagem ao Mês das Mulheres em Minas Gerais
A Coordenadora do Núcleo de Defesa da Mulher, Defensora Pública Rosana Leite Antunes de Barros, participa, no próximo dia 30 de março, do Ciclo de Debates Pela Vida das Mulheres: Educação, Enfrentamento do Machismo e Garantia de Direitos, promovido pela Assembleia Legislativa de Minas Gerais, em homenagem ao Mês das Mulheres.
A Defensora Pública de Mato Grosso participará do painel “Enfrentamento do machismo institucionalizado para garantir a participação da mulher nas instâncias de poder e decisão", que terá início às 18h. Estão previstos ainda outros dois painéis, nos quais serão abordadas questões como a importância das discussões relativas a gênero e do enfrentamento da cultura do machismo na educação e o respeito às diversidades e garantias de direitos.
Dentre os objetivos do evento estão discutir sobre a importância do debate de gênero e contribuir para o respeito à diversidade na educação formal e informal, garantir mecanismos de ingresso e permanência de mulheres nos espaços de poder e decisão, debater as reformas legislativas, o retrocesso nas políticas públicas e os impactos na vida das mulheres, bem como comprometer a Assembleia Legislativa daquele Estado com a defesa e promoção dos direitos das mulheres.
Gabriela Galvão
Assessoria de Imprensa

sábado, 25 de março de 2017

DESTINO INHOTIN, MINAS GERAIS

Estivemos novamente em Minas Gerais no Carnaval deste ano e só agora achei um tempinho para escrever sobre essa deliciosa viagem.

Não gostamos das festas de Momo, preferimos passear ou participar de algum encontro religioso. No ano passado estivemos na capital mineira para a Reunião Geral da Aliança, uma atividade espírita. De quebra conhecemos a cidade histórica de Ouro Preto e o Memorial Minas Gerais Vale, onde o nome já diz tudo: vale muito à pena. No ano passado abriu durante o feriado.

Ficamos com muita vontade de ir até Inhotin, mas sabíamos que em um único dia não conheceríamos o parque inteiro, acabamos retornando este ano para conferir com o nosso filho adolescente. Na volta tentamos levá-lo ao Memorial Minas Vale para ver a galeria sobre a Inconfidência Mineira, mas neste ano não abriu.

Nem sempre escrevo sobre as viagens que faço por absoluta falta de tempo. Mas Minas Gerais é tudo de bom e não poderia deixar de postar. A culinária é incrível! Assim que chegamos almoçamos no Empório Fazendinhaum restaurante que fica aberto até às 16h. Comida caseira saborosa e churrasco. Você tem a opção de pesar ou comer à vontade. Muito bom. Voltamos na noite seguinte para comer pizza feita no forno à lenha.





Próximo ao hotel tem posto de combustível e mercado.


Nos hospedamos no Estrada Real Palace Hotel que fica a cinco minutos de carro do Parque Inhotin. O quarto é bom, tem sacada e o chuveiro tem uma caída ótima. Café da manhã muito bom com sanduicheira e torradeira. A área de lazer do hotel é boa também com uma sauna super gostosa que abre às 17 e fecha às 20h.
Como não temos o costume de alugar carro, prezamos sempre pela boa localização do hotel. Há lugares melhores, mas bem longe do parque.


O Parque é dividido em 3 cores: amarelo, laranja e rosa. A mais próxima é a amarela, esse parte dá para fazer caminhando sem cansaço e correria.


No segundo dia alugue um carrinho de golf para fazer a parte laranja e rosa pois você não conseguirá conhecer todos os locais andando. Acredite! Mesmo que você esteja acostumado a caminhar, seja super atleta, não tem como. 


Os jardins são encantadores! Você vai querer registrar tudo e se estiver nublado leve sua própria capa de chuva ou guarda-chuva.



Eu adorei cada pedacinho de Inhotin. Cada cantinho. O conjunto arquitetônico que abriga os museus é lindo!


Na foto abaixo, ao fundo, outro museu.


Não há lugar que você não deseje tirar uma foto.


Na foto abaixo, outra vista do Parque.


Brumadinho é uma cidade pequena, mas há lugares próximos que você pode explorar, depois que encerrar sua visita de dois dias no Parque, é o que eu recomendo. 

Não deixe de ir ao Bistrô Mendes (não tem característica de bistrô). Há translado gratuito do hotel até o local. Comida boa e o chef é super simpático.



Abaixo, foto do restaurante Topo do Mundo que fica a uns 30 quilômetros de Brumadinho. Não costuma abrir às segundas, mas durante o Carnaval abriu. Vale à pena conhecer.


A paisagem que se vê nas estradas é encantadora! Para quem é do cerrado, como eu, costuma apreciar com muito gosto a Mata Atlântica. 


Já que você está lá, vá até o Parque Estadual da Rola Moça. O passeio é feito de carro com algumas paradas em mirantes que existem em alguns pontos da estrada.

Visão Geral: Come-se muito bem em Minas Gerais a preço justo. Há necessidade de uma melhor estrutura no Parque Rola Moça. Brumadinho não tem muitas opções de restaurantes e casas noturnas. É um lugar tranquilo para família e casais querendo sossego. Inhotin é um programa para casais e família com filhos que já conseguem apreciar obras de arte sem tocar, apesar de haver muitos espaços onde a interação é permitida e incentivada. Boa viagem!!!


A REFORMA DA PREVIDÊNCIA E O IMPACTO NA VIDA DAS MULHERES


segunda-feira, 20 de março de 2017

MULHER NEGRA, TRAJETÓRIAS, RESISTÊNCIA E EMPODERAMENTO

JUSTIFICATIVA

Neste mês da mulher queremos pensar a mulher negra frente aos desafios do cotidiano, empoderando-a e promovendo equidade de gênero em todas as atividades sociais e da economia, impulsionando a melhoria na qualidade de vida. Ainda lembrando que a data 21/03 é uma data de significado histórico e político que deverá ser assinalado como Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial.

OBJETIVO DO PROGRAMA

Refletir a situação da mulher nas múltiplas facetas do cotidiano, em especial, relações domésticas. PROGRAMAÇÃO Público alvo: Coordenadores da Rede Municipal de Educação de VG/MT;  Diretores com função de coordenador  Conselho de Direitos (CMDCA, Conselhos Tutelares, C. Assistência Social, CEPIR, IMUNE) Organização: SMECEL e CMPIR

PROGRAMAÇÃO

Público alvo: Coordenadores da Rede Municipal de Educação de VG/MT; 
 Diretores com função de coordenador  
Conselho de Direitos (CMDCA, Conselhos Tutelares, C. Assistência Social, CEPIR, IMUNE) Organização: SMECEL e CMPIR

Dia 21/03/2017 
Abertura: 08h00
Mesa redonda: Mulher Negra em trajetórias, resistência e empoderamento. 
Palestrante: Dr. Tânia Regina de Matos
 Palestrante: Nara Nascimento 
Encerramento : 11h00 

Mulher Negra em trajetórias, resistência e empoderamento. 

Lucimar Sacre de Campos 
Prefeita 

"Nós percebemos a importância de nossa voz quando somos silenciadas" - Malala Yousafzai, discurso da ONU. 

segunda-feira, 6 de março de 2017

ATIVIDADES DO MARÇO EM MATO GROSSO – MULHERES EM LUTA


ATIVIDADE
DATA
HORA
LOCAL
Jornada de Lutas das Mulheres de Trabalhadoras do Campo e da Cidade – MST/MT
Lema: Estamos todas Despertas contra o capital e o agronegócio. Nenhum Direito a Menos!

06 à 08/03
6/3 - Início 14h
8/3 - Marcha: concentração 7h no Centro Esportivo.
Centro Esportivo do bairro Quilombo - Cuiabá
Semana da Mulher da SEMA-MT e Feirinha da Economia Solidária
- Conselho Estadual dos Direitos da Mulher – CEDM/MT

06/03 - início
13h às 19h
Auditório da SEMA/MT (CPA)
Encontro das Mulheres de Acorizal
08/03
8h
Pousada Nosso Sonho -Acorizal
Reunião Mulheres da CPT/MT - Reforma da Previdência
08/03
14h
Paróquia Sagrada Família - Cuiabá
Marcha Mulheres em Luta
- Por uma Greve Internacional e Militante

08/03
16h
Praça Ipiranga - Cuiabá Concentração
Marcha das Mulheres de Cáceres
08/03
16h
Praça da PM - Cáceres
Apitazo Nenhuma Mulher a Menos, Todas Vivas!
08/03
17h
Concentração no Centro de Referência da Mulher – Lucas do Rio Verde
13ª Jornada Nacional de Debates: Reforma da Previdência
09/03
9h
Auditório do SINTEP/MT
Reunião formativa


Sessão Solene – Entrega de moções de aplauso mulheres


09/03
15h


19h
- Conselho Regional de Contabilidade – CRC

- Assembleia Legislativa de MT
Palestra: Mulheres Vitoriosas

09/03
15h
IRPAMDEQ – Bairro Planalto - Cuiabá
Audiência Pública Reforma da Previdência
10/3
09h
Teatro Zulmira Canavarros – AL/MT
IV Marcha Rosa – MT Mamma
11/03
7:30h
Praça Santos Dumont - concentração
Seminário: Todos os Direitos para todas as Pessoas
13 à 14/03
8h às 18h
Auditório IGHD-ICHS na UFMT
Caminhada das Mulheres na UFMT
24/3
7h
ICHS/UFMT - concentração
Dia D da Saúde e Feira das Mulheres
25/03
8h
Comunidade Nossa Sra. Aparecida de Chumbo em Poconé
Palestra: Dando a volta por cima
27/03
19h
Conselho Regional de Contabilidade – CRC

Encontro Mulheres e Agroecologia:
Sem Feminismo não há Agroecologia
29 à 31/03
08h início
Cáceres